05/11/2010

Faleceu o meu amigo Hortêncio do Carmo Neto

Estou de luto porque perdi um grande amigo num acidente de trânsito no último dia 1, na estrada que liga Araguaina-TO a Xambióa-TO, ele não tinha muita prática em dirigir em BR, pelo que ficamos sabendo, é bem provável que ele tenha tentando ultrapassar um outro veículo e fez zig zag na pista ao perceber a aproximação de uma pajero. Tentou escapar da situação, no entanto não conseguiu, sendo que o tanque do carro o qual dirigia, um modelo frágil (fiat ultimo modelo), bateu com o tanque no lado do passageiro da pajero e explodiu, morrendo de imediato e tendo seu corpo carbonizado. O passageiro da pajero nada sofreu.

Lembro-me que na tarde em que ele faleceu houve uma grande descarga de energia sobre o prédio, tanto que fiquei sem computador, que ficou danificado, bem como vários aparelhos no prédio, tendo havido um  grande estrondo na portaria, o que danificou os portões. Naquele momento me veio uma intuição de que alguma coisa havia ocorrido. Momentos depois recebi a ligação, seus parentes me informando sobre a morte dele.

O último recado que ele deixou no meu celular ainda no dia anterior à sua morte "vou embora depois das eleições".  O ir embora era uma referência ao fato de que ele estava indo para Xambioá depois das eleições. Só que agora entendo a frase com outro significado. Estou muito triste.

Éramos amigos de infância e tínhamos forte ligação, ele era Major da Polícia Militar do Tocantins e, sempre que podia, corria aqui prá casa. Costumávamos brigar porque ele, muito organizado, não suportava minha bangunça. Mas nunca ficava rancor ou ódio, logo passava. Éramos o tipo de amigos que, podia chover canivete que jamais nos tornaríamos inimigos um do outro. Tudo o que fizermos por último, o passeio nas praias, a visita aos amigos e amigas, a despedida na rodoviária, ele era extremamente afetuoso para com todos, daí um grande número de pessoas que o admiriava. Tudo o que fizemos por último teve um sabor desdespedida, tudo parecia ser a última vez.

Em tempo - Lembro-me de uma frase da Cecília Cotrim, num email, não me lembro em qual contexto nem de que assunto ela tratava, onde ela disse que  "na vida tudo é energia", isto é verdade, agora sei, aquela forte descarga elétrica era uma notícia, quem sabe uma  forma de o espírito absoluto dizer-me "teu amigo acabou de partir" ou, quem sabe, "vou desligar este teu computador para que atentes para ligues para teu amigo agora",  estas coisas, estas suposições,  talvez sejam apenas alucinações, difícil sabermos o que é real ou não. Quem sabe se no momento em que o computador foi desligado por aquela descarga descoumunal se eu tivesse seguido a intuição e ligado para ele para ao menos dizer  "olá, tudo bem", quem sabe um minutinho de conversa real ele teria atrasado o suficiente para não cruzar com a morte. Agora que o fato ocorreu, só me resta transformar isso em conhecimento sobre o mundo sensível.

Os amigos do Hortêncio ainda não nos conformarmos com a sua partida, todos os lugares por onde ele passou firam enlutados com o seu passamento.

Somente mediante o laudo pericial saberemos ao certo como foi o acidente que vitimou Hortêncio.
À medida em que conversamos com pessoas que estiveram no local do acidente, ficamos sabendo que Hortêncio não tentou fazer ultrapassagem na curva e sim perdeu o controle da direção.
Pessoas que passavam pelo local relataram que foi o outro carro, a pajero, que colidiu contra o Fiat (conduzido por Hortêncio), no lado do passageiro, seguido de  incêndio no tanque de combustível.
O incêndio se alastrou e atingiu a pajero, no entanto as pessoas que estavam neste veículo nada sofreram.
Indícios indicam que a pajero estava em alta velocidade, uma vez que a bateria do Fiat (conduzido por Hortêncio) foi arremessado a uma distância de uns 30 metros.
Testemunhas informam ainda que havia riscos de pneu no asfalto, causado pela pajero, o que indicaria alta velocidade.

Leia abaixo postagem da Assessoria de Comunicação da PM-TO

Morre carbonizado em acidente de trânsito, major da PM de Araguaína


Faleceu vítima de acidente seguido de incêndio em seu veículo fiat Uno, o Major Hortêncio, do 2º BPM de Araguaína. A morte provocou comoção entre os militares, por se tratar de oficial muito bem quisto na coorporação.

Morreu em um acidente de trânsito ocorrido na TO – 164 próximo ao município de Jacilândia-TO, o Major Hortêncio do Carmo Neto. Ele encontrava-se trafegando em seu veículo Fiat Uno quando, por volta das 19h desta segunda-feira (dia 1º), colidiu frontalmente com um veículo Pajero. O motorista da Pajero sofreu apenas uma lesão no pé, já o Fiat Uno pegou fogo e o Major morreu carbonizado.

O Major Hortêncio tinha 50 anos de idade e iria completar seus 51 anos no dia 30 deste mês de novembro. Ele ingressou nas fileiras da Polícia Militar do Estado do Tocantins em 1º de agosto de 2000 como 1º Tenente após realização de concurso público para Oficial especialista em Direito. Trabalhou nas Unidades Militares dos municípios de Arraias (1ª CIPM), Dianópolis (2ª CIPM) e atualmente exercia a função de Assessor Jurídico e Corregedor no Quartel do 2º BPM em Araguaína-TO onde servia desde 2007.

O Major Hortêncio, tido como humano, era bem visto e benquisto pelos policiais militares de todas as Unidades Militares do Estado nas quais trabalhou. Livre de discriminação e preconceitos, olhava para os praças e oficiais (seus superiores, pares e auxiliares) com o mesmo apreço e respeito que a dignidade da pessoa humana propõe naturalmente. Era, de fato, um grande amigo.

Sendo assim, o 2º Batalhão de Polícia Militar deixa uma homenagem a este verdadeiro guerreiro na esperança e perspectiva de respeito e de igualdade de direitos:

O Guerreiro

O guerreiro tomba!

Caído, inerte, já não respira mais.

Não sente mais dores, não tem mais sonhos.

Só a poeira lhe toca o rosto.

O guerreiro tomba!

Envolto pela brisa suave do vento,

se lança aos céus, sem asas para voar.

(cujas, não precisam mais)

Ganhou o espaço, e a luz infinita do desconhecido,

te acolhe de braços abertos.

O guerreiro acaba de tombar!

E na queda, seu último suspiro,

seu último gemido que retrata

o que restará de sua passagem por essa vida:

Saudades... Só saudades.

(Autor: José Maria Brangioni)

(Texto escrito pelo Capitão Clégio Valadares – Assessor de Imprensa do 2º Batalhão)

Fonte: Assessoria de Comunicação da PM - TO - Clégio Valadares / Site Roberta Tum
 

FONTE: http://www.vitrinedotocantins.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=59948:morre-carbonizado-em-acidente-de-transito-major-da-pm-de-araguaina&catid=34&Itemid=72

P.S.- Criamos um blog para homenagearmos o nosso amigo Major Hortêncio
http://amigosdohortencio.blogspot.com/

Nenhum comentário:

A História do SPIN