29/06/2013

Ida ao Facebook do Carlos Sena - 1/70 (Sat 13)

"XEQUE-MATE: UM SÉCULO DE READY-MADE 1913-2013”

Apresenta:

02/07/13 - TADEU CHIARELLI: “Imagens de Segunda Geração”.

04/07/13 - GÊ ORTHOFF: “Sem Nome, Sem Alfabeto: O Caderno Safado Sorridente”.

LOCAL: Centro Cultural UFG - Pça Universitária

HORA: 20:00h

O Centro Cultural da Universidade de Goiás promove o ciclo de palestras “Xeque-Mate: Um Século do Ready-Made 1913-2013”, entre 02 e 18/07/13, às 20h, sobre a obra de Marcel Duchamp (1878-1968), artista francês que questionou o conceito ortodoxo de obra de arte: objeto único elaborado pelo artista. A série de encontros conta com a participação de Tadeu Chiarelli, Gê Orthof, Moacir dos Anjos, Yiftah Peled e Carlos Sena. Na ocasião serão debatidos temas importantes que surgem do próprio questionamento provocado pela obra de Duchamp e de sua ligação com a produção de artistas contemporâneos que trabalham no campo da apropriação de objetos, imagens e mensagens prontas. O ciclo é gratuito e as vagas são limitadas. As inscrições são indispensáveis para a obtenção dos Certificados de Participação.

Programação:
02/07/13 - “Imagens de Segunda Geração” com Tadeu Chiarelli.
04/07/13 - “Sem Nome, Sem Alfabeto: O Caderno Safado Sorridente” com Gê Orthof.
09/07/13 - “Jac Leirner e o Sorriso do Gato. Ou: Para Onde foi o Ready-Made que Estava Aqui” com Moacir dos Anjos.
11/07/13 - “Ready-Made de Performance” com Yiftah Peled.
16/07/13 - “O Artista Embalado” com Carlos Sena.
18/07/13 - “A Beleza da Indiferença: Três Possibilidades de Diálogos com Duchamp” com Felipe Scovino.
|
Mais informações:
CC da UFG - Setor Universitário: Av. Universitária, 1.533, tel. (62) 3209-6251.

Ida ao Fax - 1/70 (Sat 13)

Vamos parar de ser marionetes da Globo, pau mandado dos abutres

Primeiro momento: Visão

Engraçado, quando acordei nesta manhã, dei uma arrumada nesta obra e pensei em não postar mais nada
É que senti-me tão sem assunto, não havia nada em mente para postar
Como é natural, pensei em destruir esta obra uma vez que estava concluída
Mas vejo que não está concluída: Isso não é um blog e sim fax
Esta obra não tem fim pq vejo coisas quando fecho os olhos para ver
Dirão: Fax já saiu de linha, não existe mais
Eu sei, nesta velocidade com que as coisas andam daqui a pouco nada mais existirá: Nem nós mesmos, de tudo tão rápido está acontecendo
Em branco, resolvi deitar-me sobre o sofá e, acordado mas de olhos fechados, vi várias coisas
Via uma coisa, abria os olhos e fazia um esboço desenho para não esquecer
Fechava os olhos de novo, via novo assunto, desenhava e fechava os olhos de novo
Repeti isso tantas vezes que dormi de vez e, dormindo, vi tudo o que eu havia visto momentos atrás reunido num grande faz, ops, fax
No momento já me esqueci de muita coisa mas foi sobremaneira agradável receber aquele fax do além
O que havia no fas, ops, fax
Era tanto assunto, o fax dava pelo menos 5 metros de altura e poderia ser pendurado no teto que batia no chão
No teto ou céu ou caput ou cabelos, tanto faz
Agora me lembro, sonhei que o fax estava presos aos cabelos, vários fax
Nossa, agora me lembro dos extratos que esqueci joguei no lixo, aquela longa tira iria servir como suporte para meus desenhos rascunhos registros das coisas que vi para enviar via fax para o spin médico que, na verdade, é um médico que atua na área do conhecimento, ou seja, o tratamento atua no campo cognitivo, é assim que atua a filosofia clinica e, neste momento de burrice imperando sobre o Brasil por conta da tal "revolução 2.0" o conhecimento e  tudo e isso está em falta aos montes, o que vi de gente carregando de lema escrito em cartaz sem saber nem mesmo o que estava carregando Verdadeiras marionetes teleguiadas por um imprensa "muy honesta" que só pensa em derrubar Dilma, daí que o jornal O Popular, cuja empresa engloba dentre outras a CBN e TV Anhanguera, repetidoras da Globo em GO, transformaram-se em panfletos insuflando os jovens à depredação, nesta noite sonhei com um bando de desordeiros de paus na mãos, quer dizer, sonhei não, eu vi, revelei ou foi revelado a mim
Ah, num dos sonhos, que prefiro chamar de revelações de sonhos. Sonhos ou vigília, tanto faz,,,,
Esqueci...
Melhor começar a prepara o fax e enviá-lo aos spin médicos narrativos pictóricos cognitivos sensoriais transportadores, os Drs. Armando Queiroz e Goya
Nem tenho os números de fax deles, será que eles ainda possuem seus fax, e se não possuem vou dar um jeito de fazer com que existam, como podem acabar com tudo,
Preciso de um aparelho de fax para tornar visível a(a) revelação(ões) desta noite, ah, a parte que eu não havia entendido era a seguinte
Quando fechei os olhos para ver, ou seja, quando acordado fechei os olhos, vi-me preenchendo um formulário em algum balcão de atendimento público
Público ou privado, tanto faz
Lembro-me que o atendente identificou-me como sendo do grupo S3
Simplesmente não entendi
Quando dormi desmaiei de vez, sonhei que o fax rodava na barra de rolagem deste blog quando me deparei com esta parte que eu não havia entendido e lá encontrava-se Gandhi
Gandhi seria do grupo S3
Cá prá nós, se há o S3 é pq há o S1 e S2
O S1 seria a espiritualidade e o S2 a sexualidade
O S3 seria a sociabilidade
Jovens, não à depredação e à violência, pois isso é que os abutres mais querem e no momento eles, nos aviões da OTAN, sobrevoam o nosso país esperando a hora de dar o bote final para que as grandes corporações se apossem de nossas riquezas, do pré-sal, da biotecnologia, tudo
Não sejamos ingênuos
Vamos parar de ser marionetes da Globo, pau mandado dos abutres

Este post encontra-se em construção, no momento são 09:50

No momento são 10:40. Voltei e, agora, com o momento forma, não estou mais fim de ficar no estado visionário. Vamos às formas, ou seja, à visualidade daquilo que me foi revelado nesta amanhã quando fechei os olhos para ver
Fim do primeiro momento: Ina

Segundo momento: Forma

Atualização do momento FORMA - Som na Caixa....;

Muita história eu tinha ainda prá contar: Pavão Misterioso, de Ednardo

Meu comentário
Trata-se de dançar em frente uma lata de alumínio volume 18 litros. Em muitas regiões do Brasil tais latas são usadas para o transporte de água, sendo que são apoiadas sobre uma base de pano colocada sobre a cabeça. Usei a lata como espelho para esta  performance, isso era naquela época quando eu tinha um corpito que me permitia ficar num diante do espelho e trazer isso a público..rss 

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/muita-historia-eu-tinha-pra-contar
















Terceiro momento: Conhecimento

Mahatma Gandhi, spin governante, humano (Perto)


Mahatma Gandhi"Olho por olho e o mundo ficará cego. "
Mahatma Gandhi


28/06/2013

Ida ao Conhecimento - 1/70 (Sat 13)

Marilena Chauí, spin filósofa, humana, sobre as manifestações de junho 13

"(...)

O pensamento mágico

A convocação foi feita por meio das redes sociais. Apesar da celebração  desse tipo de convocação, que derruba o monopólio dos meios de comunicação de massa, entretanto é preciso mencionar alguns problemas postos pelo uso dessas redes, que possui algumas características que o aproximam dos procedimentos da midia:
a. é indiferenciada: poderia ser para um show da Madonna, para uma maratona esportiva, etc. e calhou ser por causa da tarifa do transporte público;
b. tem a forma de um evento, ou seja, é pontual, sem passado, sem futuro e sem saldo organizativo porque, embora tenha partido de um movimento social (o MPL), à medida que cresceu passou á recusa gradativa da estrutura de um movimento social para se tornar um espetáculo de massa. (Dois exemplos confirmam isso: a ocupação de Wall Street pelos jovens de Nova York e que, antes de se dissolver, se tornou um ponto de atração turística para os que visitavam a cidade; e o caso do Egito, mais triste, pois com o fato das manifestações permanecerem como eventos e não se tornarem uma forma de auto-organização política da sociedade, deram ocasião para que os poderes existentes passassem de uma ditadura para outra);

27/06/2013

Ida ao Desdobramento - 1/70 (Sat 13)

Daqui a pouco tenho consulta com o interlocutor íntimo privado. Interlocutor ou partilhante ou médico ou curador, tanto faz
Qual sonho vou levar para a ele? O que acabei de sonhar olhar ser
Quer dizer, sonho não, revelação
Essa palavra sonho é impregnada do sentido de distância, irrealidade, não realização, o que não é o caso do spin, onde as coisas já existem e são óbvias pq são leis, apenas estavam ocultas mas, a partir de agora, serão reveladas, olhadas, sidas: Agora temos
Temos o que?
Tudo
Papa
Presidente
Médico
Ponte
Agora temos
Não mais coisas enquanto espelho alienação
Não mais a fixação morte narcisismo do sujeito em relação as suas obras
Não o encanto até a hora da morte como se fosse e era spin narciso
Não o engano mas a realidade
Esqueci muitas coisas que eu ia dizer agora, tenho que ir anotando tudo no próprio corpo enquanto lembrete
Ah, eu queria tanto este slide share http://www.slideshare.net/biahportes/geomorfologia-do-brasil
Foi com isso que sonhei neste noite: O desdobramento
Ops, usei a palavra sonho, ah, são lembranças do passado presentes
Que fique como convenção costume então
Onde eu estava para não ter usado o slide share para guardar minhas coisas fotos imagens textos
Achei mais fácil jogar tudo no lixo
Eu poderia ter adquirido uma cama box cuja base é na verdade um grande baú que serviria como espaço para guardar meus objetos
Preciso levar estas coisas para mostrar para meu médico, vou filmar quando estiver mostrando para eles as coisas que brotaram deste processo narrativo pictórico sensorial transportador
Com qual médico vou consultar hoje?
Não interessa, não vou mesmo mostrar o rosto dele, digamos que seja o Dr. Armando Queiroz
Pode ser qualquer um que chegue perto e não como um certo médico que, lá no início da década de 80 disse que eu teria no máximo 6 meses de vida, ah, faz tanto tempo, o nome dele era Jorge D, senão morreu deve estar caquético de tão ingênuo. Ou mau.
Hum,,,,,a maldade enquanto representação: Ele gostaria de ser H, o spin governante tirano que inventou a Segunda Mundial, e nem vou escrever o nome dele pq as palavras provocam o que elas simbolizam olham são e já fui atingido no rosto por dizer o nome dele e quando fui atingido tive que usar uma testeira vermelha por um bom tempo assim como se fosse e era bebê recém-nascido com uma testeira embebida em açafrão para afastar as descargas eletro(magnéticas) que entram pela face rasgam o corpo e saem pelos pés
Ah, mas são tantas as obras que levei para o spin médico, não o médico tirano, este não viu os meus personas mas apenas o meu rosto civil mas isso estava escrito conforme me foi revelado num sonho: Verão o teu rosto e não saberão quem és
Mudando de assunto...
A Ida ao Desdobramento - 1/70 (Sat 13)
Você nem entendeu o significado do que foi escrito pelo spin topiquista
Pois vamos desdobrar, o lance agora é, conforme a revelação desta noite, desdobrar
Lance ou sequência ou (con)sequência, tanto faz
Então vamos desdobrar o título
Ou a folha. Folha ou jornal ou bandeira, tanto faz
O Jornal!
Sim, agora me lembro, ah como é bom escrever,
É escrevendo que lembro das coisas
É escrevendo que sorrio e sem riso minha mão fica invisível como se fosse e era a morte
Já fiz o teste: Mandei alguém ficar sério enquanto olhava fotograva minha mão esquerda em concha em direção a ele(carranca)
Ao ver a foto notei que minha mão estava invísvel
Mandei ele sorri e a mão reapareceu materializou-se
Pode até ser que isto tenha uma explicação física, quem sabe a foto tenha sido saturada, pois faça você sua própria experiência, quem sabe assim você descobre por si mesmo a importância da abertura recepção em forma de riso
A Ida ao Desdobramento - 1/70 (Sat 13)
Estou me esquecendo de uma coisa: Passar no colégio X para mandar a diretora levar os alunos ao museu e não para o Banana Shopping
Qual museu?
O Centro Cultural UFG - Clique aqui
Gosto muito de lá, eles abriram a porta para mim quando eu era apenas um enredo. Enredo ou possibilidade, tanto faz
E não há nada melhor na vida do que alguém abrir a porta para você quando você não é nada, a não ser  uma pessoa que erra erra e erra
Pois abrir a porta paras as pessoas definidas é tão fácil
Quero ver você abrir a porta para um esboço
A Ida ao Desdobramento - 1/70 (Sat 13)
Ah, esqueci de dizer que Sat 13 é uma referência ao mês de Saturno e ao ano 2013
Neste mês de Saturno não posso ter mais 70 obras da série desdobramento, sendo que quando chegar Urano podemos ter mais 70 D, enumerados de 1/70 a 70/70
Explicar isso já é em si um desdobramento, ah sabes de uma coisa, estou louco para por a mão na massa para ver como é a coisa, eu havia me esquecido da palavra desdobramento e lembrei-me por causa do sonho desta noite
No sonho, quer dizer, na revelação, vi-me num ponto de ônibus, movimentação, etc etc etc até que vi a obra sobre a mesa,,,como não relatei  o sonho logo após a acordar conforme me orientou o spin curador, esqueci tudo,,,só resta a lembrança da obra sobre a mesa,,,uma face da folha rosto estava oculta, o que foi exposto no processo de desdobramento,,,vc estão vendo que já estamos no segundo momento do processo narrativo sensorial transportador, denominado FORMA e, após isso, entraremos na parte do CONHECIMENTO, assim teremos passado pelos estados visionário, formal e cognitivo do ser ou, como queiram, pelos códigos 1, 2 e 3 da vida. Ah, e o bode, onde está? Não havia me perguntando sobre isso. O bode é o grande problema: Está por aí, nas redes sociais, precisamos desatá-lo para não vermos nosso país sendo apossado por aves de rapina que, no momento, sobrevoam os céus só esperando o momento do bote final, seu agentes estão em terra insuflando atiçando e já pensam em por armas nas mãos dos ensandecidos que nem desconfiam que foram transformados em marionetes de nosso inimigos que não querem outra coisa senão o pré-sal nossas riquezas
As pessoas se esquecem que um presente pode ser dado em três condições: Como agradecimento, perdão ou compra
Quando do descobrimento deste país os colonizadores nos deram presentes como forma de conquista, nós, quer dizer, os índios dos quais herdamos muitas coisas através das mitocôndrias no desdobramento sequência MACACO MITO MITOCÔNDRIA, essa lei que vem desde quando ainda éramos macacos de mãos humanas ou, como dizem, hominídeos
Eu não sou colonizador e por isso não dou presentes para conquistar
Dou presentes para agradecer
Nem dou presente enquanto pedido de perdão: Para meus inimigos dou dinheiro
Para meus amigos até posso dar dinheiro também, mas não enquanto perdão
Nem enquanto obrigação
Para meus inimigos, estes pastores que roubaram aquela pobre mulher que estava desesperada na rodoviária
Ela foi assediada espiritual sexual e materialmente
Foi roubada por estes que se dizem salvos

26/06/2013

Ida ao Dr. Paulo Ramos - 1/70 (Sat 13)

Atualização - Não achei a foto que vi quando fechei os olhos para ver, ah, acabei de atualizar o mensário de saturno - CLIQUE AQUI

No momento são 06:44, agora mesmo. Acabei de acordar. Como costumo fazer, fico uns minutinhos sobre a cama antes de colocar os pés no chão. Trata-se de uma recomendação de meu pai quando da nossa infância na roça, onde comecei a trabalhar aos 4 anos de idade roçando ateando fogo catando resto de madeira carbonizada que sobravam após a queimada, íamos formando um monte e, depois, mais fogo, meu pai chamava o vento com assobios, ao anoitecer ele nos banhava no pequeno riacho, lembro-me com clareza pq isso ficou incorporado à minha memória afetiva, pois o ato dele passar sabão na gente e nos mergulhar no riacho e depois nos colocar sobre as pedras para secarmos era o único contato físico que tínhamos, meu pai não era de contato, era muito carrancudo, bem distante neste sentido, por isso entrava em crise quando o via cuidando dos bichos, estes sim, ele tocava, acarinhava, passava horas e horas alisando as vacas mas nós nem pensar, era só taca, outro momento de contato físico que guardo até hoje era quando ele lavava nossas mãos para nos dar manga descascada que saboreávamos com aquele sabor de coisa dada pelo pai, hum que delícia, me  veio agora na mente outra lembrança, a primeira vez que tomamos refrigerante, o bicho entrou rasgando de tão forte, demorou anos para tomar o segundo guaraná, quando fui prá cidade de Sambaíba - Bacia Rio Balsas, ele nos levou para estudarmos, fui matriculado na Escola Estadual Dr. Paulo Ramos, naquela época o estudo era muito bom, educação de qualidade, as professoras vinham da capital, a Professora Fátima Torres era da qual mais gostava, ela era professora de português, eu sempre gostei de História mas a professora era carrasco, o que fazia jus àquele período de ditadura, mas sempre gostei de história mesmo não gostando da professora por seu estilo carrasco. k
Me veio à mente uma lembrança de volta ao interior roça rural mas esqueci, caso me lembre eu conto
Ah, as fotos..,,,,
No momento são 06:56. Eu fiz uma coisa errada. Senão vejamos: Quando fechei os olhos enquanto esfriava o corpo conforme a recomendação do meu pai, vi-me ali no começo da década de 70 no Colégio Dr. Paulo Ramos, em Sambaíba - Bacia do Rio Balsas. Ah, não estranhem o nome deste Estado Província "Bacia do Rio Balsas", é que a realidade do spin é outra, lá não existe essa coisa de Maranhão, Goiás, São Paulo, no lugar desses nomes existe Bacia do Rio Tietê, Bacia do Rio Meia Ponte, Bacia do Rio Tocantins.
Tendo informado acerca dos sobrenomes das cidades, vamos então ao que já deveria ter sido escrito, o sonho desta noite, ah, mas não foi sonho e sim coisa que vi quando fechei os olhos enquanto esfriava o corpo ou quando fechei os olhos para ver. Conforme me disse o Dr. Goya, spin interlocutor, humano, era para eu anotar os sonhos logo ao acordar pois anotar ao não fazer isso e deixando para depois eu perderia muita coisa, ele tem razão, já me esqueci de tudo, lembro apenas de uma foto no Colégio Dr. Paulo Ramos, vou ver se acho, em algum site, eu tinha várias fotos, até do meu bisavô paterno, que conheci quando ele tinha 99 anos, firme que só, mas que morreu de uma queda tempo depois, ele me pareceu ser um chinês, sei lá se não era, assim meio oriental, bem pequeno, mas e a foto...ah, vou procurar, um momento,,fui,,,agora são 07:04

25/06/2013

Ida a Rede*** - 1/70 (Sat 13) *** Favor não confundir com a Rede da Marina Silva



Jorge Luiz Souto Maior- Vencendo o terrorismo do medo
O MEDO - Todo mundo mostrando o rosto, isso é bom. Muito bom o texto, mas não se trata exatamente de medo mas de ligar as antenas até mesmo pq gato escaldado tem medo de água fria e quando vemos sendo tomado por pessoas que pedem o retorno da ditadura, com manifestantes pedindo isso, eu mesmo não deixo de ter medo, se bem que o correto mesmo é nos aproximarmos e enfrentarmos o objeto do medo, muitas vezes o pitbull só está querendo um carinho no gogó e se não nos aproximarmos, se não pegarmos na garganta do bicho ou, como dizem, no chifre do boi, continuaremos com medo, pois de longe toda serra é azul. Vamos portanto ver de perto. Verde perto. Verdeperto. Ah, fiz este comentário baseado em sonhos, quer dizer, revelações, prefiro este termo, a contradição se elimina com a contradição, ou seja, com a sua manifestação, se a doença não se manifesta não tem como ser tratada, proximidade então.

20/06/2013

Ida ao Museu - 2/70 (Sat 13)



Não sei explicar, aliás, há coisas que nunca sabemos podemos explicar
Estou me referindo à mudança invisível que se processou no museu
Explico:
É que a coisa mudou, não sei pq
Mas alguma coisa mudou entre um instante e outro
Talvez tenha ocorrido a compreensão
Ah, agora sei, produzi aquelas obras sem ver, de fato aquele livro arte tomou forma no exato momento em que foi entregue ao destinatário aos cuidados do spin museólogo
Não sei o que ocorreu mas mudou alguma coisa no meseu, não sei foi a compreensão que baixou ali, talvez
As obras que vi ontem eram as mesmas que vi quando fui a primeira vez mas não eram
De fato não eram as mesmas
Eram as mesmas obras de dias atrás quando fui lá com a Dona Terezinha, com a qual realizei uma ação que resultou em centenas de fotos e videos, material que ainda não compreendi e, por isso está envolto de forma secreta, ainda não o trouxe para a luz, ainda não há compreensão, talvez quando a compreensão sobre isso chegar opte por destruir tudo, não sei pq nem gosto de ver estas fotos, veja você então, eu não consigo -  CLIQUE AQUI
Já estas, que são das mesmas obras, consigo ver, ah, talvez pq não estejam misturadas e sim separadas por temas códigos, como me recomendou um sobrinho autista, o Leandro,  ele me disse que misturo tudo,  ele não tem olhos mas vê, e dorme com uma máquina fotográfica na mão e passa a noite toda fotografando umas luzes do aparelho de som - CLIQUE AQUI
Voltando ao assunto, não sei pq me apaixonei por esta obra de Rosana Ricalde, lembro que na minha área de trabalho, digo o computador, havia uma imagem parecido com essa, mas não é este o motivo de ter gostado, gostei e estas coisas não tem explicação, remetem ao MAR sigla para Mensário Artístico para a Alteração da Realidade. Ontem quando desci a escada para ir embora depois da palestra do Armando Queiroz, me surpreendi quando vi que as obras haviam passado por uma alteração.
Como demora baixar um vídeo no Youtube: Menos de 1 minuto e mais de 1 hora para baixar, é o problema da resolução, usei o iPad, deveria ter filmado com o celular bodinho, esse sim, baixa tudo rapidinho, quanto a baixar fotos, problema nenhum, o gargalo é quanto aos vídeos, fazer o que, é ter paciência, vou baixar as votos depois volto com o video
Ontem no Centro Cultural UFG

P.S.- Talvez tenha sido meus olhos e não meus pés que tenham me levado a esta percepção, o lixo continuava lá, na rua, em frente ao museu, de forma que o problema não foi o lixo, o qual toquei com os pés  assim como se um pé fosse e é vinagre
(   ) Descontaminação
Os pés descontaminam aquilo que as mãos contaminam, falando nisso, notei uma falha ontem na palestra com o Armando Queiroz, ele perguntou como eram os mercados aqui e as pessoas informaram que não há, que Goiânia é uma cidade asséptica, ao contrário da Grande Belém onde, no Ver o Peso, o cheiro exala, alguns disseram ser devido a água que leva tudo ao apodrecimento, sei lá, pode ser,..mas no Mercado Central na rua 3 há muitos seres vivos e como há,,,dias atrás fotografei um belo rolo de fumo, vou mostrar pro Armando,,quer dizer, vou fotografar de novo pq naquele dia as coisas não estavam bem claras quanto aquilo,,,,usar este PS para uma nova postagem,,vou fotografar o fumo agora mesmo pro Armando, eu deveria ter falado mostrado para ele ontem a noite mas não pude partilhar do que eu sabia vi por causa da minha incurável timidez misantropia preciso de um médico e já o tenho - CLIQUE AQUI





O que fazer com todo este material: 592 fotos videos que fiz nos últimos dias, isto fora os quase 500 da série "Ida ao Museu"

Clique na imagem para ampliar

Ontem à noite, assistindo a uma palestra do Armando Queiroz, dentro da programação do Estação Videoarte, no Centro Cultural UFG, me chamou a atenção o momento em que ele mostrou um vídeo com os primeiros objetos dele, no início da década de 90.
O que me chamou a atenção é que ele guardou tudo num quartinho no apartamento dele, em Belém - (Nome do rio que banha a cidade em branco, pq não sei do qual).
Quando ele falou do início da trajetória artística dele lembrei-me que a minha começou no início da década de 80, e pela porta do medo, explico
Será que vou conseguir explicar, ah, já fiz isso para o meu médico, um momento, volto já
Preciso resolver o tópico deste post
O que fazer com todo este material que baixei agora mesmo do tablet iPad
 592 fotos videos que fiz nos últimos dias
A única solução é espalhar rapidamente este material através dos 70 blogs que compõem o Calendário do Spin
Isso
E o que fazer com o outros blogs tipo as 70 profissões, tem o jornal do spin no Tumblr
(   ) Desisto
Mas não vou desistir, pois é minha vida, minha história que vou contar aos trancos e barrancos, assim mesmo, sem compreender
Às vezes tenho adotado como solução destruir tudo, criar e destruir, foi o que fiz, por exemplo, ali por volta de 1982, quando produzi uma grande sequência, foram 30 dias enfurnado escrevendo desenhando comprando materiais nas papelarias e armarinhos para contar a criação do mundo,
Depois de uns 30 dias, encerrado o processo, cai na real, voltei a trabalhar e destruir tudo o que eu havia criado
Pensei que, com a destruição ficaria livre de tudo aquilo que me curou, aquele processamento em estado visionário, forma e conhecimento
Depois disso estes estados visão.forma.conhecimento voltavam à tona, às vezes quando queria produzir algo para dar de presente ao spin cantor ney matogrosso, quando acumulava notícias, revistas, jornais e tudo mais que existia na cidade e, a partir dali, (D)escrevi meu próprio mundo e, passado o surto, tudo voltava ao normal e, mais uma vez, destruia tudo
Falando nisso, o Google, a meu pedido feito por descuido, removeu este blog e foi uma luta danada para retomá-lo, por isso, como vocês veem na imagem no alto, a área de trabalho tem um anti-virus que havia sido removido por um hacker, nem sei foi a remoção foi provocada por mim, ah, agora lembro, a primeira remoção, ocorrida em 2.5.13, foi obra do hacker vampiro, ele removeu até minha conta de email com todas as minhas obras mais de 200 páginas sites blogs etc
Quando tentava recuperar minhas coisas, por descuido denunciei-me como SPAM, na verdade eu quis dizer que eu era um SPIN que estava sendo atacado por um SPAM e o resultado foi que os computadores do Google entenderam tudo errado e removeram minha obra como SPAM e, como é sabido por todos, quando o Google remove alguma página como SPAM não há retorno pois se trata de defunto sem choro ne vela mas, graças ao spin deus, a memória do spin foi restabelecida pelo Google
Estou dizendo isso para demonstrar o quanto tudo isso é efêmero
Por isso vou guardar as quase 600 imagens videos nos dias
E o material destinado ao médico, o que fazer, não sei, pois ocorre que o spin médico foi meu primeiro contato com o mundo exterior para mostrar minha arte e isso ocorreu ali por volta de 1983
O nome do médico era Carlos Lima Melo, assassinado recentemente, a foto dele está aqui
O processo consistia no seguinte: Atendendo ao pedido dele eu escrevia minha história, era uma montão de textos que as vezes resultavam em videos, fotos, objetos, instalações
Levava tudo prá ele, ficava lá por algum tempo, até compreender cair a ficha na real, quando voltava lá para pegar de volta e destruir
Destruia como forma de ficar livre para, tempos depois, começar tudo de novo





P.S. - Apesar das medidas tomadas para trabalhar num ambiente de segurança, enquanto escrevo este post as letras tremem, isso ocorreu quando da remoção deste blog em 2.5.13, depois que cliquei numa mensagem em árabe e, dizem os técnicos, os vírus mais perigosos vem daquela região do Oriente Médio, Ásia, Rússia, sei lá

P.S.2- Guardei esta obra no Armário 2 ou Dia 2 ou Espaço 2 - CLIQUE AQUI

19/06/2013

Spin Mensageiro

45- Hoje 19/6/2013 tem palestra no Centro Cultural UFG saiba mais no site Videoarte - Saiba mais

44- Do Luciano Hortêncio, pesquisador de música brasileira -
Amigo José Carlos: Por favor divulga esse meu trabalho. É fruto de 15 meses de pesquisa. http://blogln.ning.com/profiles/blogs/projeto-tom-brasil-m-sica-viva-identifica-o-de-t-tulos-int?xg_source=activity


43 - Visite o Jornal GGN - CLIQUE AQUI






42-  Mostre suas obras na  1ª Bienal Internacional de Ocupação Pública - Chave Mestra (RJ)

Recebi isso agora mesmo do artista multimeios e professor Antônio Pinheiro (RJ) Oi, Acabei de receber, não abri, logo não li... rssssss repassando.... bjus Antonio Prezados, Encaminhamos Edital e Termo de Compromisso para a participação na 1ª Bienal Internacional de Ocupação Pública - Chave Mestra. Esperamos que vocês participem e solicitamos que divulguem o mais amplamente possível. Obrigada, Diretoria Executiva


17/06/2013

Pronto? Ou: O Estranho Medo de Ontem

É a pergunta que faço no momento
Pronto?
É que às vezes me pego entre dois extremos
Proximidade x distância
Caos x cosmos
Criação x destruição
Prá que pretender a perfeição absoluta para, logo em seguida, proceder a destruição
E por acaso não tem sido esta minha sina
Às vezes destruição por minhas próprias mãos, outras vezes por outro
Finalmente esta obra adquiriu um formato, penso que sim, no entanto ontem agora mesmo, se não a destruí de fato, fiz isso simbolicamente e sem perceber
Ao concluir a obra fiquei rondando pela casa com aquela sensação de dever cumprido e perguntei-me
E agora?
Entrei no quarto planeta e pisei, sem perceber, sobre a língua de macaco, instrumento conhecido, também, como pente de macaco, que uso para massagear-me sorrir-me
Hummm,,,me deu vontade de usá-la agora, há tempo?
Tenho que sair agora, vou tentar
Um momento, vou gravar o vídeo agora mesmo, da Webcam
Todas as tecnologias à disposição, que tal, a partir de agora, por mãos à obra
E parar de enrolação, a cerca está pronta
Cerca ou forma ou jeito
Há uma avalanche de revelações sonhos não trabalhados
Há relatos e e mais relatos de ações não tornadas públicas
Ontem mesmo no final da tarde voltei  àquele hospital de onde sai apavorado após notar estar sendo observado por um grupo de pessoas, se fosse uma só não teria prolema, mas um grupo inteiro?
Quem gosta de grupo é abelha, essa coisa de enxame não é comigo, sempre trabalhei a sós, lá na roça era assim, me isolava no canto do arrozal para colher, meus irmãos eram gostavam de estar em grupo, não eu, talvez por isso, daí, o medo, sei lá, só sei que entrei em pânico e cheguei-me a me ver como na obra O Grito, de Munch
Só que, desta vez, encarei meu próprio medo e voltei ao local para ver o que havia de tão aterrorizante ali e vi somente amigos, eu não sabia que haviam pessoas perto de mim, naquele momento em que entrei em pânico não haviam ou, se haviam, não percebi, talvez um daqueles que me olhou era meu amigo, eu deveria ter chegado perto para ver quem era
Quando voltei à noite para procurar saber quem havia me olhado o clima era outro, aquele grupo já não estava mais lá, os guardas me informaram que que eram jogadores de um time de futebol
Agora sei, o medo
Eu deveria não ter fugido daquele local naquele momento, vai ver que era um aliado que, tomado por um medo avassalador, impedir de ver, não pude chegar perto
Não vou me perdoar tão cedo, tenho que descobri quem eram aquelas pessoas, que time era aquele, seria o pessoal do Monte Cristo?



16/06/2013

O que há de tão proibitivo num hospital? Ou num cemitério

O que é que há mesmo
Incrível o perigo que ronda os prontos socorros, locais de semi-mortos, e cemitérios, locais de mortais
Parece uma sina
São os lugares onde mais corro risco
Onde os marginais estão de plantão à minha espera
Isso já se repetiu várias vezes e aconteceu de novo
Tive que pedir um táxi e pedir que este subisse a rampa da emergência para que eu saísse dali sem que os marginais que estavam lá fora não me visse
E não somente lá fora
Quando entrei naquele PS como forma de disfarce pensei estar protegido mas não estava, senão vejamos: Cheguei à sala de espera e vi um paciente com o braço numa tipóia
Eu: O que foi?
Ele: Cai de moto e cai de braço
(Neste momento o telefone tocou e parei para atender. Olhei para trás e vi um grupo de uns 10 homens todos me olhando ao mesmo tempo. Nunca senti tanto medo, não entendi o motivo de todas aquelas pessoas estarem me olhando, claro, saí rapidamente, foi quando liguei para o táxi, aprovei o táxi para tirar algumas fotos revelação na rua, vim embora prá casa e dormi e, dormindo, vi que eu estava na rua e ia mandando flashs da minha ação até chegar a rua definitiva. Queria tanto realizar isso agora mas tenho medo, eu gostaria muito de saber quem são aquelas pessoas que estavam me olhando, qual o motivo, se algum deles me conhecem. Vou lá, se eu não voltar é pq morri, fui)

14/06/2013

A Maldade Enquanto Representação

E por acaso há alguma diferença entre o mau real e o representado encenado disfarçado
Não há
Isto pq há somente uma realidade: O SPIN
Sem essa de que estas notícias de spin assaltantes ateando fogo nas vítimas sem dinheiro podem ser mostradas na TV
Não podem, não por questão de censura mas de defesa, pois que na realidade spin as palavras provocam o que elas simbolizam olham são
Lá não há nenhuma diferença entre doença e crime, tudo é passívo de cura, o que não ocorre com a propanda notícia de certas monstruosidades que, sim, devem ficar restritas ao consultório médico, jamais trazidas a público, nem mesmo certas obras da minha autoria, isto por uma questão de incompreensão inacabamento
Continua no rascunho do spin (aqui)

11/06/2013

Som na Caixa ou: Lembretes para Depois

Agora mesmo ouvi uma voz: Cai fora!
Era o spin vmapiro
Até parece que vou segui-lo
Daqui não saio daqui ninguém me tira
Pára de onda onde vem cá
Cai nos braços, é isso que vc quer, não se importe
Não se importe com o que os outros vão pensar
Vem
  

Consta ai nesta imagem que Ney canta Bandido mas na verdade se trata de São Vicente

Veja na aba esquerda da imagem acima que me é recomendada a musica "Existem Coisas na Vida", som na caixa 

Rui Veloso

Trabalhe num Ambiente Seguro ou: Voltei ou: O Google Restabeleceu Minha Memória ou: O Spin Spam Vampiro Abu Foi Derrotado ou: Acabou a Abdução

Atualização - 11/6/2013
Ah, antes de tudo agradecer a todos que se empenharam para que o Google restaurasse o Túnel do Spin 
Agora sim, voltou a me lembrar dos meus sonhos, vejo que minha memória cabeça está fresca, até esfriou, grato grato grato grato inclusive grato ao Google depois de tantos dias de sofrimento bode banzo

Clique nas imagem para ver 



Continuidade >>>>>>>>>>>>



A História do SPIN