26/07/2011

Arte em Processo (Conversa com Carlos Sena)

Atualização - 13/8/2011

Interferência sobre foto do Centro Cultural UFG, por Hélio Sperandio, via blog Fernandosimon-arq  aqui

E aproveito a oportunidade para publicar este email/convite do Carlos Sena:

Caros amigos,

anexo a belíssima imagem do Hélio Sperandio, de um ensaio sobre o Centro Cultural UFG, encomendado por uma importante revista de Arquitetura, para ser publicada e difundida por toda América Latina, e que de antemão, tenho a grande satisfação de partilhar um pouco disso, com vocês.

A propósito, acabo de ser comunicado pela assessoria do Marconi Perillo que o meu nome foi indicado entre os que nesse ano, serão contemplados para receberem a Comenda de Honra ao Mérito - Anhanguera (dentre outros, estão também os nomes do Pitágoras, Anselmo Pessoa e do Divino Sobral). Pitágoras, bAnselmo e Sobral têm seus méritos próprios para receberem tal homenagem, mas, quanto a mim, eu creio que essa indicação, foi pelos trabalhos que estamos desenvolvendo no Centro Cultural UFG, e dentre eles, o Salão foi um dos seus momentos mais marcantes.

A cerimônia da entrega das tais comendas, será dia 27 de julho de 2011, quinta feira, às 10:00hs na Cidade de Goiás, durante a transferência simbólica da Capital do Estado para aquele município. Se puderem compareçam, se não, mandem uma boa vibração!

Abraços,

Carlos Sena


Minha mensagem ao Carlos Sena:
Olá Carlos Sena, obrigado por compartilhar a boa notícia, e aproveito para pedir que confirme a data, no convite oficial é dia 26 mas no seu texto consta dia 27.  Dando sequência a um sonho de dias atrás, fiz uma interferência na imagem,  dá uma bela camiseta, vou pensa nisso,  e assim dimensiono mais um pouco o que eu vinha fazendo,
Grato,
JCL

Oi Zé,

o convite oficial consta dia 26, mas a cerimônia foi adiada para o dia 27 - quarta-feira.
Ficou bacana a intervenção na foto do Hélio Sperandio.

abç,

Carlos Sena

Em 23 de julho de 2011 18:40, José Carlos Lima

Sena, obrigado pela resposta.
O texto que segue não é uma resposta à sua mensagem, e sim o aproveitamento de uma oportunidade para escrever
Há dias que vinha publicando sonhos, processo encerrado
Houve até uma prova final, cuja postagem foi publicada ontem
(   ) Fim da primeira fase
Entro agora na segunda fase
Nesta nova etapa me apropriar-me-ei de coisas da realidade comum em direção ao sonho
Quer dizer, não mais partirei do sonho em direção a realidade, o caminho será inverso, bom que se repita.
Como será a nova fase, exemplo:
Ontem à noite, vindo para casa, caminhava pela avenida anhanguera comendo  biscoito waffer  quando se aproximou um senhor
Ele: Você me dá uma bolacha
Eu: Pois não. O senhor é de onde?
Ele: de Mossoró
Eu: Vc chegou hoje?
Ele: Faz dias mas estou na rua
(Enquanto conversa com o transeunte me lembrava que eu havia sonhado com aquela situação, a frase "incluir no sistema" e a imagem de uma longa ponte sobre o mar ligando países ou cidades ou indivíduos).
Ao olhar para o chão vi umas penas de pássaros, o que fez lembrar-me de um sonho no qual vi-me vendendo penas de pombo no centro da cidade.
Mais à frente um galho seco que me lembrou uma espinha de peixe
Andando mais deparei-me com umas folhas secas nas quais eu poderia escrever ou olhar ou ser.
Recolhi as penas e o galho seco, esquecendo-os sobre a mesa do bar, ao voltar haviam confundido minhas obras com lixo, o caminhão coletor havia levado tudo sem perceber que aquilo era não era lixo e sim material artístico, como tudo o que sonhamos.
Incrível como acho-me desaparelhado para avançar nesta segunda etapa do processo, uma vez que eu deveria ter em mãos instrumentos de expressão tais como: máquina fotográfica e de vídeo, lápis, papel.
Tenho as máquinas, no entanto não consigo organizá-las de forma a usá-las, encontrando-se portanto dentro de umas caixas, os fios se misturaram, não sei onde se encontra por exemplo a bateria.

Uma dúvida: Não sei ao certo se devo me apropriar de coisas da realidade na direção de algum sonho ou se, avançando mais um pouco, devo transitar na direção de um imaginário pessoal, um mundo particular.
Não sei.
Agora sei.
Tanto faz.

Quem sabe inicio aqui uma nova série onde eu parta da realidade em direção ao sonho e não o inverso, como ocorreu até agora.
Ainda não sei, abaixo a interferência na realidade a partir de um sonho, a imagem original aqui



Atualização - 5/8/11

Já há alguns dias não atualizo o blog, a minha rotina foi quebrada pela hospedagem de uma amiga, que carinhosamente chamamos de Bela. Foi-se embora ontem. Ela é irmã de um amigo falecido num acidente de trânsito. Era o Hortêncio, mais do que um amigo, era como se fosse um irmão. Ele sempre hospedava aqui em casa, de uma certa forma ter a Bela aqui por estes dias foi como ter o Hortêncio em nossa companhia, na despedida choramos bastante, não comentamos mas, no fundo no fundo sabíamos que era por causa da ausência do Hortêncio. Muito complicado esta coisa de morte.

Quanto a ausência de novas postagens no blog. Não sou de forçar a barra. Não quero me sentir obrigado a blogar, a troco de que mesmo. Estou entrando de férias, retorno lá pelos idos de setembro, até lá não sei se vou publicar novos posts, e falta de assunto não é, tenho tido ótimos sonhos artísticos e não tenho ligado para tais conteúdos, se bem que ele dariam boas obras, o "ou", nuvens em formação de boiada (a boiada era real quando pensei que era nuvem), assédio moral no trabalho, a rudeza (só mesmo a arte para convivermos com o rude, com as mesquinharias do dia-a-dia, fazer arte termina sendo uma válvula de escape, não sei se devo fazê-lo como arte ou com anamnese). Nesta noite sonhei com Ney Matogrosso cantando Tigresa.

Fui

Ah, estou pensando em fazer alguma coisa palpável, devo ter enjoado mexer com sonhos. Por isso estou preparando um cantinho aqui em casa. Será um espaço sensorial onde farei coisas, ainda não sei o que. Digamos que seja o Teatro Spin, eu tinha um blog com este título, cadê mesmo, devo ter deletado. Vou refazê-lo. Achei, ainda está aqui. Não. Não quero este novo blog, vou usar este mesmo. Teatro ou Igreja, tanto faz. Mas nesta noite sonhei que não se pode abusar do "ou". Ou se trabalha ou se espreguiça. Não é a mesma coisa. Não se pode usar o termo trabalhar ou espreguiçar, pelo mundo neste mundo cartesiano ou escravocrata.  Precisamos sim da arte como válvula de escape para melhor vivermos neste mundo que tende ao massacre. Viva os   70 anos de Ney Matogrosso, uma figura que faz-nos voar e que nos dá asas à imaginação.

Fazendo um spin na rede: 1- Do Estadão, por Wilson Yoshio,  no LNO:  Os bastidores da demissão de Jobim 2- Luis Nassif: A importância da escolha de Celso Amorim 3- Rodrigo Vinna, postado por Davi Vieira, no LNO: A pauta da Globo para Celso Amorim

4- Luis Nassif:  Os hinos brasileiros 


5- Centro Cultural UFG - Projeto Fernando Simón entre os três finalistas em premiação na área da arquitetura.

Meu comentário
O Centro Cultural UFG fica aqui perto de casa, trata-se de um espaço onde já ocorreram importantes eventos em várias áreas da cultura: literatura, música, artes plásticas. Parabéns ao Carlos Sena(segue email) pelo empenho:

Caros amigos,

é com grande satisfação que lhes comunico que  O Centro Cultural UFG - Projeto de Fernando Simón está entre os três finalistas da
 
Categoria Edifícios Institucionais - Lazer no Prêmio Melhor da Arquitetura 2011

abs,

Carlos Sena
De: Melhor da Arquitetura <MelhordaArquitetura@abril.com.br>
Data: 1 de agosto de 2011 19:44
Assunto: Parabéns! Você é um dos finalistas do IV Prêmio O Melhor da Arquitetura.
Para: "fernandosimon.arq@gmail.com" <fernandosimon.arq@gmail.com>


Caro arquiteto,
Comunicamos que seu escritório é finalista no IV Prêmio O Melhor da Arquitetura, organizado pela revista Arquitetura&Construção.
Os projeto que segue na disputa é:

Categoria Edifícios Institucionais - Lazer

O material para esta segunda fase deve ser enviado impreterivelmente até dia 22/8.
Para conferir o material necessário, por favor consultar o regulamento no site: www.melhordaarquitetura.com.br
A festa de premiação acontecerá do dia 31/10.

Estou á disposição para qualquer esclarecimento,

Atenciosamente,

Cristina Wehba
Prêmio O Melhor da Arquitetura
Revista Arquitetura & Construção
tel. (11) 3037-5467

6-  André Santiago, no LNO, emm comentário à postagem "Os 70 anos de Ney Matogrosso"




Amigo IV Avatar, este vídeo é histórico. Trata-se do primeiro videoclipe realizado no Brasil e exibido no Brasil. Interessante se notar que naquela época o nosso país era selvagem, as matas e rios intactos, de forma que a música "América do Sul", cantada por ney neste vídeo Ney foi uma profecia que anunciou a devastação de nossos dias. "O videoclipe chegou ao Brasil em 1975, no programa Fantástico da Rede Globo. O primeiro clipe foi da música "América do Sul" de Ney Matogrosso"
Link:  http://pt.wikipedia.org/wiki/MTV_Brasil

FONTE: http://www.advivo.com.br/blog/iv-avatar-do-rio-meia-ponte/america-do-sul-o-primeiro-videoclipe-brasileiro 

07- Brizola Neto: A Globo vai virar vivandeira de quartel?

08- Inteferência - III
Celso Lungaretti: It´s a long way

09- Interferência - IV


Tuca Vieira:  A noite em Berlim

10- Mario Biselli: Croquis

11- Junior50: A pauta da Defesa

12- Maurício Machado e Luis Nassif: Uma aula política por Fernando Limongi

13- Paulo Henrique Amorim: PIG(*) instiga militares ao Golpe

14- Raoscandiuzzi/Rede Brasil Atual, via Wilson Yoshio, no LNO:  A luta de uma mãe do menino assassinado por homofobia

15- ColetivoF5: Cinemagraphs, Fotos que se movem

16- Marcos St.: O insuperável O Globo

17- Globo/G1, via LNO: Globo divulga carta com princípios que não segue

18- Intervozes: Concessões de Rádio e TV

19- Cláudio Ribeiro: Imprensão não deu importância: Ipea apurou melhor distribuição de renda em 50 anos

20- Luiz Braz/Rede Brasil Atual: Justiça restaurativa é alternativa para lidar com bullying

21- Maria Conceição Tavares/Carta Maior: "Colapso do neoliberalismo sob o tacão dos ultra-neoliberais: é a treva!”

22-  Heloisa Vilela: Um susto com os preços no Brasil

23- Gleidson Renato Martins Dias: Da necessidade de um novo paradigma para a segurança pública no Brasil

24- IV Avatar do Rio Meia Ponte: Não ao exame da OAB

25- Cee Loo Green: Fuck you

26- Nesta noite dormindo ou sorrindo sonhei ou olhei ou vi ou fui isso: O blog 68 de Edson Barrus

27- Ney Matogrosso: Bicho de 7 cabeças

28- Centro Cultural UFG: Conjunção

29: Muito bom este texto, para quem conhece o Carlos Sena não há como não sorrir da situação, uma vez que se trata de figura avessa a formalidades como estas da  Comenda de Honra ao Mérito - Anhanguera

30- Nassif: O segundo tempo da crise global

31- Tonho Crocco: Rap contra o aumento dos deputados resulta em processo

32- Venício Lima: Globo: princípios, credibilidade e prática

33- João Brant: Telebrás, 13 anos depois

34- Da Folha, por Miriam L, no LNO: As mulheres assassinadas no Brasil


35- João Paulo de Paula Silveira/UEG-Iporá-go, no LNO: Modernidade ambígua

36- Luiz Carlos Azenha sobre o derretimento da globalização - Onde é que você estava em agosto de 2011?

37- Silas Malafaia e os livros proféticos

Comentário ao post  "Os livros proféticos"

"(...) o fim do anti-comunismo e do mundo bipolar será prejudicial ao poder imperial  e à economia  americana(...)"
Quero fazer aqui minha profecia: o fim da homofobia, do mundo odioso,  será prejudicial ao poder imperial  e  ao bolso do Silas Malafaia/Assembléia de Deus. Ele(MalaFAIA) precisa dos "pecados" do outro para faturar mais e mais, haja picaretagem, hipocrisia e tudo mais.




38 - Carta Maior, por Marco Antônio L. - A posse de Celso Amorim

39 - Luis Nassif-  Amor de perdição: Globo e Kamel

40- Gunter Zibell-  Homofobia: gay de 61 é morto a pedradas em Florianópolis

41- Folha- Os governos e o mercado financeiro na crise

42- Nassif- O Brasil no meio da crise global

43- Enquanto isso os EUA é saqueado pelo mercado. Altamiro Borges: Bancos roubam U$$ 16 trilhões nos EUA

44- István Mészáros - É necessária a erradicação do capitalismo

45- A crise mundial, por Paulo Donizetti de Souza: Minoria rica e cega

46- Não compre seu tablet agora, aguarde um pouco. Da Band, por Foo, no LNO: Os tablets produzidos no Brasil

47: Ig, por Nilva de Souza: DEM escala jovem da periferia para defender "direita"

48- Caro(a) spinauta,  peço seu voto para o Centro Cultural, a arte agradece

Em 8 de agosto de 2011 19:39, Carlos Sena Passos escreveu:
Oi Pessoal,

começou a votação para o Prêmio Melhor da Arquitetura 2011.

Confira e vote:  
http://app.casa.abril.com.br/p​remio/votacao/lazer.php
Grato,

Carlos Sena


49- Wilson Vieira/Cinegnose: A ilusão do discurso da ética

50- Marco Aurélio Mello- Caos aéreo: Culpa do Amorim ou do Fantástico?

51- Eduardo Guimarães - Parla Dilma

52- André Barrocal: Padrão de relação de Dilma com partidos não dura muito

53- Emir Sader: A orfandade das derrotas

54- Renato Rovai: Dilma e a montanha russa enferrujada

55- Mino Carta: 

"(...) Vivemos em um país desmemoriado, mas a recordação dos comportamentos do jornalismo nativo em relação ao governo Lula é recente demais para ter sido esquecida. Intérprete dos sentimentos da minoria abastada e dos aspirantes ao alpinismo social e financeiro, a mídia esmerou-se anos a fio na exposição do seu ódio de classe em relação ao metalúrgico sentado no trono, homessa, quanto desplante.

Nos começos do governo Dilma, houve manifestações em sentido oposto, de simpatia pela presidenta. A sinceridade do sentimento talvez fosse discutível, pois estava claramente embutida na nova doutrina a intenção de afastar a criatura do criador. Desperdício de tempo, palavras ao vento e papel impresso. Como a presidenta faz questão de acentuar, a ligação entre os dois não sofreu qualquer abalo.

A estratégia fracassou e a tática agora é a de suscitar problemas. Os perdigueiros da informação com fervor se aplicam a levantar, dia após dia, casos melindrosos, com a transparente intenção de criar problemas para o governo. A entrevista da presidenta mostra-a capaz de uma avaliação de todo isenta. Denúncias fundamentadas merecem de fato ser apuradas sem condescendências, ilações apressadas, quando não tendenciosas, cabem à perfeição na lata do lixo. (...)" Para ler o texto na íntegra clique aqui

56- Brizola Neto-  A oposição dita a pauta,  porque a oposição é a mídia

57- Raoni Scandiuzzi, na Rede Brasil Atual-  Dilma diz que SUS adotará sistema de internação domiciliar

58- Dilma no CE- Estamos vencendo o pensamento do atraso (vídeo)

59- IV Avatar do Rio Meia Ponte-  O incrível AA dizendo que "havia modos" na corrupção tucana

60- O Globo, por Nilson- A juíza que enfrentava as milícias

61- Miguel do Rosário sobre a popularidade de Dilma no IBOPE- É a saúde, estúpido!

25/07/2011

Arte em Processo (Prova final)


Dormindo sonhei ou fui um professor....eu
Comecei a andar por sobre a grama e, em seguida, afundei no pântano
Tropecei aqui e acolá e, ao final,  a minha roupa estava encharcada de lama

Em seguida relatei o sonho num papel

Um professor avaliou minha redação, tendo recomendado que fosse usado o termo "sorrindo" ao invés de "dormindo"
Sorrindo ou dormindo, tanto faz
O professor me deu nota 1c (em vermelho)
O 1 deve simbolizar 1 ponto e o c de certo

Fazendo um spin na rede

SP e RJ reagem a aumenta de agressões contra gays

Luís Bulcão e Vagner Magalhães O aumento do número de casos de agressões a gays nos últimos meses forçaram os dois principais Estados do País a reagir. No primeiro semestre deste ano, a Secretaria Estadual de Justiça e Defesa da Cidadania de São Paulo já abriu 40 processos por crime de homofobia. O número é superior ao de todo o ano passado, em que o total de casos encaminhados alcançou 33. No Rio de Janeiro, a prefeitura chegou a criar esse ano a Coordenadoria Especial de Diversidade Cultural (Ceds), que concentra as denúncias de ataques contra homossexuais na cidade.

O texto na íntegra  aqui>>>>

Capas de disco
Outras capas de disco aqui >>>>>


Encontro Mundial de Blogueiros em outubro

Do blog Participação Social:

Está confirmado o 1º Encontro Internacional de Blogueiros, de 28 a 30 de outubro, em Foz do Iguaçu. O evento vai discutir “O papel da globosfera na construção da democracia”.

São esperados internautas dos Estados Unidos, Europa, Ásia, África e América Latina.

Dentre os convidados internacionais estão o francês Ignácio Ramonet, criador do jornal Le Monde Diplomatique; o espanhol Manuel Castells, autor de diversos livros sobre a cultural digital; a norte-americana Amy Gooldmann, responsável pela rede “Democracy Now”; o espanhol Pascual Serrano, blogueiro e fundador do sítio Rebelion; o blogueiro cubano Iroel Sanches; o coordenador da campanha de Ollanta Humala (Peru), Elvis Moris; o argentino Pedro Bringler, blogueiro e diretor da TV Pública da Argentina.

Há grande expectativa mundial sobre o Encontro Internacional de Blogueiros, uma vez que um dos principais convidados internacionais é o Julian Assange, criador do Wikileaks.

Wikileaks é uma organização transnacional sem fins lucrativos que publica em seu site posts de fontes anônimas, documentos, fotos e informações confidenciais, vazadas de governos ou empresas, sobre assuntos sensíveis. Pela importância e repercussão que teve no mundo nos últimos meses, o Wikileaks e a forma como os governos e empresas de comunicação tratam as informações, devem ser alguns dos principais temas a serem debatidos no Encontro Internacional de Blogueiros.

Sobre o papel da “Globosfera no Brasil” deverão dividir mesa de debate: Paulo Henrique Amorim (Conversa Afiada); Luís Nassif (Blog do Nassif); Hidegard Angel (blogueira carioca); Esmael Morais (blogueiro paranaense).

Nesta semana, o blog oficial do 1º Encontro Internacional de Blogueiros deverá entrar no ar com a programação e dicas de hospedagens em Foz do Iguaçu.

24/07/2011

Arte em Processo (Nelson Cavaquinho)

Nesta noite dormindo sonhei olhei fui Nelson Cavaquinho......eu
No sonho ele teria sido chamado de Nelsinho Cavaco, um apelido do qual ele não gostaria
Vamos ao mestre, " Tire seu sorriso do caminho, que eu quero passar com minha dor!"

23/07/2011

Arte em Processo (Exposição coletiva)


 Dormindo sonhei olhei fui este quadro.....eu
A obra se encontrava em meio a outras, num grande salão
O evento era uma espécie de exposição coletiva, vários outros artistas estavam presentes
No sonho vi que aquilo era um Centro de Dedicação aos Indivíduos, um órgão do Poder Curador
O Poder Curador é a instância máxima da cidade-estado
O Poder Curador, de curar, existe no lugar do Judiciário, de julgar
É que para o Integral Perfeito é mais importante curar do que julgar

(   ) Incluir no sistema
(   ) Ponte ou linha sinuosa sobre o mar
..
No momento estou com uma tremenda dor de cabeça, deve ser resultado do estress, mil coisas para serem resolvidas, como fazer arte sob um clima tão adverso.

P.S. - Ao acessar a caixa de edição vi que alguém havia deixado um comentário no blog 73, na postagem
'Pós-modernidade e sofrimento psíquico. Foi quando me lembrei que faz parte do spin o novo calendário, já se foi o tempo em que eu podia me dedicar à obra como um todo. 
"(...) A necessidade de respondermos individualmente por nosso destino, sendo a
capacidade econômica o emblema de êxito ou fracasso nessa tarefa, diminui a
capacidade de encontro com o outro, proporcionando elementos necessários aos
padecimentos psíquicos contemporâneos. Assim como a histeria era o quadro que,
com sua psicodinâmica, denunciava o arranjo cultural da época de declínio da
modernidade, os sintomas psíquicos atuais podem ser vistos como ilustração da
tessitura multifacetada das instituições pós-modernas.(...)"
Aqui o texto na íntegra: http://josecarloslima73.blogspot.com/2009/02/pos-modernidade-e-sofrimento-psiquico.html

P.S.  Na mesma página onde achei a imagem acima na qual fiz interferência com o uso do power point há um  video da  filial da Globo no RS, sobre o uso das novas tecnologias em sala de aula, onde  papéis e canetas podem ser dispensados. Até aí tudo bem se não tivesse sido exposto em tal lousa  a  charge  'Lula em Nova York". Incrível como a  mídia nacional não desencana de Lula. O que será que Lula fez de tão grave, que crime deverá ter cometido para que se dissemine tanto desrespeito, tanta chacota contra o ex-presidente. Não perdem a oportunidade de denegri-lo, mas o que me chama a atenção é que essa ideologia reaça é transmitida em sala de aula. Praticamente todos os dias, de forma repetitiva, uma comentarista da TV Cultura, parecida com a boneca Barbie, ao referir-se a Era Lula usa o termo "Herança Maldita". Seria o inevitável acordo com o demônio para governar como se fosse possível se recusar apoio do baixo clero no Congresso, como se todos os governos não fossem obrigado a isso, etc etc. Ou será que o motivo do ódio contra Lula é por causa da inclusão social de 40 milhões de brasileiros, que passaram das classes D e C para a C?  Para assistir ao vídeo clique aqui

A este respeito leia isso:

  P Pereira, no LNO: Estou sem tempo para acompanhar todas as postagem , talvez já tenha sido colocado aqui o excelente texto do juiz de direito e escritor Marcelo Semer. Do Blog Sem Juízo
...o moderno reacionário é a porta de entrada do velho fascismo....
O rebaixamento do debate, a política virulenta, a banalização da violência e a criação de párias são o ovo de serpente do fascismo

Aqui o texto na íntegra: Os modernos reacionários

22/07/2011

Arte em Processo (Performance com dobras)

Dormindo sonhei olhei fui um amigo radicado em Brasília,  o artista plástico, Antônio Luiz Feitosa.....eu
Estranho escrever Antônio Luiz Feitosa....eu
Na verdade estou seguindo à risca o que vi no sonho, quando me foi dito que, durante o sonho, aquilo que vemos é sempe nós
No sonho o ALF....eu  realizava uma performance artística
A obra consistia em se estender um longo tecido com várias cores se aproximando do monocromático, o que interessava eram as dobras feitas pelo artista
O visual era muito bonito, depois da obra realizada foi mostrado o rosto de perfil do ALF, ele olhando para cima, foi quando percebi que muitos que moram na roça, como o ALF, são artistas, valendo o mesmo para pedreiros, faxineiros, etc.

O desenho abaixo não é meu, achei ao buscar no Google:

Quem é Antônio Luis Feitosa ou ALF, busca no Google: Clique aqui

P.S. - Para imergir neste processo narrativo pictórico sensorial transportador eu teria que comprar um longo tecido e repetir a performance apreendida durante a dormência, mas cá prá nós, como onde se o Poder Curador inexiste nesta cidade-estado. Fica portanto o vazio como protesto contra a inexistência de um lugar para arte por estas bandas de cá.
Fui.

Atualização - 08:00

Não tem nada a ver com a forma cartesiana de dobrar um tecido e sim o seu jeito artístico.
Ao final da apresentação da obra ou performance dobrando o tecido, vi o rosto dele.
E vendo aquele rosto de homem rural percebi tratar-se de um grande artista, talvez ele não soubesse nada a respeito de si, no entanto ele era sim um ser, o que percebi no rosto dele, como muitos outros que existem por ai, os quais passam despercebidos de nossos olhos comuns ou rasos ou superficiais.

08:10 -
Do Yahoo!
TRF acolhe denúncia e torna réus promotores envolvidos no mensalão do DEM


BRASÍLIA - A Corte Especial do Tribunal Regional Federal da 1ª Região acolheu nesta quinta-feira a denúncia do Ministério Público contra o ex-procurador-geral do Distrito Federal Leonardo Bandarra e a promotora Deborah Guerner, entre outros acusados de tentar extorquir R$ 2 milhões do ex-governador José Roberto Arruda. No total, 12 desembargadores votaram pelo acolhimento integral das acusações. Apenas o desembargador Jirair Meguerian pediu a exclusão de Bandarra e do empresário Marcelo Carvalho, principal executivo do grupo empresarial do ex-vice-governador Paulo Octavio até o início do escândalo do mensalão do DEM.  Saiba mais: Os promotores réus do mensalão do DEM

Isso é arte? A promotra Débora Guerner simula loucura para escapar de punição no processo do Mensalão do DEM/DF

21/07/2011

Arte em Processo (Roupa D)

Dormindo sonhei olhei fui um estilista....eu
No sonho o jovem modelo desfilava pelas ruas ou palco com uma mistura de terno e loucura
Na parte de cima uma roupa social e, na metade de baixo, totalmente o contrário disso, um tecido
que parecia uma malha com listas pretas e
brancas em sentido horizontal até um certo ponto, e a partir daí, em sentido vertical.

Resumo: blusa social + calça mais calça linhas retas com as pernas verticais, tipo p e b

Atualização - 19:46

A postagem está tão sintética que não há margem para cortes, no entanto falta-me aprofundar mais neste conteúdo, o que implicaria em encomendar uma roupa assim para ver como é. Hoje fiquei prestando atenção a um amigo que, após cumprimentar-me, seguiu seu caminho. Fiquei observando-o, ele usava calça jeans e blazer, tipo terno, fiquei imaginando como seria se, no lugar do terno, estivesse usando uma calça como a visualizada durante o sono. Sinto-me em débito para com este processo. É que gostaria muito de imergir mais,  colocar a mão na massa, trabalhar cada um destes conteúdos, trazer à tona tudo isso, transformar estas coisas em sons ou imagens ou objetos ou roupas, o que seria muito gratificante para mim, afinal de contas tudo isso tem como objetivo o meu próprio deleite. O problema é ultimamente estou sem tempo para tratar disso como gostaria, inclusive sem tempo para sair às ruas para comprar estes materiais que brotam dos sonhos. Com os materiais em mãos eu daria início à cada obra narrada nestas postagens, nesta experiência narrativa pictórica sensorial transportadora. No entanto, como no momento não há como concluir as obras como gostaria fica o registro do não realizado.

20/07/2011

Arte em Processo (Espinha de peixe)

Dormindo sonhei ou olhei ou fui a irmã de Edson Barrus.....eu
No sonho ela.....eu construi um varal de roupas em forma de espinha de peixe
A princípio não gostei da imagem abaixo,  uma referência ao cartesianismo ou racionalismo ou perfeccionismo dos dias atuais, no entanto o problema foi solucionado pelo Google, o qual apresentou-me uma espinha de peixe estilizada, a partir do seu nome, na página de busca. Grato, JCL



Drmindo sonhei ou olhei ou fui o artista multimídia Edson Barrus....eu
Encontrava-me na companhia de um amigo que faleceu há 8 meses, o Hortêncio.....eu
Chegando à casa do anfitrião.....eu, vimos que havia muita gente, ficamos ciscando por ali
Num dado momento uma irmã do Edson, com que incomodada com aquele tanto de gente na casa do irmão, saiu para ir embora
Não a deixamos ir embora,  puxamos no braço dela, de forma que a mesma retornou
Ela tinha cara de pessoa simples e parecia ser descendente de negro com índio, a cor jambo e cabelos pretos e lisos como os de uma graúna, aliás, para que mesmo estes detalhes é que não sei, até mesmo porque nos sonhos o outro é sempre o sonhador, ou seja, a irmã do Edson na verdade era eu.
Na parte mais ao fundo da casa do Edson......eu num grande salão, a irmã dele....eu estendi um arame no espaço.
[Os nomes riscados são uma forma de indicar que não se trata do outro e sim de mim mesmo]
A irmã de Edson.... eu, de posse dos arames, fez várias estruturas em forma de espinha de peixe.
Foi quando perguntei para ela: qual o problema.
Ela: falta de cerveja.
Eu: entendi, era a falta da cerveja, por isso ela havia ido embora
E aqui que entra o esquema espinha de peixe para a solução de problemas
Fomos comprar a cerveja.
Acordei.
[Afinal de contas, que sentido tem este relato senão a construção de uma forma a partir disso]

Atualização - 20:20 horas

Não sei porque, momentos atrás,  ou seja, de manhã, relacionei as imagens acima, devo ter acordado, e acordei, nas nuvens. Na verdade eu deveria ter trabalhado mais tal material, nem rola dar uma ciscadela e pronto. O objetivo é construir formas, dar visualidade, atingir o ponto do deleite, do prazer pessoal, etc etc

Afinal de contas, não sei aonde eu estava ao perceber relações entre as ervilhas de Mendel e a espinha de peixe, devo ter acordado nas nuvens
Chega
Fui

P.S. - Se escrevo de manhã apago a noite, eram excessos de elementos. O conteúdo que aqui se encontrava e que resolvi deletar está  aqui

19/07/2011

Arte em Processo (Sobreposição do "M" sobre o "O")



Nesta noite sonhei ou olhei ou fui O....M



Om

    Om
                                    Om
                                                          Om
                                                                                               Om
Agora sei, havia uma determinação ou poder
A palavra manda
Morte
Mrte
E foi-se afastando
Ele era tão perto oO M
(     ) Riscar o O e inserir o M

Om

   -------------------------------------- Om
                          --------------------------------------          Om
                                                   -------------------------------------------------       Om
                                                                                              ------------------------------------------ Om

          

Fazendo um spin na rede ou realidade


De Clarice Lispector, spin escritora:  

" Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo.
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
.
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.
Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.
Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
.
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros.
.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade... Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali".
.
Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria.
.
Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava.
Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo. Mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda.
Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.
.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
.
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.
.
Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco q eu vou dizer:
- E daí? EU ADORO VOAR!"

Clarice Lispector
_______________________


Luis Nassif:  Caso Murdoch, crise europeia, problemas da Obama, todos esses fatos estão interligados e expostos como sinal de fim de ciclo.
O início do fim do ciclo político da velha mídia

Atualização,,,...engraçado ou sincronicidade, tanto faz...
Ao postar concluir o desenho no alto, com a ajuda do power paint, mexi no texto de Clarice Lispector, de forma a ficar uns espaços aleatórios entre partes do texto, olhei no rodapé ou pé do spin e vi isso, também dela(CL):
.

Agora mesmo no rodapé ou base ou pé do spin, esta frase:
.
Tenho um pouco de medo: medo ainda de me entregar pois o próximo instante é o desconhecido.
Clarice Lispector 

P.S. - Então serria M de Medo
.
P.S.2-  Como trabalhei esta postagem? Revelo isso, ou seja, como trabalhei, com o intuito de auxiliar outras pessoas que queiram colocar em prática esta  processo narrativo pictórico sensorial transportador
(    ) Ao contrário de que eu fazia dias atrás, ontem não ingeri polpa de maracujá para induzir-me ao sono
(    ) Sonhei mas ao acordar lembrava-me do sonho mas logo depois o esqueci,  no entanto fiquei atnto ao básico, a sobreposição do "M" em relação ao "O"
(   ) De posse do conteúdo, resolvi trabalhar tranquilamente o assunto, ou seja,  não mais às pressas, como vinha fazendo ultimamente
(    ) Como forma de distanciar-me do que eu havia feito, programei a postagem para ser publicada, de forma automática,   nos primeiros minutos de hoje, quando eu estaria dormindo.
(    ) Ao acordar, mesmo sabendo que a postagem havia sido publicada, não quis olhar, no entanto fui obrigado, até mesmo porque teria que trabalhar o próximo poste, claro, também sem pressa.
(    ) Não me arrependo de ter olhado a postagem nesta manhã, aliás, eu tenho a obrigação de fazer isso, pois vi que a coisa não estava legal, inclusive  a forma principal, o M sobreposto ao O, não estava como eu gostaria, e isto não pode ocorrer, uma vez que estas coisas são para meu próprio deleite ou satisfação.

Fui

Atualização - 20/07/11
 
Agora mesmo no rodapé ou base ou pé do spin, esta frase:
Quem é temido, teme: não pode ficar tranquilo quem é objecto do medo alheio.
Séneca

18/07/2011

Arte em Processo (Uma parte do corpo)

Nesta noite sonhei ou olhei ou fui o  Grupo Empreza aqui ou aqui ou aqui em casa, o Paulo Veiga Jordão, bem como os demais componentes.....a obra consistia no uso do corpo, sendo um dos elementos o uso da lanterna para focar uma parte do corpo enquanto era declamado um poema que eu teria escrito e que estaria perdido em meio à minha desorganização, quando o  Paulo Veiga Jordão......ele fechou a porta do local onde seria realizada a performance,  mantendo um foco de luz no cenário escuro e, sobre uma parte específica do corpo, o holofote. A luz ou olhar sobre  um ponto específico do corpo,  cortar esta parte, pois que, proibido para a política do Google, sob pensa de exclusão desta página.


Monografia:  Tec-no corpo da presença. Por Larissa Ferreira


Acima a boca,,,,,....oca ou porta ou janela ou testa, tanto faz, o verbo só entra pela porta aberta.
Abaixo o ponto G ou D ou good.



Sobre as leis do Integral Perfeito:Cada mês possui 3 feriados: o local, o regional e o nacional, quando tudo pára, inclusive os átomos. Importante não nos esquecermos de que há um quarto feriado, o cósmico, que ocorre de 4 em 4 anos, em ano bissexto, quando se reconstitui a criação do príncípio ao fim. Brinque com o tempo. Ah sim, quando se fala em regional está se dizendo de um rio com suas cidades nas margens direita ou esquerda ou o rio por inteiro, tanto faz.

Resumindo: cada mês tem 70 dias úteis + 3 feriados, sendo que em ano bissexto marte tem 70 + 4

Dicionário ou lexômetro ou palavras, tanto faz

Folha de revista ou jornal ou árvore jogada no chão ou imagem ou palavra descendo
A História de Ideia,,,,...bilhões de anos de acontecimentos,,,,...em construção.


Fazendo um spin na rede

Arte:


Arte: Festival da Serrinha(SP). Por Edney Antunes, em seu facebook

" em Goiás há tantos festivais: de Cinema, música, gastronomia. todos louváveis mas as Artes Plásticas fica a ver navios. logo em um estado com tão forte vocação e artistas expressivos nesta área. devemos esperar até quando?"





Por Orlando Lemos: Marcelo Solá e outros. Belas imagens,,,....

.
Mais imagens postadas por Orlando Lemos, em seu facebook, aqui ou aqui ou aqui


Isso, do Fábio Tremonte



Arte: do Fábio Tremonte, aqui

Arte em Processo (Walace)

Se há uma coisa que não podemos ser no mundo dos sonhos é literais, senão vejamos
Nesta noite sonhei ou olhei ou fui um grupo de alces sendo trazidos do agreste nordestino sobre carros de transporte de mercadoria.
Os walaces tiham cores variados e ficaram no centro da cidade, perto de duas piscinas de água limpa ou suja, tanto faz.
Animais e humanos se deliciaram com a água.
Fiquei indignado vendo aqueles animais sendo extintos, cadê o Ibama, perguntei-me.
Tirei fotos para serem enviadas ao Poder Curador daquela cidade-estado.
Ao acordar, vi que o o nome correto era alce e não walace.
De fato não podemos ser tão literais quando trabalhamos com material apreendido durante o sono.
Agora sei.
Alce ou walace, tanto faz, vale o bicho que eu olhei fui durante a dormência

Nesta noite sonhei ou olhei ou fui Walace em extinção. Walace ou alce, tanto faz


Denominações: O significado do nome Walace

Ciência: Quem foi Walacce



Noutro momento sonhei ou olhei ou fui o artista plástico Edney Antunes.....eu me avisando que uma obra minha havia sido selecionada pelo Poder Curador desta cidade-estado para exposição. Achei estranho eu não ter sido avisado através de um telegrama, de forma que eu jamais ficaria sabendo se não fosse o Edney....eu

Não me lembro ao certo o qual obra foi selecionada, se não me engano, uma longa trança de alho. Ausentei-me da galeria e, na parte exterior, vi um alçapão, uma espécie de galeria coberta por uma grande, sendo que saiam pelas aberturas das grandes abelhas, uma delas entrou no meu ouvido ou olho ou ser, tendo que recorrer ao médico, o qual introduziu líquido para que a abelha saisse. Não me lembro do restante do sonho, a não que, no final, o Edney.....eu fotografava o filho sobre altos e baixos de um espaço gramado.

Nesta noite sonhei ou olhei ou fui Tia Raimundinha.....eu
No sonho ela....eu estava encantada com foto dela, bem antigas
Fotos que a remetiam a sua juventude
Ela....eu fiquei encantada com aquele tempo passado presente
..fotos antigas, não deu tempo, olhou-se no espelho e levou um choque
Entrou em depressão....antigas ou juventude, espelhos, performance 


Num outro momento sonhei ou olhei ou fum um amigo que faleceu recentemente, o Hortêncio......eu estava dormindo sobre a cama quando aproximei-me dele, acordando-o. Naquele momento ele não tinha certeza se era eu e, para reconhecer-me, pediu-me que eu lhe mostrasse os olhos. Como numa espécie de pesadelo ou prisão eu não conseguia mostrar os olhos para, assim, ser reconhecido por Hortêncio.....eu

Fazendo um spin na rede

Apresentadora Márcia Goldschmidt se envolve em acidente com alce

"(....)
A apresentadora Márcia Goldschmidt se envolveu em um acidente com um alce por volta das 2h da manhã do último sábado (9), numa estrada localizada na Espanha. Ela estava acompanhada do namorado, um empresário português, e os dois passam bem. As informações foram cedidas pela assessoria da TV Bandeirantes.
O casal estava em um Fiesta quando o animal de chifres enormes, que pode chegar a pesar meia tonelada, cruzou de repente a rodovia e, sem tempo de o veículo ser freado, acabou sendo atropelado.(....)"


Continue lendo >>>

P.S. - Link para a imagem no alto desta postagem

16/07/2011

Arte em processo (Verde)

Texto com trechos marcados de verde
Foi este o sonho desta noite
No sonho havia um texto e várias trechos marcados de verde
Quase não sonhei, cheguei da rua bem tarde, fui à praça aqui perto, onde está rolando o Congresso da UNE, muitos sons ou tribos ou bandeiras
Voltando ao assunto,,....quanto a ausência de sonho para usar como matéria prima de um processo que tem como objetivo culminar com minha própria satisfação ou prazer ou deleite
O desafio é este, partir do nada para, sorrir ao final
Sem riso diante da obra não vale
Um desafio e tanto partir do nada para chegar ao riso

Fazendo um spin na rua ou cidade-estado ou rede:

Arte: Texto do Sobral sobre o lugar da arte
 
Arte: O mundo mágico de Marc Chagal



Cinema:  "A Vida é Bela"



Migrantes: Do blog Palavras Diversas

Luiz Gonzaga versou a "judiação" da sede e da fome no Nordeste em "Asa Branca"
"(...)
O sertão nordestino e todo o drama da seca e da falta de opção para superar o flagelo da sede e da fome, era tratado como apenas mais um quadro, entre todas as outras mazelas do país.  Fatalismo insuperável: não adiantaria o Estado investir onde nada prospera.  A saída para o povo era migrar em busca de uma oportunidade mais ao sul ou morrer de desesperança e fome.

O presidente Lula e toda sua família migraram, em um “pau-de-arara”, de Pernambuco para São Paulo e como tantos milhões que povoam e ajudam a construir os alicerces das grandes cidades brasileiras, também foi expulso pela fome e miséria, presentes impiedosamente na paisagem do sertão.

A política local lembrava dos famintos somente nas eleições, em que se lançavam para perpetuarem e ainda tentam se perpetuar os “coronéis”, donos do poder, valendo-se da fome e da miséria para laçar o voto do desesperançado e iludido por mais uma cesta básica bissexta ou uma roça para trabalhar. 

Quando o governo central intervém e adota políticas de longo prazo para, primeiro aplacar a fome e, segundo, criar a infraestrutura suficiente para o desenvolvimento regional, os elos de poder dos donos do poder local tendem a se enfraquecer e o enfrentamento e a vitória sobre os coronéis do atraso pode acontecer, como ocorreu com o “Carlismo” na Bahia. (...)"  

Aqui o texto na íntegra: IBGE constata a “chuva” cantada por Luiz Gonzaga no nordeste

Polis: Por Criton Mendes, no Luis Nassif Online "A política como arte poética"

"(...) Aliás, pode ser ainda mais desafiadora, pela supremacia da linguagem verbal na atividade política da mesma forma que se dá na Literatura, a postulação de que haja uma Política como Arte Poética. E deve ser Arte Poética porque a Política não se faz de um texto em prosa, contínuo e uniforme, em que os elementos de coesão garantem certa unidade do discurso – nela, a pausa entre as palavras dos seus agentes, a pausa entre seus discursos e entre os eventos ajudam a preencher sentidos, e aumentar ainda mais as possibilidades de leituras. A Política poderia ser vista  como uma composição de discursos e atos (o que dá um ar de poema concreto a ela) entremeados por pausas e contextos que configurariam grandes poemas em construção, e os políticos seriam como poetas a elaborar peças para serem lidas publicamente.

À luz da Literatura, uma leitura da cena política desde os anos da presidência de Fernando Henrique Cardoso seguidos por oito anos de lulismo que agora avançam pelo primeiro ano de mandato da Presidente Dilma Rousseff parece corroborar com essa hipótese da política nacional como Arte Poética: ela deixa transparecer, muito claramente, o que Harold Bloom, crítico literário, chamou de Ansiedade da Influência. A Ansiedade de Influência como fenômeno da Crítica Literária aparece na política brasileira quando fazemos uma Crítica Política da transição entre o legado de Fernando Henrique Cardoso e o lulismo conforme veremos. (...)"

Para ler o texto na íntegra clique aqui

Mídia: IV Avatar do Rio Meia Ponte: Manipulação grosseira de O Globo/G1 distorce beijo

Sociedade: Considerações sobre a correlação entre religião e violência. Este assunto foi bastante comentado no Luis Nassif Online,  na postagem "A violência e a religião"

Comunicação: Além do Facebook e orkut, há uma nova rede social no pedaço,  o Google+ ou Google Plus. Como conseguir um convite para o Google+, no final desta postagem o link

Economia: Não vejo a hora de os blogueiros poderem existir como empreendores, há muitos que necessitam que isto aconteça, a velha mídia, que não quer saber de concorrência, vai detestar

Política: Por Ricardo Kotscho em seu blog:
 "(...) Desde que surgiu no cenário político nacional como líder do novo sindicalismo do ABC, no final dos anos 1970, Lula sempre alternou a tática da negociação com a estratégia do confronto, na base do "nós contra eles".

No começo, "eles" eram os donos do capital e os militares da ditadura. Após a redemocratização, assumiram o papel de "outro lado" os candidatos dos partidos que concorriam com o PT. Com a progressiva fragilização da oposição partidária no país, desde o segundo mandato de Lula, e até hoje, quem assumiu o papel de "eles" foi a velha  mídia, até por iniciativa da própria.

Resta saber quem ganha com isso. A imprensa, não é, claro, como mostra a encruzilhada em que se encontram tradicionais empresas do ramo com a constante queda de circulação e audiência dos seus produtos jornalísticos, diante de a concorrência das novas mídias eletrônicas.

Com seus constantes e cada vez mais irados ataques à imprensa, Lula, por sua vez, só dá mais munição para os porta-vozes do bloco mais reacionário da decadente imprensa tucana, que  vivem acenando com os fantasmas do "controle social da mídia" e da "volta da censura" como se estivessem torcendo por isso.(....)"
Texto na íntegra: Só Lula sai perdendo com os ataques de Lula

Web: Como marcar trecho em texto pdf

Agora tenho que ir, a qualquer momento esta postagem poder ser alterada ou considerada como acabada ou finalizada ou olhada ou sida
(    ) Em construção
Fui

Em tempo: Esqueci de dizer que neste momento esta cidade-estado é palco, também, via SBPC, de um encontro de estudantes da América do Sul e Caribe, sobre temas temas científicos

PHA:  PIG(*) joga sujo com Lula. Beijo não é na boca

Religião: Os mercadores da fé

15/07/2011

Arte em processo (Border)

Lembro-me que num dos sonhos desta noite o artista plástico Divino Sobral....eu estava realizando uma performance com balões, num certo momento a arte era comestível,  havia uma degustação como parte da obra, era usada cola de mangaba, uma árvore que produz uma cola usada por rurículas para a feitura de futebol.

No sonho Divino Sobral.....eu tentava consertar uns balões que estavam furados. Enchi de ar e usei uma cola que ficou rígida, o que não poderia, pois as pessoas jogariam futebol com aqueles balões, de forma que, havendo partes rígidas, poderiam machucar os pés dos jogadores. Neste momento o divino chegou e conseguiu usar a cola sem que a mesma enrijecesse e até ingeriu aquele líquido que, a neste momento, já era uma agradável sopa de cor marron.

Pense só o que é ter várias visões ou sonhos no campo da arte e se esquecer de tudo logo em seguida.
Foi o que ocorreu nesta noite: lapso

Diante desta minha amnésia ou anamnese, tanto faz, fazer o que senão fazer uma busca no Google

Isso: Performance com balões de hélio


"Atom" - Instalação e performance criada por Robert Henke e Christopher Bauder.
 
Em um quarto escuro com sistema de som de 4 canais foi montada a estrutura com 8x8 pontos controlados via computador. Cada ponto da estrutura tem um motor que controla a subida e descida dos balões e uma lanterna de leds que faz a iluminação do mesmo. Em perfeita sincronia com o som do ambiente, os balões sobem e descem, acendem e apagam, criando uma textura fluída que somada aos efeitos sonoros, criam uma atmosfera lúdica e provocante. Eu não estava lá mas imagino que a experiência deve mexer com o equilíbrio destas pessoas pelas mudanças de perspectiva e efeitos óticos criados pelos movimentos e pelas luzes.

O evento de apresentação dura de 45 a 60 minutos e é manipulado em tempo real.




http://f4cdesign.blogspot.com/2009/06/performance-com-baloes-de-helio.html

 Divino Sobral e Carlos Sena....eu
 pesquisa com as palavras: divino sobral a fome do artista desenho


Até o momento  não cheguei a uma compreensão acerca do sonho desta noite, a incompreensível palavra "daboderna" ou "dabodena" não me lembro ao certo e, do ponto de vista quem está dormindo, não vem ao caso se ser tão literal, sendo que o máximo que podemos fazer é buscar associações, procurar raizes ou semelhanças ou, quem sabe, confrontar o contéudo com as leis do Integral Perfeito


Dentro da palavra, há o termo "boder", com o qual poderíamos fazer as seguintes associações:
Zootecnia: Boder collie, um cão bastante inteligente
Babel: Boder, palavra inglesa que quer dizer limite, fronteira
Medicina: Borderline
Arte: Terry Border
Sociologia, linguística, etc: Resultado de busca no Google com o termo arte e boderline

Texto científico:  Boderline e o espaço potencial Winnicottiano
Mídia: Já acordado vi ou li o tópico de uma matéria no jornal Folha de São Paulo
"E a elegante lei dabordena?"


O Congresso da UNE, e também o de Estudante Latinos, está ocorrendo aqui perto de casa. Muito bonito vê tantas tribos, várias bandeiras, cada um vendendo seus projetos, desejando o melhor para o País, é a nossa juventude. Quanto a fala de Lula no evento, gostei dele ter apontado que a mídia implica com ele porque os barões da mídia veem-no como concorrente. Concordo com o ex-presidente,de fato  Lula é um grande comunicador, as pessoas simples entendem o que ele diz, ao contrário de FHC, que falava falava falava e ninguém entendia. 
A este respeito Brizola Neto escreveu "(...) Lula dá um “chega prá-lá” nas intrigas que tentam criar entre ele e o Dilma, embora a certa altura, dê um conselho indireto ao novo governo para a batalha midiática onde se joga boa parte do sucesso de uma administração. “”Inventaram também que ela é diferente nas coisas que faz, que eu falava muito. É que eu competia com o que eles falavam e o povo acreditava em mim”.
É verdade. Precisamos falar, para competir com o que eles falam. E nisso temos ficado aquém do que é nosso dever.
E competir com o que eles falam é, sobretudo, não ter receio de confrontar o que eles chamam de “verdade evidente”. Estamos deixando de defender posições corretas por falta de confronto ideológico, mostrando que os governos que fizeram “tudo certo” foram os que fizeram o Brasil todo errado.(...)" Para saber mais clique aqui

Literatura: Os 100 maiores livros de não ficção, segundo a revista inglesa The Guardian


História da Arte: O lugar e a obra (Luiz Rodolfo Annes). 

 Como construir um lugar para a obra?

Buscar referências artísticas e explorar o território da arte com seus instrumentos. Circunscrever um campo que conecta a obra a seu tempo, ao ligá-la à história (sincronias e diacronias), estabelecendo sua legibilidade. Identificar diálogos formais/conceituais. Temos uma indicação de referências ao universo corrompido no desenho cru de Mike Kelley e Raymond Pettibon, da viagem entre memórias e sua reconstrução na poética de Louise Bourgeois, da narrativa fundada em situações cotidianas absurdas e densamente eróticas dos quadrinhos de Robert Crumb e da disciplina de um mundo que desmorona em Fábio Noronha.

Como construir o lugar da obra?

Vasculhar indicações literárias, dadas pelo artista em seus escritos, títulos de trabalhos e séries. A tentativa representa uma vontade de encontrar, não fontes, mas vasos comunicantes nos quais se re-signifiquem obras e textos. As pistas mais evidentes vem-nos de referências, entre outras, a Clarice Lispector, Rilke, Artaud, Bataille, Hölderlin, Mallarmé, Adélia Prado ou Caio Fernando Abreu. Mas preservando sempre a consciência de que estes lugares da escritura não tem, eles mesmos, uma cartografia muito precisa e, assim, assemelham-se a certos espaços - a Mongólia de Bernardo Carvalho, a Índia de Antonio Tabucchi ou a Londres de João Gilberto Noll, por exemplo - nos quais mais se percorre, mais se está perdido e se desconcerta. É na estranheza, em verdade, que se justapõem desenhos, gravuras, animações e textos.

Como construir o lugar na obra?

Habitar (as obras) em seus interstícios. Seguir as pistas de suas manobras gráficas - linhas e tracejados. Procurar entender a ambiência do desenho (projeto, desígnio, esboço e quase-escrita) e sua espessura (diário auto-biográfico e/ou ficcional, desvio, marca e coreografia de imagens). Percorremos, a partir daí, seus ocos, pegadas, novas dimensões, nervuras, tendões estendidos ou linhas duras e flácidas. Compreendemos a fatura e artesania dispersa da aquarela, a impregnação da gravura, o grafite levíssimo a dissimular sua potência, as linhas vermelhas ansiosas e tremidas, a esferográfica comum, a massa borrada do guache ou a indecisão do nanquim.

Como construir um lugar dentro da obra?

Flagar como cúmplice, não como juiz, seus delitos, suas impressões, excessos, sonhos recorrentes, pulsões, limites quase rompidos, o que não está reprimido e o que se esconde furtivamente. Percebemos, entre o que mais nos perturba, as encenações do corpo e sua condição extrema de carne e humores, a inexorabilidade da morte (a condição frágil do desenho e a condição frágil da vida), a infância desmontada entre ideais de pureza e outros mitos, a insônia contínua, a ameaça/salvação pelo outro, a vigília inútil e o sexo vibrante, obliterado e perverso. Entendemos que o conhecimento de si funda-se, também, na vertigem.

Como construir o lugar da/na obra?

Compreender que uma trajetória artística é formada por discussões de cada momento, entre perseguições a assuntos urgentes e a pesquisas de base. Desenhar e marcar é também nomear (nomear é traçar limites) e, assim, distingue-se países e territórios por entre a disciplina contínua do desenho. As séries de obras - "Apóstrofe a carne", "Agora as crianças lêem poesia, fazem sexo e fumam ópio" , "Deveríamos ser limpos", "Os dragões não conhecem o paraíso", "O eu é um outro", "O mofo amadurecido", "Os escoteiros menstruam", "Tédio", "Perceval comeu ovos fritos", "O vento nos levará", "Os insetos são terríveis", "Insônia", "O caderno", "Ópio e memória", "O jardim", "Duas bocas e um dedo laranja", "Jesus dá leite", "Do outro lado", "Os cachorros perdoam", Catequese", "Dr. X", "Sem enfeite ou para agitar a orelha enrijecida" , "Apesar das proibições de sua mãe", "Os cântaros de Deus", "Meu dedo no teu olho", "Nossos crimes", "O homem permanecido", "Mergulho", "Humores de batata" e "The last french fried potato" - desenvolvem-se, muitas vezes, simultaneamente mas acionam diferentemente suas paisagens.

Como construir certos lugares?

A poética da obra é permeada por um vocabulário gráfico e seu esclarecimento dá-se na busca destes fragmentos. O desafio é o de organizar o entendimento tendo em mãos um dicionário para sempre desconexo. Alguns dos fragmentos são: abraço, amontoado, bichos, boca, cabeça, carinho, caveira, confronto de duas figuras, corpo, corpo deitado, corpo na terra, corpo saindo de outro corpo, cruz, cubículo, dedo, dedo apontado, desaparecimento, disputa, dor, emaranhados, fantasmas, fenda, flor, ganchos, garra, gota, homem, homem deitado, lágrima, montanha, mulher, nudez, olhares ameaçadores, olhares esquivos, ondas, ovo, paredes, pêlos, posição fetal, seios, ser humano/vegetal, sexo feminino, sexo masculino, sexualidade, solidão, sono, raízes, riso, teias de fios, vegetação rasteira e violência.

Qual é mesmo esse lugar?

Lá, onde uma certa topografia do desenho propõe asperezas e fronteiras, descobre-se porosidades e aderências. É o momento no qual reconhece-se (intuímos) nos relevos dos desenhos alguns acidentes da realidade tão próxima. Fica-se enredado nas linhas dos pequenos dramas de vidas infames e confunde-se o espaço da obra ao do espectador. Decidir enfrentar uma obra (a obra de Luiz Rodolfo Annes, neste caso), pressupõe a invenção e recriação de sentidos onde tudo - o controle do imaginário, a inércia da percepção, o abandono da vontade de mudar a si e ao redor - leva a aceitar passivamente o que já se conhece e o que, preguiçosamente, está-se acostumado. As estratégias para se construir um lugar para a obra assemelham-se muito àquelas usadas para construir os lugares (nossos lugares) no mundo.
Paulo R. O. Reis
set/2004
FONTE: http://www.muvi.advant.com.br/muvi/lendo_arte.html

Atualizção - 16/07/11

(    ) Ontem fiz um spin na rua no sentido de se estabelecer a corroboração ou sincronização do sonho ou visão, tanto faz
Deparei-me com um enorme cacho de balões no meio da rua, balões branco, vermelho, verdes
Dá para construir, a partir deles, estruturas com fio de barbante, usar cola, ir colando os fios, ao final retirar o balão do interior da estrura, dá para abrir frestas e usar para guardar objetos

A História do SPIN