29/05/2008

Ajude alguém a se preparar para a vida (clique aqui)

Monumento aos homossexuais perseguidos (clique aqui)

Quando o Estado não se submete a religiões

Disse o ministro do STF Carlos Ayres Britto, que não existe vida humana embrionária. Concordo. Trata-se de uma grande irracionalidade deixar de defender a vida de deficientes físicos de várias idades, que poderiam recuperar seus movimentos caso as pesquisas com células-tronco venham a ser permitidas. Tais pesquisas estão tendo a oposição de religiosos que enxergam células embrionárias congeladas em tubos de ensaio como se fossem seres humanos prontos e acabados. Se deixássemos tudo por conta da vontade das religiões até hoje não haveria o direito ao divórcio.
.
Medievalidades baseadas em pontos de vista absurdos levam, por exemplo, à proibição do uso da camisinha nas relações sexuais. Quanto à vida em si, que diz respeito por exemplo à defesa da matas ciliares, da conservação dos rios, dos mares, não vejo tanto empenho das religiões.O aquecimento global, o protocolo de Kyoto, parece ser assunto fora da agenda das religiões. Que vida estão defendendo então? A vida real, a vida em si, é que não há de ser.
.
Está de parabéns o ministro Celso de Mello (foto acima), do Supremo Tribunal Federal (STF), que considerou constitucional o Artigo 5º da Lei de Biossegurança, que trata das pesquisas com células-tronco embrionárias. Mello baseou o voto, em parte, em documento apresentado por um grupo de trabalho da Academia Brasileira de Ciências. No documento, os cientistas afirmam que a vida do futuro feto está "irremediavelmente condicionada" ao desenvolvimento do embrião no útero. Eles dizem ainda que as pesquisas com células-tronco adultas, por enquanto, indicam que elas não são mais promissoras que as embrionárias.
.
O ministro também fez uma longa consideração sobre a laicidade do estado brasileiro, e frisou que, "nesta república laica, o Estado não se submete a religiões". Celso de Mello concluiu o voto afirmando que, após esse julgamento, que ele classificou de "efetivamente histórico", "milhões de pessoas não estarão mais condenadas à desesperança".

Mais sobre Carrano, SPIN Preparado

ELE DERRUBOU OS MUROS DA FARSA

Por Marcus Antônio Britto de Fleury Júnior

É com muita tristeza que me manifesto frente a essa lacuna que hoje se estabelece em nosso movimento. Mas, sabemos que através da aguerrida luta desse herói da existência, que desafiou , mostrou e provou a estruturação fascista dos perversos loteadores da dor humana, aliados das máquinas que fabricam drogas impondo-as às pessoas como forma em conter as ambigüidades constituintes da subjetividade, tentando calar o que não é "suportável" aos olhos de uma sociedade fragilizada pelo seu próprio receio em conhecer os conteúdos latentes que podem se manifestar em qualquer "curva da vida".

As Stultifera Navis não mais percorrem os rios e mares, entretanto, encontram-se ancoradas em castelos de horrores, onde os gritos ecoam em 300.000 vítimas da estrutura manicomial. Algo mudou? Sim, mudou. No entanto é notável que para manter os manicômios no Brasil, forças articulam-se com discursos elaborados cuja razão abriga uma intencionalidade que, se investigada,apresenta o que está por baixo da maquilagem da bondade, da caridade e de outras manifestações excessivas de compaixão aliadas as propostas de soluções velozes e químicas. Tais propostas são fragmentos do discurso da razão que tem por intuito manter incautos tudo que é negado, inclusive a existência, sendo essa a grandiosa manifestação do belo inserido nas diferenças.

Austregésilo Carrano Bueno, derrubou os muros da farsa instituída pela cientificidade revelando uma política pública definida em favor da Saúde Mental, contrariando os que fazem do discurso da "cura" uma indústria mantenedora de sonhos quanto mais castradora é.

Portanto, deixo aqui meu grito, sendo esse, o de quem também assistiu nas propostas de cura as mais cruéis formas de perversidades sádicas existentes. Muitos castelos dos horrores ainda estão sustentados pelo fiasco das fantasias dos "santos que curam" e "das pílulas que transformam".



Marcus Antonio.
Psicólogo C.R.P09-4575

Preparado para amar

(Clique na imagem para ampliar)
.
Olá Edson,
esquenta não,,,é que vieram 4 arquivos sobre o arte em circulação,,e apenas o último não abriu, imaginei que fosse algum texto seu aí fiquei interessado,,,
estou lhe enviando espelho da caixa de entrada do email..

Obs: a nova sequência agora é O Preparado
...não sei até quando vai durar este assunto,,,,espero que dure para sempre,,,pois se trata do que eu deveria ter buscado sempre...

agora sou preparado até para levar um relacionamento adiante,,,ontem H3 esteve comigo,,,no momento ele está lá em casa,,,,se compreteu a fazer uma faxina lá em casa...acho que vamos nos casar,,, estou quase esquecendo de Hzero, de quem gostei demais e por isso não deu certo,,,quando a gente gosta como gostei fica bobo = esquisóide = aéreo..so agora caiu a ficha...

Mais de Carrano (clique aqui)

Carrano, spin preparado

Assisti a uma palestra desta pessoa que faleceu, cuja nota de falecimento recebi de Deusdeth Martins

Colegas,
Acabei de ser informada pelo Milton Freire, que está participando da reunião da CISME, que Austregésilo Carrano Bueno Bueno, Representante dos Usuários na CISME, Militante do Movimento Antimanicomial, autor do Livro Canto dos Malditos que originou o Filme Bicho de Sete Cabeças, faleceu hoje.


Um abraço,


Deusdet

Preparando as pessoas

Gente,
A GERART - Núcleo/ Associação de Trabalho e Produção Solidária da Saúde Mental de Goiânia, realizará uma exposição com o tema: "Tecnologias para implementar iniciativas de geração de trabalho e renda na saúde mental".
Expositora: Rita de Cássia Ferreira Bonini, representante da Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Data:30/05/08 - 6ª feira
Horário: das 8h30 às 12h
Local: Superintendencia Regional do Trabalho e Emprego de Goiás - Av. 85, nº 887, Setor Sul..
Entrada Franca.
Participe!
Um abraço,
Deusdet

Beijo gay, Brasil preparado?

O Brasil está preparado prá isso?
O beijo entre dois homens é tão chocante assim?


Ofício PR 089/2008 (TR/dh) Curitiba, 29 de maio de 2008



Prezados Senhores, Prezadas Senhoras Diretores(as) da Rede Globo:


Assunto: Possível “beijo gay” na novela Duas Caras


A ABGLT – Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais – é uma organização não governamental de abrangência nacional, que atualmente congrega 203 organizações afiliadas em todos os estados brasileiros e tem como missão: promover a cidadania e defender os direitos de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais, contribuindo para a construção de uma democracia sem quaisquer formas de discriminação, afirmando a livre orientação sexual e identidades de gênero.

A ABGLT tem como foco de suas atividades contribuir para a construção de uma sociedade mais justa e fraterna e para tanto trabalha no sentido de eliminar todas as formas de discriminação, em especial em relação à homossexualidade.

Estes esforços também envolvem atividades voltadas para e sensibilização da sociedade, no sentido de diminuir preconceitos existentes em relação à homossexualidade, e assim promover o respeito à diversidade humana.

A visibilidade massiva é sem dúvida uma maneira de influenciar a opinião pública e provocar mudanças positivas em relação a opiniões sobre a homossexualidade. Um exemplo claro disso são as Paradas LGBT, que têm contribuído em muito para tornar visível a comunidade LGBT, bem como destacar algumas das nossas reivindicações junto aos poderes legislativo e executivo. Da mesma forma, o papel dos meios de comunicação tem sido de inestimável valor, sobre tudo nos últimos 10 anos, na promoção de imagens positivas de homossexuais, contribuindo assim para a melhoria da conduta social , especialmente em relação à discriminação.

Assim, tendo em vista a possibilidade de ser levado ao ar o beijo entre dois rapazes na novela Duas Caras, vimos até esta emissora solicitar que siga seu espírito inovador e corajoso, mantendo esta cena e transmitindo-a ao público. A transmissão desta cena será de grande valia, pois desta forma será mostrado ao público que a manifestação de afeto entre duas pessoas do mesmo sexo, além de legal conforme aconstituição, é absolutamente normal e que é uma realidade, sempre foi e sempre será. Ao veicular esta cena, a Rede Globo está simplesmente refletindo mais uma faceta da vida cotidiana de milhares de cidadãos e cidadãs brasileiras.

Na expectativa de sermos atendidos, estamos à disposição.

Atenciosamente

O preparado

Finalmente vejo-me como uma pessoa preparada, sinto isso
Agora sou capaz de levar adiante um relacionamento, uma obra de arte, tudo
Gostar demais jamais, isso deixa a gente bobo = incapaz = aéreo
Aonde eu estava para não ter percebido isso antes?
Vou formatar este blog de forma que fique visível somente o asunto preparação = capacidade = competência
Não que eu tenha deixado a elegância prá trás, vou precisar disso também, de tudo um pouco
O objetivo desta (con)sequência que se inicia agora é perceber a preparação
É como se fosse uma carta de tarot chamada O Preparado
Acompanhe

27/05/2008

Mostra de Arte Insensata

Deusdeth Martins enviou-me este convite para evento sobre a arte dos portadores de insanidade mental.
Desnecessário dizer que a elegância, a beleza, pode ser buscada através da arte = deiscência.



Mostra de Arte Insensata/Programação Cultural

QUARTA - 28/05
19:00 - ABERTURA DA MOSTRA
20:00 - CORAL SER SÃ (DIVINÓPOLIS)
21:00 - ABERTURA DA EXPOSIÇÃO
21:30 - ORQUESTRA CARLOS GOMES
.
QUINTA - 29/05
11:30 - AIRTON MEIRELES
13:30 - PALCO ABERTO
16:30 - DEVOTOS DE SÃO DOIDÃO (CC SÃO PAULO/PAMPULHA)
20:00 - REVIU A VOLTA APRESENTA “A VOTRE SERVICE”
21:00 - PAULO TOMÁZ APRESENTA “CONCERTO CON-FUSÃO”
22:00 - DONA JANDIRA
.
SEXTA - 30/05
11:30 - NETINHAS DE SINHÁ
13:30 - PALCO ABERTO
16:30 - CIA SEM PRESSÃO APRESENTA “A PEDRA DO MEIO DIA” (CC PAMPULHA E VENDA NOVA)
20:00 - LETÍCIA CASTILHO APRESENTA “A PRISIONEIRA 14/07”
21:00 - HELVÉCIO VIANA APRESENTA “CARTAS AO ONÍRICO”
22:00 - BABILAK BAH APRESENTA “ENXADÁRIO:ORQUESTRA DE ENXADAS”
23:00 ÀS 02:00h - FESTA SAMBACANAGROOVE
.
SÁBADO - 31/05
15:00 - MOSTRA DAS OFICINAS
17:00 - TREM TAN TAN E SAMBA NA CABEÇA APRESENTA “MÚSICA DE COMPOSI(AUTORES)”CCVENDA NOVA, PROVIDÊNCIA, CÉSAR CAMPOS E ARTHUR BISPO
19:00 - TOM ZÉ

Arte em circulação

Não perca este evento cujo convite foi-me enviado pelo artista plástico e pesquisador Edson Barrus.
Desnecessário dizer que a elegância, a beleza, pode ser buscada, dentre outros meios, através da arte = deiscência.
A relação de participantes e outros informes podem ser verificados no site http://www.caixacultural.com.br/




A presente mostra é inicialmente uma reunião entre artistas
de diversas localidades - principalmente de Curitiba e do
Rio de Janeiro - com o público interessado nas práticas
contemporâneas de agenciamento artístico, coletivos, arte
processual, e questões relacionadas ao intervencionismo
urbano e ao espaço público. O projeto promove e tem como
tema maior, o diálogo e a convergência de seus participantes
a partir de assuntos, dados, conteúdos e ingredientes trazidos
não de forma vertical ou especializada, mas também pelo
público e diretamente aos artistas. Um aspecto primordial de
ARTE EM CIRCULAÇÂO é o seu formato processual, segundo
o qual os conteúdos gerados se somam e se modificam,
podendo ser compartilhados ao longo do evento.

[ MESA 1] Patrícia Canetti e Orquestra Organismo
Debate sobre tecnologias de uso livre, servidores em ambientes
de colaboração participativa e acessibilidade de produção
com o coletivo Orquestra Organismo, de Curitiba, que vem
desenvolvendo metodologias de enfrentamento de Espaços
Públicos – físicos e virtuais; e Patrícia Canetti, artista plástica e
criadora do Canal Contemporâneo, revista de arte virtual que se
propõe como veículo participativo e colaborativo em redes.
.
[ MESA 2] Ricardo Basbaum, Edson Barrus e Alexandre Vogler
A proposta dessa mesa é a de criar um ambiente com vários
artistas debatendo o processo de mudança de paradigmas
no circuito da arte a partir da segunda metade dos anos 90.
Dentre eles, Ricardo Basbaum, doutorando em Artes Visuais
pela Universidade de São Paulo, professor da pós graduação
da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, e artista, tendo
exposto recentemente na 12ª edição da Documenta, em
Kassel, na Alemanha; Edson Barrus, doutorando do Núcleo de
Subjetividade da Puc-Sp, artista e criador do espaço Rés-dochão,
no Rio de Janeiro, que se tornou uma referência para a
produção autônoma de arte, do início dos anos 2000; Alexandre
Vogler, proponente do evento Atrocidades Maravilhosas, artista,
mestre e professor de graduação em artes pela Universidade
Estadual do Rio de Janeiro.

Falta de elegância, carinho e atenção para comigo mesmo

Como pude ser tão desleixado para com meu próprio corpo?
Várias cáries dentárias.
Perdas de dentes, mesmo sabendo que a melhor forma de lidar com isso é ir ao dentista de 6 em 6 meses, com algo em torno de 100 reais se faz uma limpeza dentária e adeus cáries, adeus perda de dentes.
Isso que deixei acontecer comigo é crime = doença grave.
O que me transformou nisso, nesse desleixo, nesta desatenção para comigo mesmo?
Como posso ser tão aéreo?
Ainda assim reclamo a ida de H, não entendo o motivo pelo qual H me deixou,
suportou-me durante 1 ano.
Que milagre! é assim que devo perceber.
H era um poço de elegância e tudo de bom.
Onde eu estava?
Que mundo imaginário era tão interessante para me puxar do mundo real?
Se arrependimento matasse eu já teria morrido.
Todo um tempo que poderia ter sido aproveitado doutra forma.
Curtir a elegância, perceber o quanto H era elegante, teria sido o prazer e tanto.
Agora é tarde.

Em tempo: agradecer sempre, dizer muito grato, sorrir, é uma forma de elegância. Ter dinheiro não quer dizer nada, tem que ter elegância.

Quem há de?

Perambulam pelo tribunal de justiça muita gente bonita, muitos mulheres e homens bastante gentis e elegantes, de longe se sente o aroma do perfume francês.
Nesta manhã, ao passar por lá, veio do longo corredor em minha direção um spin advogado.
Perto de mim uma mulher muito bem vestida e maquiada.
Ele a olhou até fazer um giro de 360 graus no pescoço.
Neste giro nem me viu.
Também pudera.
Eu não estava usando um pijama e camiseta de propaganda eleitoral.
Não me enxergaram.
Quase nem me deixaram entra no tribunal.
Até quando vou continuar tão aéreo = desatencioso?
Quem há de me suportar = olhar = ser?
Pior que há uma pessoa que me aceita assim.
Morro de dó desta pessoa.
Ontem veio dormir aqui.
Implorou por um pedaço de pão, qualquer coisa para comer, e nada.
Nem água na geladeira?
Ao amanhecer foi-se e me pediu 1 real para pagar a passagem de ônibus para o trabalho.
Quem disse que eu dei?

Paulo Autran, spin elegante

Aí outra pessoa que deixou a elegância como marca.
Onde eu estava para não ter percebido isso quando relacionava-me com H?
H era uma pessoa extremamente elegante, somente agora vi o motivo pelo qual perdi a cabeça por H.
Como fui deselegante para com H!
Do começo ao fim.
Nem dos meus dentes cuidei.

Sydney Pollack, spin elegante

Este nome = homem me inspira = lembra = evoca uma certa elegância, por isso o nome dele foi transportado prá cá depois da morte.
Somente os mortos que, em vida, foram elegantes, serão transportados prá cá.
Se sou elegante?
Não.
Muito pelo contrário.
Este blog é um espaço para o exercício = percepção da elegância.
No momento é o que mais quero aprender = olhar = ser.
Pena que quando estava com H não tinha ainda esta percepção acerca da elegância.

Spin elegante

Na sala de espera do consultório odontológico li um texto sobre a importância da elegância e da delicadeza nas relações interpessoais, daí o motivo desta (con)sequência = obra = momentum que se incia agora.
Objetivo: perceber a existência elegância = delicadeza = gentileza = educação e como as pessoas a percebem e valorizam

Em tempo: o texto, cuja fonte e autoria não me recordo. A autora, após discorrer sobre a importância de sabermos o que, como e quando dizer as coisas, a forma, o tom da voz, assim concluiu seu ponto de vista "(...) É urgente reiventarmos a delicadeza e a elegância na relações ou elas se reduzirão a meros depósitos para a nossa loucura."

26/05/2008

Menos tremor

Acabei de telefonar para H para colocar em prática a tal "segurança de amigo."
H simplesmente não atendeu minha ligação.
A sensação que tive é a de que decidi, tardiamente, pela via certa.
Não percebi a oportunidade de viver, com H, a tal "segurança de amigo."
Agora sei.
Agora sei que, o que estou querendo viver, estou querendo de forma tardia.
Ao final da tentativa de fala fiquei tremendo na areia.
O que será que ocorreu comigo para que eu viesse a ser isso, este pânico, esta insegurança, este eterno não sei que provoca uma demora em decidir se quero ou não quero numa sociedade onde tudo é tão rápido e se não decido rapido serei logo atropelado por alguém rápido no gatilho.
.
Vai ver que nunca me desgarrei das minhas raizes rurais, vai ver que eu ainda sou caipira, isso, esta aversão a esta esta velocidade frenética.
(Sem perceber, repeti a palavra "esta", esta esta esta...tudo em série...esta aquela esta aquela...)
Ou será que sofro de alguma patologia, alguma doença que me leva a divagar, fugir do real, duvidar, temer, tremer, imaginar coisas?
.
Tentar a experimentar a tal "segurança de amigo" me levou a dar com os burros n´agua.
Para não cair em tentação e repetir esta desatrosa experiência melhor envolver-me com outras atividades, coisas minhas, meu lado profissional, pode ser mais divertido = emocionante socorrer Dona Socorro e Dominique do que morrer por H.
.
Em tempo: esqueci de dizer que pessoas ligadas a H espionam este blog para ver se já dei como encerrado nosso relacionamento. Saiba que este é meu espaço terapêutico, de tradução, de entendimento, etc, que continuarei usando ao meu bel-prazer.
.
Em tempo: chega! não quero mais saber destas receitas que meu coração não obedece.
( )sequência encerrrada por falta de resultado prático

Menos estupim curto

O telefone toca
( é Dona Socorro, vítima de câncer, pedindo ajuda orientação num processo judicial)
Ela: oi, Zé, tudo bem? Há dias que tento falar com você e não consigo, o telefone não atende.
Eu: pois não, dona Socorro?
Ela: Zé, a minha advogada me abandou, abandou meu processo, estou com muita dúvida, eu havia pedido na Justiça para me aposentar, saiu a aposentadoria pelo INSS.
Eu: dentro do processo da justiça?
Ela: não. Foi lá mesmo no INSS, à revelia do processo na Justiça. Agora tô com medo de falar para a advogada que me aposentei fora do processo judicial. Entrei em 2003, eu estava precisando muito e por isso procurei o INSS. Agora quero receber os atrasados através do processo na Justiça.
Eu: dona Socorro, eu estou em frente ao computador, me passe seus dados que vou pesquisar no site da Justiça para ver como está seu processo.
Ela: tá, e fico muito agradecida por sua educação.
Eu: ah sim, tô vendo aqui no site que seu processo está tramitando normalmente, houve um recurso por parte do advogado do INSS, o seu processo está nas mãos do Juiz, para se ter uma idéia clara a respeito do que está ocorrendo só mesmo comparecendo no balcão da Justiça e dando uma olhada no processo. A senhora deve dirigir-se à Justiça e pedir orientação do funcionário.
Ela: oi Zé, não sei como te agradecer, quando eu receber vou te dar um agrado.
Eu: precisa não, Dona Socorro. Havendo qualquer dúvida é só me ligar. Anote o número do meu celular.
.
Comentário:
engraçado, pela primeira vez sentir que pode ser prazeroso e emocionante ser advogado.
Talvez seja disso que eu estou precisando ultimamente.
EMOCIONAR-ME.
com o passar do tempo parece que a gente vai perdendo a capacidade de emocionar e emocionar-se.
Jamais esperava que advocacia pudesse proporcionar-me uma emoção como esta que tive agora nesta fala com a Dona Socorro.

Menos o que,,,??????

Um momento, o telefone toca
Sem qualquer cumprimento, a pessoa já vai me dizendo "oi Zé, você tem o jornal do dia..."( a bateria do telefone esgotou-se, a ligação caiu)
Após algum tempo, a mesma pessoa
Ela: Oi Zé, você tem o jornal Daqui, onde tem uma reportagem minha?
Eu: não
Ela: nem prá isso você presta, posso morrer que ninguém faz nada, adeus
( e desliga o telefone).
.
Empo: muito estranho o comportamento da pessoa. Trata-se de uma amiga, a Dominique. Ela envolveu-se numa briga com outra mulher e, daí, a tal reportagem. Tenho o maior apreço pela Dominique. Há dias estava querendo conversar com ela mas, como se vê, ela não meu deu tempo.
Ou será que fui que fui ríspido demais?
Ou fui rápido?
A sensação é a de que as pessoas estão muito apressadas, não esperam a gente nem concluir a fala.
Ela bateu o telefone na minha cara.
Será que vacilei?
Talvez eu devesse ter sido mais rápido no gatilho e ter procurado saber de outros assuntos, mostrar-me mais afável, ocorre que não esperava que ela fosse bater o telefone na minha cara.
Isso diz respeito a menos o que?
Menos incerteza.
Ela não tinha ou não tem certeza do quanto eu gostaria de ajudá-la.
Vou tentar retornar a ligação para ver o que se passa com Dominique.
Talvez ela precise de um advogado.
Quem sabe eu descubra aqui o prazer desta profissão?

Menos perfeccionismo (clique aqui)

Menos o que

(continuação da postagem anterior)
Só em ver-me telefonando para H, entrei em pânico
De uma forma que me passou convicção = segurança = naturalidade, o meu amigo disse-me
"ligue com a segurança de amigo"

Menos não sei o que

Um momento, o telefone está chamando
É um amigo.
Ele: como você está?
Eu: não consigo esquecer de H, o sentimento de culpa por não ter sido capaz de lidar com a situação me incomoda bastante. Há dias estou com vontade de telefonar para H mas não tenho coragem.
Ele: sua insegurança é crônica. Liga como amigo. Qual o problema? Leva um papo de amigo. De igual prá igual. Nada de complexo de inferioridade. Respira e conversa como você está conversando comigo agora, pergunta como está, convida para um encontro.
.
Em tempo1: de fato, a minha insegurança é crônica. Só de pensar nesta possibilidade o medo já toma conta de mim. Incrível. Isto tem se repetido em todas as minhas tentativas de levar adiante um relacionamento. Alguma coisa que me impede decidir, optar. É como se eu não soubesse o que quero. É como se eu não merecesse. Uma auto-sabotagem que termina por estragar tudo. Eu mesmo tenho feito por onde as coisas não deem certo ao sabotar o próprio relacionamento. Demoro a decidir. A pessoa percebe minha indecisão = fuga. Não sei o que quero? Se sei, pelo menos a ficha demora a cair para que, assim, eu passe a comportar-me de forma a levar adiante a relação ao invés de começar, por minhas próprias mãos, a auto-sabotagem como seu eu não merecesse. O que levou-se a internalizar isso, este não merecimento, esta insegurança crônica, esta incapacidade de fazer uma simples ligação para uma fala de amigo para amigo.
.
Em tempo2: alguma coisa acontece
"alguma coisa acontece no meu coração"
(Caetano Veloso)

Menos emoção

Nesta noite sonhei que estava namorando numa sala
Abandonei esta sala do namoro e entrei noutra sala, a da amizade, onde encontrava-se um amigo de longa data
O ambiente estava muito aconchegante
O meu amigo queria conversar, estar ao meu lado
Eu também tive vontade de sentar-me ao lado do amigo, vi que aquilo seria prazerorso
No entanto, ao invés disso, voltei à sala do namoro
Deixei o amigo para depois
Ao chegar à sala do namoro, esta estava vazia, a pessoa pela qual eu estava interessado havia ido embora
Ao voltar à sala da amizade, também esta encontrava-se vazia, o amigo havia ido embora

num outro sonho o general A havia morrido, tendo deixado muitos livros.
o acervo foi entregue a outro general
saí à procura do material
ocorre que cheguei tarde
( )decidi tardiamente, na última hora, quando não tem mais jeito
devido à falta de convicção pela busca, ao buscar o acervo este havia sido dado de presente para o general B
e este entregou para o general C
o último general a ter recebido de presente o tal acervo teria sido o general G = Geisel
ah sim, fazia parte do acerco um fichário de vítimas da ditadura militar

Em tempo1: coisas implicadas neste sonho
falta de sequência
descontinuidade
déficit de atenção
incerteza
indecisão, não sabe o que quer
medo
insegurança
ansiedade
decisão tardia
na verdade trata-se de uma realidade minha

Em tempo2: será que faz sentido usar este blog para registro de coisas minhas?
( )autismo
só faz!
no momento este blog está tendo esta função
não estou nem aí para quantidade de visitante
estou usando-o sim, como espaço terapêutico
coisa minha

Menos inteligência

Muito interessante esta sugestão de leitura, enviada pelo artista plástico Antônio Pinheiro

Quando Winston Churchill, ainda jovem, acabou de pronunciar seu discurso de estréia na Câmara dos Comuns, foi perguntar a um velho parlamentar, amigo de seu pai, o que tinha achado do seu primeiro desempenho naquela assembléia de vedetes políticas. O velho pôs a mão no ombro de Churchill e disse, em tom paternal: "Meu jovem, você cometeu um grande erro. Foi muito brilhante neste seu primeiro discurso na Casa. Isso é imperdoável. Devia ter começado um pouco mais na sombra. Devia ter gaguejado um pouco. Com a inteligência que demonstrou hoje, deve ter conquistado, no mínimo, uns trinta inimigos. O talento assusta. E ali estava uma das melhores lições de abismo que um velho sábio pode dar ao pupilo que se inicia numa carreira difícil. A maior parte das pessoas encasteladas em posições políticas é medíocre e tem um indisfarçável medo da inteligência.Isso na Inglaterra. Imaginem aqui no Brasil. Não é demais lembrar a famosa trova de Ruy Barbosa: Há tantos burros mandando em homens de inteligência que às vezes fico pensando que a burrice é uma Ciência. Temos de admitir que, de um modo geral, os medíocres são mais obstinados na conquista de posições. Sabem ocupar os espaços vazios deixados pelos talentosos displicentes que não revelam o apetite do poder. Mas é preciso considerar que esses medíocres ladinos, oportunistas e ambiciosos, têm o hábito de salvaguardar suas posições conquistadas com verdadeiras muralhas de granito por onde talentosos não conseguem passar. Em todas as áreas encontramos dessas fortalezas estabelecidas, as panelinhas do arrivismo, inexpugnáveis às legiões dos lúcidos. Dentro desse raciocínio, que poderia ser uma extensão do Elogio da Loucura de Erasmo de Roterdam, somos forçados a admitir que uma pessoa precisa fingir-se de burra se quiser vencer na vida. É pecado fazer sombra a alguém até numa conversa social. Assim como um grupo de senhoras burguesas bem casadas boicota automaticamente a entrada de uma jovem mulher bonita no seu círculo de convivência, por medo de perder seus maridos, também os encastelados medíocres fecham-se como ostras à simples aparição de um talentoso jovem que os possa ameaçar. Eles conhecem bem suas limitações, sabem como lhes custa desempenhar tarefas que os mais dotados realizam com uma perna nas costas, enfim, na medida em que admiram a facilidade com que os mais lúcidos resolvem problemas, os medíocres os repudiam para se defender. É um paradoxo angustiante. Infelizmente temos de viver segundo essas regras absurdas que transformam a inteligência numa espécie de desvantagem perante a vida. Como é sábio o velho conselho de Nelson Rodrigues: "Finge-te de idiota e terás o céu e a terra".O problema é que os inteligentes brilham sem querer. Que Deus os proteja!

Fonte: estamos vivendo : O medo da inteligência (http://www.oglobo.com.br/rio/bairros/gueiros/post.asp?cod_post=104129)

Menos homofobia (clique aqui)




Parada menos

Xoxa
Por André Fischer
Em 12 anos de existência essa é a primeira Parada menos. Menos gente também, mas nem tanto. E esse nem seria um problema. A super lotação do ano passado é algo que ninguém desejava mais.Mas na rua havia menos carros, menos montadas, menos gente bonita. Menos violência e mais bem organizada também, é verdade. Mas certamente menos vibe.
E nem venha dizer que é meu ponto de vista, pois tivemos um lounge mais lindo, mais bem produzido, com mais gente bonita, mais amigos, mais celebridades, mais parceiros e mais patrocinadores do que no ano passado. Delícia de festa. Só que lá na rua, onde no final das contas é o que importa, estava diferente. Era isso que se via, era isso que quem chegava compartilhava. Ouvi a palavra "xoxa" várias vezes.
Quem foi pela primeira vez achou o máximo. A Parada Gay de São Paulo realmente é o máximo, vai ser difícil acabarem com ela.
Mas esse ano veio burocrática, corrida, sem glamour. Em menos de 4 horas a festa na Paulista começou, terminou e já tinha virado xepa. O último carro, anunciado como surpresa, resumiu o espírito da coisa: um carro vazio, sem ninguém nem nada escrito. Segundo a organização representava as vítimas da aids e da homofobia. Terminar uma Parada com uma derradeira ducha fria? Para quê mesmo? A ausência de casas noturnas também foi determinante. Afastaram deliberadamente os clubes gays, que sempre foram sinônimo de boa festa. A militância é fundamental, é a mensagem que ela elabora a função disso tudo. Só que o que se viu foi uma sucessão de trios desanimados. Dos três únicos carros do setor privado, todos de sites de relacionamentos e que eram os menos caídos, dois já declararam que não voltam. Afirmam que é caro demais e que seu público alvo já não está mais lá. Nada contra quererem transformar a Parada em uma Marcha, pode ser um caminho. Só avisem antes, e abandonem o formato micareta pelo qual se consolidou.
As ruas paralelas estiveram mais lotadas do que nunca. Os Jardins e a Frei Caneca cheios evidenciam que boa parte do público estava ali apenas pelo fervo, à margem da manifestação.Na coletiva de imprensa o poder público falou bonito sobre a importância para a causa glbt, o impacto na construção da imagem e nas contas da cidade. Precisamos traduzir cada vez mais a Parada em direitos civis, mostrar o lugar de São Paulo no mundo e faturar. Mas faturar deve ser objetivo do comércio, do estado, das empresas. Não da militância. Porque essa não sabe fazer festa.

12a. Parada Gay/SP

Fonte: Ig

Menos

Aqui começa uma nova sequência

21/05/2008

Quase

RONALDÃO

Eduardo de Paula Barreto

Não sou gay, não sou gay
E isso eu posso provar,
Nas partidas que joguei
Os colegas que abracei
Foi só para comemorar.

E nos intervalos dos jogos
Eu sempre como macho agi,
Ao ver os rapazes musculosos
Jamais tive pensamentos libidinosos
E nunca deixei o sabonete cair.

Tive as mulheres mais lindas
No exterior e também aqui,
Mas nessas idas e vindas
Resolvi ampliar minha lista
E contratei um travesti.

Fiquei até animado
Com aquilo que ele fez,
Mas fiquei assustado
Quando ele olhou-me de lado
E disse: Agora é a minha vez.

Contrariado permiti
Que ele terminasse o programa
Foi quando percebi
Que gamei naquele guri
Mesmo sendo homem-dama.

www.opoetizador.com

20/05/2008

Quase

na pressa em apresentar notícias ruins a mídia brasileira alardeou que mais um avião teria caido sobre SP.
aproveitou para disparar que o caos aéreo teria voltado.
ocorre que a fumaça noticiada como de acidente aéreo era na verdade provocada por um colchão em chamas.
colchão virou avião.
alguém deve ter pronunciado colchão e entenderam avião e foi assim que a notícia correu mundo afora.
quase-notícia
quase-furo
quase-verdade
quase-avião

estou adorando fazer estes exercícios de percepção das coisas quase

PS: assista ao "quase-acidente de avião"
http://br.youtube.com/watch?v=_V8hVOeVZGI

Quase-amigo

no momento assisto ao depoimento do André Fernandes,
quase-amigo de José Aparecido,
ele diz que não é amigo deste
não são amigos mas trocam emails,
amigos ou quase amigos,
amanhã serão amigos?
qual a receita para um quase-amigo virar amigo?
troca de que?
quero saber

PS1: esqueci de dizer que o assunto posto pelo quase-amigo é o dossiê anti-FHC
.
PS2: O que veio à tona ontem e hoje na CPI da tapioca dá uma idéia como têm agido os tucanos para a volta ao poder. De um lado uma mídia comprometida até os dentes. Do outro lado, algum petista desavisado que, volta e meia cai nestas arapucas tucanas. Assistir ao depoimento de André, assessor de Álvaro Dias, é entender o modus operandi dos tucanos, que envolve amizades simuladas, espionagem, assédio, chantagem. A operação sempre se completa com uma imprensa sedenta por mais uma crise no governo Lula, como se vê, todas elas crises inventadas pela mídia. Esta CPI da tapioca pelo menos teve o mérito de tornar público o "modus operandi" para tirar do caminho nomes que ameaçam o projeto Serra Presidente. Roseana Sarney e Mercadante, já foram vítimas de tais ciladas, sempre Serra sendo favorecido pelos trambiques montados. Não fosse a boa atuação da PF, os tucanos teriam tido sucesso em mais esta trama, o chamado "dossiê anti-FHC," cuja bola foi passada para a Veja e desta para a Folha, Estadão e Globo.
Só que quebraram a cara, pois Dilma não caiu, como eles pretendiam. Enfim, quase deu certo.

Quase-excelente reportagem (clique aqui)

Histórias de Quase

A partir de agora começo uma nova sequência, um novo personagem
Título: Histórias de Quase
Motivo: é que por muitas vezes as coisas são feitas assim não totalmente mas à meia-luz, quase, quase fez o gol, bateu na trave
Objetivo: desenvolver a percepção desta doença chamada Síndrome do Quase (SQ) e, assim, estar mais atento para a importância de coisas como perspicácia = liberdade = decisão, consciência do que se quer, etc, ainda não sei ao certo, pretendo descobrir no andar da carruagem

PS: afinal de contas eu também sou um quase.
Quase - eu
Daí o interesse por esta experiência.

16/05/2008

Torta de Limão com Chantili

Ingredientes
.2 xícaras (chá) de farinha de trigo
.2 colheres (sopa) de margarina
.2 colheres (sopa) aç~ucar
.+/-6 colheres (sopa) de leite
.2 gemas de ovos
.1 colher (chá) de termento em pó
Modo de fazer
Misturar todos os ingredientes e amassá-los até a masa desgrudar das mãos (não a deixe muito dura). Forrar o fundo e as laterais de um pirex ou fôrma desmontável (não untar), abrindo a massa com as mãos. (Fazer alguns furos, com um garfo, no fundo da massa).
Levar para assar até dourar (cerca de 20 minutos aproximadamente.)
Deixe esfriar e acrescente o recheio.
Recheio
.1 lata de leite condensado
.1/2 xícara (chá) de suco de limão, coado
.1 lata de creme de leite
Mexer bem o leite condensado com o limão, até formar um creme, juntar o creme de leite e mexer bem.
Colocar sobre a massa.
Cobertura
.1 xícara (chá) de creme de leite fresco
.1 colher (sopa) de açúcar
Bater até o ponto de chantili
Colocar sobre a torta e enfeitar com raspas de limão.
Bom apetite!
PS: o meu prazer estaria em fazer a torta,
o prazer de fazer uma coisa real,
o prazer de estar fazendo uma comida para aquela pessoa.
O meu prazer consistiria nisso,
no máximo o prazer de assistir àquela pessoa saboreando a torta,
eu mesmo não poderia experimentar.
tenho intolerância à lactase.

Respeitar o fluxo das coisas

Isso.
Respeitar o fluxo das coisas.
É isso o que estou praticando no momento.

a ficha caiu ao ler antigos textos publicados neste blog e que estou deletando.
textos que no momento estão funcionando como espelho.
um espelho que talvez não sirva a outrem e por isso estou retirando.
como pude ser tão imaturo?
pré-figural

Enquanto o amor não vem

Por Fernanda Danneman
.
O que fazer nesse meio tempo, quando a solidão muitas vezes pode ser tão dolorosa e o tédio, imenso? Em vez de se deixar contaminar pelo desânimo ou pelo desespero que acaba fazendo com que você aceite a companhia de qualquer pessoa, mergulhe na cura interior.
Estabeleça um diálogo consigo mesmo(a). É fundamental ouvir-se, questionar-se, analisar comportamentos, atitudes e desejos, para encontrar um novo ideal de conduta e de relacionamento. E assim, aprender a buscar a felicidade de um amor duradouro e a descartar aqueles que certamente só lhe trarão sofrimento. Saber viver o tempo de estar só é a oportunidade para um verdadeiro renascimento. A entressafra amorosa pode ser o momento ideal para a construção de uma vida a dois maravilhosa.
Aproveite para mudar os seus padrões de comportamento e fazer uma revisão do que não tem funcionado nos seus relacionamentos. Para ser feliz no amor é fundamental ter uma boa auto-estima e alimentar o desejo de tornar-se cada vez melhor e de crescer sempre. Acredite ou não, a felicidade amorosa começa justamente quando estamos sozinhos, à espera do amor.O ponto de partida para o amor bem sucedido é compreender que você é a única pessoa que pode fazer por você aquilo que, provavelmente, vem desejando que o(a) parceiro(a) faça.
Alimente o amor-próprio e saiba dar um tempo para se ouvir, rir, abraçar-se carinhosamente. Um tempo só seu, em silêncio, para que seja possível entrar em contato com os seus sentimentos mais profundos e alimentar o amor pelo ser que você é e que já tem tudo o que precisa para ser feliz. Uma boa auto-estima significa, também, saber cuidar-se. Estar atento(a) para as suas necessidades, potencialidades, desejos verdadeiros. Se não se dedicar a você mesmo(a), continuará procurando fora aquilo que só encontrará em seu interior. Alimentar a expectativa de um(a) parceiro(a) que corresponda à todas as suas expectativas é o caminho mais curto para fazer os seus relacionamentos naufragarem.
Pare de se criticar. Em vez de remoer fracassos ou e afogar-se na própria raiva e frustração, aceite os fatos que aconteceram em sua vida, principalmente, aqueles que passaram e que não podem ser refeitos. Procure identificar o padrão de comportamento e as razões que costumam levar ao fim os seus relacionamentos amorosos. Enquanto não perceber o que é que você costuma fazer e que não está funcionando, não adiantará mudar por fora, ganhar dinheiro, ou realizar outras mudanças externas.
Limpar o passado significa entrar em contato com a sua verdade, com aquilo que você é, aceitando-se e entrando num movimento natural de expansão da vida. Isso quer dizer assumir um compromisso com o crescimento contínuo, a melhoria constante, a superação das próprias dificuldades, o aumento da capacidade de ver o outro. Desenvolver a capacidade de se colocar no lugar do outro, de trocar e compartilhar sem comprometer seus valores fundamentais.
Livre-se de crenças como: "Não posso viver sem o(a) fulano(a), que é o meu amor" ou "Deve haver algo errado comigo", "Todo mundo é melhor do que eu", assim por diante. As experiências dolorosas nos ensinam que é preciso parar, analisar, questionar-se e encontrar a verdade dentro de nós. Sem medo nem vergonha de encarar a realidade de frente. É fundamental afastar o hábito das desculpas e justificativas que não levam a nada e não passam de uma tentativa de tentar racionalizar o que não está funcionando.
Quando não se está feliz afetivamente, é comum acreditar-se que é preciso encontrar alguém especial para voltar a ser feliz. Isso explica porque tanta gente se atira em um relacionamento após o outro, com medo de ficar só e não suportar o contato com as suas questões.
O melhor a fazer é aprender com os relacionamentos passados e utilizá-los como espelhos que refletem os seus problemas a serem trabalhados.
Ao fazer isso, você encontrará as ferramentas para solucionar os problemas e se dará conta da importância da atitude no seu relacionamento consigo próprio(a) e com o outro.Tenha disposição para mudar. Esta disposição acaba com os gérmens da culpa, da vergonha, do fracasso, da raiva, do medo e do ressentimento. Desejar tornar-se melhor para si mesmo(a) e para os outros é um bom começo. Mantenha a auto-vigilância e observe como passa a agir.
Se em algum momento desse processo você se sentir desanimado(a) e preso(a) a comportamentos negativos, sente-se, respire fundo e repita para si mesmo(a): “Esse é apenas um reflexo de algo que estou manifestando agora. Não é o meu ser verdadeiro. Faça uma escolha diferente. Mude de idéia. Logo, estará mais calmo(a) e em condições de agir de forma positiva.Quando sentir-se atraído(a) por alguém, cuidado com táticas desesperadas de conquista. Muitas vezes, quando uma pessoa começa a fazer todo o esforço do mundo para conquistar outra, acaba se afastando de sua verdade: diz coisas que não diria normalmente (e até o que não acredita), tem atitudes que não teria e perde o seu eixo, tira os pés do chão. Em pouco tempo acabará se desrespeitando e iniciando um romance que não terá base de sustentação e acabará desabando.
Cuidado com esse incontrolável desejo de agradar
Com freqüência, de tanto querer agradar e fazer tudo certinho, corre-se o risco de extrapolar.
Isso se aplica a diversos aspectos da convivência, como:
Dar mais atenção ao outro do que o outro gostaria.
Sair super produzido(a) para um programa simples como um cineminha ou um café.
Dar uma de atleta sexual na primeira vez que faz amor com aquela pessoa.
Encher o outro de perguntas, querer logo saber tudo sobre a outra pessoa.
Quem gosta de um(a) detetive no pé?
Controle o desejo de criar intimidade ou de agradar. "Caso contrário, você só conseguirá assustar o outro, que ira fugir", diz Vilma Ferreira.
A verdade é que a dedicação exagerada assusta e dificilmente agrada.
A melhor atitude é ser o mais autêntico(a) possível em vez de ficar fazendo "tipo."
Não tenha vergonha de ser natural, de dizer o que pensa, mostrar como vive, de contar suas preferências, ser você mesmo(a).
É importante ir devagar, saber que tudo leva um tempo para acontecer e não tentar apressar esse ritmo.
Quem quer aprender a ser um bom parceiro(a) amoroso(a), deve, antes de tudo, aprender a ser um bom parceiro para si mesmo.
"Saber agradar-se, respeitar-se e gostar de si mesmo é fundamental para a conquista da felicidade", diz a psicóloga.
Quem consegue ser feliz sozinho é capaz de ser generoso(a) e equilibrado(a) e demonstra ter condições vitais para conquistar alguém e ser vitorioso no amor.
Em tempo:
isso também (auto-estima)
.
auto-estima
(técnicas de respiração)

15/05/2008

Liberdade

Proibição do casamento gay é inconstitucional, declara Justiça da Califórnia.
.
SAN FRANCISCO, EUA (AFP) - A Suprema Corte da Califórnia decidiu nesta quinta-feira que a proibição estatal do casamento gay é inconstitucional, dando, assim, liberdade para pessoas do mesmo sexo se casarem no estado mais povoado dos Estados Unidos.

Em uma decisão que, segundo especialistas, poderá ter impacto em todo o país, o tribunal argumentou que permitir o matrimônio legal apenas entre um homem e uma mulher é discriminatório, segundo um extenso documento da Corte.

"Limitar a designação de matrimônio à união 'entre um homem e uma mulher' é inconstitucional e deve ser retirado do estatuto", considerou em um comunicado o presidente da Corte, Ron George.

Com essa decisão, abrem-se tecnicamente as portas para casamentos de pessoas de mesmo sexo na Califórnia (oeste), que se torna o segundo estado do país, depois de Massachusetts (nordeste), em reconhecer esse direito a comunidade homossexual.

Em Nova Jersey e Vermont (nordeste) existem leis que garantem ao casal gay uma série de direitos legais similares aos de um casamento heterossexual, como herança e divisão de bens.

Fonte: Yahoo Notícias

A partir de agora este spin passa ser coletivo = nós e não mais na pessoa 1a. = eu eu eu eueueueueueueu eueueu eu eueueueueueu eueueu eueueueueu

o SPIN é arte=divindade=perfeiçãoTudo é arteInclusive estas frutas criadas pela engenharia genética.Dias atrá, dormindo, sonhei=olhei vi um animal existente=inexistenteEra uma cachorrafa, uma mistura de cachorro com girafaVi que era uma obra de arte de autoria de algum spin geneticista.Quanto à obra acima, também é arteUma arte=poesia criada por escravisados da fazenda Pagrisa, esta portadora de sintoma=patologia do nazismo .No SPIN as obras de arte são expostas nas frutarias, onde o(a) apreciador(a) está verdadeiramente apto=aberto=capazE assim, com seu olho em plena capacidade, pode=deve apreciar não apenas as frutas como também outras obras de autoria dos moradores do bairro=cidade=nação=planeta

14/05/2008

Ângela Maria


Neste 13 de maio a cantora Ângela Maria completou 80 anos de idade.
Em 1995, no show "Estava Escrito," o cantor Ney Matogrosso homenageou a cantora.

Bom dia!

Estamos refazendo tudo o que escrevemos = fomos
Onde estávamos para não termos feito as coisas corretamente?
Onde nos perdemos?
Como nos perdemos de vista, temos que refazer.
E refazer é mais trabalhoso do que fazer
Refazendo tudo, não apenas a escrita como também os gestos = atitudes.
Como tem sido o nosso contato com colegas de trabalho, amigos, alma gêmea, etc
Como cumprimentamos as pessoas?
Que tal aprendermos a nos comunicar?
Com ênfase: "Fulano(a), bom dia!!!!."
Truncado: "bom d". Neste se engole vogais, consoantes...
Sonolento: "bm d" ( sem prestar atenção no interlocutor).
Telepático, aquele no qual nem abrimos a boca e, no entanto, achamos que o outro captou a mensagem.
Cultivemos a presença nos simples gestos
Timidez, déficit de atenção, hiperatvidade, autismo, estas coisas são impecilhos
Neste caso o poder curador = médico poderá ser uma boa saída para nós
( )exercícios, vivências, remédios
não ao caos
divagamos
divagar foi mais prazeroso do que namorar?
( )eis aqui o personagem Idéia Sem Par em ação.
onde estávamos para não nos sentirmos presentes na hora do love?
cadê o nosso corpo físico, nossos pés no chão?
não troquemos a realidade aqui = agora por um mundo autista = louco = imaginário
não transformemos em miragens as coisas reais
o que procuramos tanto e por tanto tempo que nunca achas?
a alma gêmea, o amigo, o trabalho, o sexo perfeito?
ah sim, a perfeição
por várias vezes encontramos a perfeição e a alma gêmea que tanto procuramos.
apenas não percebemos o acontecimento.
( )eis aqui o personagem Idéia Sem Saber o Que Quer em ação.
vacilo = desatenção = busca = autismo = fuga = ansiedade, livremo-nos deste terrível mal.
atentemos para o fluxo das coisas
vivenciemos eficazmente o tempo = espaço
façamo-nos presentes aqui = agora
antes que seja tarde
caso recorramos ao Poder Curador, o spin médico o levará a produzir sua autobiopatografia, um emaranhado de textos sem preocupação estética dos quais poderão brotar desenhos, pinturas, vídeos, etc.
mais uma chance para que saiamos do mundo real.
mais um motivo para refugiarmos no mundo imaginário e deixarmos a sós quem está ao nosso lado.
este é o nosso drama.
o que queremos mesmo é ouvir um gostoso bom dia.

Em tempo: será isso?
talvez não

13/05/2008

Pausa para faxina

Está sendo muito trabalhoso para mim excluir deste blog textos que, com o tempo, perderam o sentido
É que o sistema demora deletar
Como puder ser tão relapso = destrambelhado?
Frases e mais frases sem o menor sentido
Onde eu estava?
Tanta energia = dinheiro = tempo = espaço desperdiçado
Não quero mais escrever por escrever
Por conta deste blog minha alma gêmea se foi
E meus dentes por implantar?
Não valorizei o respeito ao fluxo das coisas
( )não sei quando volto a atualizar este blog
é que, como disse, o processo de exclusão dos posts é lento,
o aprendizado através da experiência = vivência
agora sei
agora sei
agora sei
foi nisso no que deu a minha a falta de cuidado
esta falta de = atenção = cautela se estendeu ao campo afetivo
( X )pasto
Idéia Sem

12/05/2008

Idéia Sem Alma

Idéia Sem Vida
Morto no interior de uma sala de aula
Idéia Sem Energia
Morto

( )reativar-se
Tomar uns energéticos
Uns exercícios físicos
Muito sedentário

Cadê sua força = sedução
Pois trate de animar-se
Sedento
Há muitas coisas a serem escritas
A morte do último dinossauro
O calendário=cruz=organograma
A nascença=morrença no rosto do sol=criação a nível de sistema planetário
A percepção de nosso inacabamento, isto há 666.666 anos,
a nossa existência em forma de macacos

Não estou a fim de perder-me num mundo imaginário.
Só quero uma coisa: cair na real.
SPuxe-me para a realidade
Não...nada disso
Não quero somente isto
Quero também sair da real
Perder-me
( ) teatro, música, arte, histórias, leituras, escrita
Estou a fim de perder-me num mundo imaginário

Dnegrir

Um morador de rua me disse que a palavra "denegrir" deveria ser proibida.
Para ele, "denegrir' quer dizer "pintar de negro"
Eu: qual seu livro predileto?
Ele: a Constituição Federal. Pastor nenhum manda na minha vida. Sou livre. Quando vou aos comícios tomo o microfone dos políticos e digo para eles não pronunciarem a palavra "denegrir".
Para isso, baseio-me na Constituição Federal. Posso processá-lo.
Eu: nossa! Essa palavra “denegrir” é tão grave assim?
Ele: meu filho, “denegrir” quer dizer “de negrir, ou seja, coisa de negro.”

Idéia Sem Rosto

Aquele ser era muito bonito
Sua roupa era estrelada
O Idéia ficou encantado com aquela beleza
Parecia Omulu
Seu rosto não estava à mostra
Era o Idéia Sem Rosto
Aquele ser estava todo coberto por aquela roupa estrelada
E cada ponto cintilante naquela roupa era como se fossem olhos
Aquele tinha tinha mil olhos no corpo=roupa
O Idéia estava construindo esta obra em ordem descrescente
Havia escrito o 67º canto e haveria de escrever o 66
Como o Idéia tem medo do canto 66, pois que sempre remete à morte, relutou em escrever tal capítulo
Não o escreveu mas o vivenciou através do sonho=realidade
Após o aviso contido naquele sonho
Escapou da morte por um triz
O Idéia foi visitado pela morte em forma
Ou quase em forma
Idéia Sem Morte

O belo

Ontem, dia das mães, o Idéia acompanhou um amigo ao cemitério = necrópole Sant´Ana
Incrível
Trata-se do lugar onde mais existe arte nesta cidade-estado
O Grande Cruzeiro rodeado de flores=luzes para os mortos
As mensagens nas tumbas
Os corais de música sacra espalhados pela cidade dos mortos
Folders cristãos=budistas=islâmicos
Todos estavam ali
Os mortos
A igualdade depois da morte
Esculturas preservadas
Não há nada caindo aos pedaços
Esculturas-túmulos limpos
Obras bem trabalhadas
Algumas em forma de capelas, com chave e tudo
Nada roubado=depredado=quebrado
Beleza no cemitério Sant´Ana
Acabamento perfeito

11/05/2008

Abertura

A agonizante Terra morre = olha = é
E cada um de nós, como que num gesto = suspiro final
quer levar a última lembrança o que de pouco ainda resta do planeta = nave
e assim apressamos a devastação = morte final
cadê a minha parte?
E assim aquela mulher leva para sua casa aquela embira morta como enfeite
Amigos, amigas,
que tal deixar as embiras no mato?
Não vês que os macacos delas necessitam para se arrastar = transportar por entre entre as árvores e catar frutos para se alimentar e, no seu sustento, sustentar a floresta ao espalhar as sementes?
Oi “humano," prá que queres esta embira em casa
Deixe lá as embiras, as pedras seixos, a areia, os papagaios, os periquitos, o jabutis, os tatus...
Se em todo o caso a tua ignorância é tanta que não te permites enxergar, tudo bem
Bom proveito faça aquela mulher com aquela embira = falo
E você com o seu papagaio verdadeiro
Seu tatu
Não seria melhor, ao invés de arrancar = cortar uma embira, fotografá-la e coloca-la no seu livro post-mortem?
Este é meu livro post-mortem
O livro da vida = história do Idéia
Isto é o que ficará na minha cidade-Estado após minha morte
Deixarei não meus ossos mas esta obra
É isto que deixarei nesta cidade-Estado
Não apenas ossos no cemitério
É que, para o Idéia, o que vale mesmo é o conhecimento = bondade
E não os ossos = matéria
Assim abro = começo = termino esta obra
( ) firme
bom...

Aqui começa um novo formato de escrita deste blog,

não sei se livre, sem sequência nenhuma
ou blocos de dias,
a escrita me surta,
tenho que ter cuidado
formatos possíveis
( )visão.forma.conhecimento
( )D..tudo, todos as coisas marcadas com a letra D
( )mensário, sendo que o calendário a ser seguido é o de Idéia, onde cada ano é formado por 5 meses de 73 dias (marte a netuno), sendo 74 dias em marte de ano bissexto
( )lexômetro, leitura da realidade
( )deiscências. Por este formato, será blogado tudo aquilo que seja deiscente = dêictico
( x )Idéia Sem Sequência. Aqui os textos são soltos, sem atentar para qualquer cronologia = formato
Idéia Sem Rotina.
Impermanente

A vida fora da internet - 13/70 a 70/70

Em branco

Em branco

(fim da série)

10/05/2008

A vida fora da internet - 12/70

É tarefa do Idéia salvar=guardar os nomes dos mortos. Não qualquer um. Não, por exemplo, o mentor = criador da Segunda Guerra Mundial. Mas aqueles que, em vida, foram bons e deixaram o conhecimento = palavra = lei ao invés de apenas ossos no cemitério. Assim como Getúlio Vargas, spin governante, humano.
posted by jose carlos lima at Terça-feira, Outubro 31, 2006
29 Outubro 2006

Aviso aos navegantes em 29 de outubro, 9 de netuno, 2006
Neste 29 de outubro, 9 de netuno, 2006 esta obra migra pra outro blog.
Cansei deste.
Porque migrei para lá?
Acusou "erro no sistema" e, assim, estive impedido de qalquer publicação,
Por isso vou = v:ôo
.
Faz parte da construção de qualquer obra, o afastamento de seu autor em relação a ela. A o afastar-se, volta com os olhos descansados e assim percebe melhor. Quanto à destinação desta série de blogs, que vai do ideia66 ao idéia 70, passarão a ser o Livro dos Mortos.
Um obituário que servirá à escrita = registro de nomes = olhos = seres de animais, seres humanos e pessoas jurídicas que, ao morrer, deixaram na cidade-Estado o conhecimento ao invés de apenas ossos no cemitério.
posted by jose carlos lima at Domingo, Outubro 29, 2006
27 Outubro 2006

Renato Russo
.
Cazuza
.
Secos & Molhados
Como você pode ver, estou escrevendo os nomes dos mortos que não se importariam = esquentariam em ver seus nomes escritos. Daí o nome do conjunto musical Secos & Molhados, spin cantor, pessoa jurídica. O S & M morreu mas deixou no planeta a deiscência = conhecimento e não apenas ossos no cemitério..
posted by jose carlos lima at Sexta-feira, Outubro 27, 2006

Rogério Duprat
Foi sepultado hoje Rogério Duprat, spin músico, humano. Participou do movimento tropicalista. O nome dele está sendo escrito agora pelo fato de ele ter deixado o conhecimento ao invés de apenas ossos no cemitério. O que vale é o conhecimento e não os ossos. Há quem tenha vivido e, ao morrer, tenha deixado apenas ossos no cemitério, como por exemplo o mentor=desencadeador da Segunda Guerra Mundial. O nome dele não será escrito.
posted by jose carlos lima at Sexta-feira, Outubro 27, 2006
.
BRUNO RIBEIRO MACEDO
No momento a TV, spin verbalizadora, pessoa jurídica, mostra=fala da morte do jovem Bruno Ribeiro Macedo.
O seu pai estava sofrendo um infarto.
Ele saiu desesparado numa motocicleta em busca de socorro, em companhia de um amigo.
No momento em que pára um taxi e pede socorro recebe um tiro de fuzil disparado por um policial que interpretou o gesto desesperado do rapaz como um assalto.
Não precisamos de ficção.
A realidade é uma ficção.
Que loucura!Agora a TV mostra a imagem do pai e filho sendo velados.
A mãe pede justiça.
Não seria o caso de pedir, mais do que justiça, cura=salvação para as mentes doentias destes policiais?
Por isso na sociedade de Idéia existe o Poder Curador, de curar=sanar, no lugar do Judiciário, de julgar = punir
posted by jose carlos lima at Sábado, Novembro 04, 2006

A vida fora da internet - 11/70

Nem todos os mortos terão seus nomes escritos no livro do Idéia.
O nome do mentor=criador da Segunda Guerra Mundial jamais será escritoNem os nomes dos que mataram Wladimir Herzog, spin jornalista, humano, jornalista e, antes de tudo, pai = filho = amigoNesta noite sonhei com os dois policiais que mataram-no.
No momento tenho que sairRetorno a este assunto.
Abraço,
.
Na cidade-Estado de Idéia o Poder Curador, ou seja, os médicos, existem prá isso mesmo. Prá você se curar = salvar = desabafar = olhar =ser. Lá, eles acompanham o vivente através de blogs como este onde registramos nosso spin. Destes textos podem surgir obras = filmes = esculturas = desenhos = pinturas de spin pintores, cantores, etc. O que é spin? Sistema Poético=Patológico Informativo Nato. Até mesmo nas teocracias islâmicas o vivente precisa ter sua liberdade no contato com o seu médico para fazer isso que estou fazendo neste momento: expressar-se=olhar-se=ser livremente.
.
.
Na cidade-Estado do Idéia não pode haver nenhuma contradição entre os sócios da sociedade, que são as três individualidades que são os aimais ( dos vírus aos dinossauros),os seres humanos e as pessoas jurídicas ( das Igrejas aos supermercados, passando pelas instituições públicas, como o Exército=polícia ). De forma que se a Polícia ou alguns dos seus agentes tortura, houve aí uma contradição entre uma pessoa jurídica e um ser humano. Esta doutrina será explicitada noutro momento. Agora meu tempo é curto. Tenho que ir à Caixa Econômica Federal resolver um problema para a minha irmã A. Tenho vários irmãos=irmãs, de A a Z. Desde a Ana ao Zé. Este assunto também fica prá depois. Que tal ater-se ao assunto proposto neste capítulo, o Herzog, spin pai=irmão=filho=jornalista, humano?..A segunda guerra mundial foi um exemplo de contradição entre uma pessoa jurídica, no caso uma nação, a Alemanha e uma parte de seu povo, os judeus e, por extensão, outras minorias sociais, religiosas, políticas, sexuais, etc. Aquele que idealizou=realizou a segunda guerra mundial, H, spin governante, pertencente à raça humana, não terá seu nome escrito. Senão não avançamos. Quanto ao sonho no qual conversei com o assassinos de Herzog, devo tocar neste assunto? Bom se já existisse tecnologia que permitisse gravar sonhos. Eu colocaria a cara dos dois assassinos para você ver. Para eles se verem e saberem que as coisas já não podem ser feitas assim de forma tão oculta...Relato do sonho. O Idéia chega ao DOI-CODI como que para trabalhar. Como o Idéia pode tomar a forma de qualquer coisa, naquele momento tem a forma=conteúdo de um policial. Portanto, íntimo dos demais que passam = passaram = passarão por aquele espaço = tempo. Passa por um corredor. No final do corredor vira à sua esquerda. Anda mais ou menos um 10 metros . À esquerda depara-se com uma porta fechada. Costumeiramente aquela porta ficava aberta. Por isso fica surpreso. Consegue abrir a porta e adentra a uma sala de espera. Quem adentrar àquele ambiente percebe que ali existem duas portas que dão para dois outros ambientes, um à esquerda e outro à direita. Ao adentrar no ambiente à esquerda o Idéia percebe que ali tem dois policiais presos. O Idéia começa a conversar com os policias. Recorda-se muito bem da fisionomia de um deles, idade aproximada de 45 anos, barriga avançada ( tipo “barriga de chop”), moreno-pardo, 1, 68 metros de altura aproximadamente e pesando por volta de 85 kg. Um policial com ar de despreparado para a função. Pergunto-lhes qual o motivo de eles estarem ali=presos. E eles me contam que estavam ali por terem um serviço mal feito. O chefe deles colocou-os ali. Começamos a conversar e eles me levaram à sala do lado direito de quem entra naquela sala de espera. Na sala à direita ( de quem entra) havia uma corda de cor azul. Os policiais me contaram que o problema todo, a causa da detenção deles foi por causa daquela corda. Não entendi muito bem. Mas depois, com a detalhamento do fato, eles deram a entender ao Idéia de que haviam “suicidado” um morto, no caso o Wladimir Herzog. A simulação de suicídio com aquela corda azul foi o tal “serviço mal feito.” O serviço errado teria sido, não exatamente a morte de Herzog mas o fato de terem deixado pistas que terminaram levando à conclusão de que ele não suicidou-se e sim foi morto por eles dois. Engraçado, no final da tarde de ontem eu vi dentro do ônibus um senhor que tinha exatamente as mesmas feições do policial visto no sonho. Para ser fiel a este relato, dei vontade de perguntar qual era a altura dele, o peso, a idade e a circunferência da barriga. Ele tinha um barrigão que nem o do sonho. Não tive coragem. Fiquei com medo de ele não entender minha intervenção=abordagem. Sei lá, fiquei com medo de ele reagir violentamente caso eu perguntasse: você tem quantos cm de abdomem = barriga? Uma vez um policial me bateu = torturou porque lhe abordei na rua com perguntas que o deixou nervoso. O que perguntei-lhe? Coisas como "quantos kilos você pesa?"
Talvez ele tenha razão. É muito estranho fazer perguntas como "a sua barriga tem quantos cm de diâmetro." É que sonho e quando vejo alguma pessoa na rua que me faz lembrar do sonho, interrogo a pessoa para ver se ela é a mesma do sonho daquela noite. Como gato tem medo de água fria, ontem evitei abordar aquele sonho digo senhor no ônibus.
.
.
O mundo é incrivelmente pequeno=grande. Nesta terça-feira cheguei cedinho ao desfile cívico-militar, que se deu por ociasião do aniversário de Goiânia - Rio Meia Ponte. Não é que o policial que me torturou aqui na Rua 21 porque lhe perguntei quantos quilos ele pesava ( ele era = é gordo ) estava lá? Quando o vi o olhei de forma impassível. Afinal de contas nem guardo mágoa dele. O Idéia foi longe demais ao interrogar aquele policial fardado = mascarado com perguntas como "qual é sua altura?" "Quantos quilos você pesa?" "A sua barriga tem quantos cm de diâmetro?"
.
.
O militar=limitar ficou me apontando para os demais do pelotão e relatando o ocorrido e rindo em tom de deboche = sadismo. Constrangido = triste saí dali e quis saí para ir embora mas no caminho encontrei com um grande amigo, o medo = humilhação passou e voltei para curtir a festa e o desfile, inclusive apontou o intrujo daqele milico para meu amigo. Repeti o mesmo jeito que ele fez para comigo. Ele fechou a cara=máscara em sinal de ódio. É bem provável que, quando ele me ver novamente na rua até me mate. Não to nem aí. Fiquei até o final da festa. Fui o último a sair.
.
.
O mundo é grande. Os espaços são imensos. Porque eu não poderia ficar ali? Você tem medo do que? Tenho para onde correr. Se eu o ver na rua novamente, é claro que os campos = pradarias estarão abertas para que eu possa fugir do local=dele. Além disso, ele está gordo. Talvez não dê conta de alcançar-me. De qual polícia ele é ? Do Exército. Ele estava no primeiro bloco do desfile, antes do bloco da Banda Militar. Ele tem um defeito na orelha. Vi o nome dele escrito no uniforme mas não gravei. Com medo, não gravei. A memória sumiu. Talvez eu esteja com problema de memória. Vi no Sesc TV que, na Universidade Estadual do Rio de Janeiro tem um programa chamado de Oficina da Memória. Entre no site e veja. Se você puder, vá lá. A memória é tudo. Dizem por aí que a memória é a arma dos pobres contra os poderosos...Voltando ao assunto do Wladimir Herzog. Nenhum brasileiro pode = deve perder o documentário "Catedral - Um silêncio em memória a Herzog"
"Reprises deste programa 25/10/2006 : 03h30 : quarta-feira 29/10/2006 : 07h00 : domingo 29/10/2006 : 22h00 : domingo.
sinopse
'Em 25 de outubro de 1975, durante a ditadura militar, o jornalista Vladimir Herzog foi assassinado nos porões do DOI-CODI. Um fato que indignou uma sociedade, que já estava cansada de viver sobre a repressão. Uma semana depois, no dia 31 de outubro, um ato ecumênico foi liderado pelo Sindicato dos Jornalistas de São Paulo. Mesmo com diversos pontos de acesso à igreja interditados, o ato reuniu mais de 8 mil pessoas na Catedral da Sé. Sob a celebração de Dom Paulo Evaristo Arns, representante da igreja católica, do rabino Henry Sobel, da comunidade judaica, o pastor da Igreja Presbiteriana, Jaime Wright, a nação, em silêncio, pediu PAZ aos militares. Com depoimentos de Clarice Herzog, Dom Paulo Evaristo Arns, rabino Henry Sobel, José Mindlin, Rodolfo Konder, João Batista de Andrade, Luis Weis, Audálio Dantas, David de Moraes, Sérgio Gomes, George Duque Estrada, entre outros, o vídeo narra os momentos do ato, considerado um marco inicial do processo de redemocratização do país.Programa que se diferencia de seus similares na plasticidade, qualidade de imagens e tratamento de conteúdo. Documentário exerce importante papel na preservação de valores culturais, narrando trajetórias, resgatando memórias, contando histórias e valorizando personagens"
.
PS : Sonhei com uma frase = aviso = anúncio. Era a frase "não mataraz". Me chamou a atenção para a beleza da grafia que consistia em se retirar o acento agudo e ‘s”, o que deixou o chamamento bastante forte, tipo anjo soando com sua voz de trombeta no céu. Ah, falando em céu, agora me meio à mente o motivo pelo qual, no sonho, a corda usada pelos policias militares = limitares era de cor azul. É que naquele momento o céu gritou, com toda a força, para aqueles surdos policiais:Não mataraz!Não mataraz!Não mataraz!Não mataraz!Não mataraz!
Eu gostaria que todos atentassem para esta realidade.
posted by jose carlos lima at Quinta-feira, Outubro 26, 2006

A vida fora da internet - 10/70

Com o tempo o leitor entenderá a cosmogonia de Idéia.
Verás que tudo é diferente, as leis de Idéia são outras que não estas.
O Idéia respeita sobremaneira as leis da integralidade, no caso, uma legislação, uma visão, uma realidade que nunca foi revogada e jamais seráHá quem possa imaginar que eu viva num mundo imaginário.
Eu?
Não há neste mundo quem, neste momento, tenha mais os pés no chão=céu do que o Idéia.
Amanha esta cidade-estado fará 73 anos de idade, nem sabem que o Idéia está aqui.
E está...nem haverá festanada foi anunciado até agora.
Nossos administradores = políticos.
Como eles são cegos!
Amanhã deveria ser dia de festa.
As leis de Idéia não são respeitadas.
Talvez aconteça o desfile cívico-militar.
Tudo bem.
Acordarei às 6 horas da manhã para ver.
Amanhã não escreverei neste blog.
É dia parado = ferado.
Tudo pára.
posted by jose carlos lima at Quarta-feira, Outubro 25, 2006

A vida fora da internet - 9/70

O mundo é assim.
Números = números = números.
O mundo originou-se de um cálculo.
Quando estávamos no tempo zero.
Para trás havia um tempo equivalente a 10 elevado à septuagésima potência negativa.
Quando houve o Bing Bang começou a ser contado o tempo 10 elevado às potências positivas, até a septuagésima à esquerda do ponto zero, -70 à direita do ponto zero, +70 e o mundo vem se repetindo em ciclos de 70 aquilo que excede ao número 70 é excedente=sobra.
Daí o calendário do Idéia conter 70 dias úteis mais 3 feriados = parados, sendo que em ano bissexto o mês de marte tem 74 dias, sendo estes 4 dias feriadosos dias feriados são assim classificados um feriado local um outro feriado em toda a extensão do rio com suas cidades-Estadose um terceiro feriado na confederação de rios com suas cidades-Estados, isto que chamamos de País. O Brasil é uma confederação de rios com suas cidades-Estados. Para Idéia, não existe São Paulo - SP e sim São Paulo-Rio Tietê, Rio de Janeiro - Rio Guandu, Palmas - Rio Tocantins Brasília - Rio Paranoá Londres - Rio Sena. É esta a geopolítica do Idéia Sem

A vida fora da internet - 8/70

Lindo! A rica devorando o dedo de uma pobre.
Sua Santidade Bento 16, onde estamos? Tanta ilusão=obesidade do ego = olho = ser!!!!..São improcedentes da canibal que, defendendo-se em carta escrita pelo marido, diz que devorou o dedo da "proletária" porque esta deu-lhe um tapa no rosto? Aonde? Quando? Cadê as marcas? Ela fez o exame de corpo de delito no IML? Hahahahahaha. Então que dizer que a canibal levou um tapa no rosto e, no entanto, não ficou nenhum arranhão, nenhuma marca, nenhuma cicatriz. Imagina só se, um tapa no rosto passar a ser motivo de se devorar um dedo!!!!..Cara canibal, cadê as marcas no teu rosto?Não falo de marcas de vergonhaVocê é destituída desta palavra destas marcas. Eu falo de cicatriz físicaCadê as cicatrizes que justificaram a amputação de um dedo? Não sofrestes nenhum arranhão, nem mesmo no momento em predavas = devoravas tua presa. E se não sofrestes nenhuma marca, nenhuma cicatriz. É porque tens carpaça de jacaré

A vida fora da internet - 7/70

Esta ortonomia pode ser doença. Talvez não. É que todas as doenças parecem me acometer. É só ver os sintomas descritos em algum lugar penso logo: padeço disso. Ortonomia é doença? Esta coisa de se possuir vários nomes = olhos = seres...Estarei antento para o novo calendário. Embora às vezes eu não cite em que dia estamos, até mesmo porque isso pode se tornar insurportável = repetitivo, saibam que não perco de vista o calendário de Idéia. É ele que sigo. O outro calendário também acompanho, mas apenas porque não posso distoar de forma exagerada da realidade comun = rasa = superficial...Viver fora da realidade, num mundo imaginário? Nem pensar. Não sou louco. A loucura é mil vezes pior que a morte. Aprendi isso quando fui puxado para um buraco negro. Por isso estou sempre na real. Não quero, novamente, retornar àquele buraco-negro. Loucura estelar. Vi-me impedido de morrer. Você já pensou, não teres direito a morte e padeceres de loucura. Dores abstratas=dilacerantes. Não existem mas que na verdade existem. Nem pensar! Por isso apego-me aos números. Embora isto também tem que ter um limite. Até mesmo porrque um dos sintomas da loucura = esquisofrenia de Arthur Bispo do Rosário, spin artista, humano, que viveu = morreu num hospício, eram os números. Ele escrevia em seus mantos números e mais números. Por isso não posso achar que viver com idéia fixa em número = palavras é normal. Não posso. A liberdade é tudo. Não à fixação de idéias...Os números são tudo na vida. O mundo foi criado a partir ( e com ) números = cálculos sem parar. Adoro olhar=ser o calendário por causa dos números. Se gosto de dinheiro. Não. Tenho este defeito. Não é que eu não goste. É que esqueço. Tenho 3 mil reais = dólares perdidos aqui dentro de casa. De vez em quando me lembro. Dias atrás achei um pouco debaixo de umas caixas. Volta e meia acho um pouco. O dinheiro está por aí. É que sou tão bagunçado que é só colocar qualquer coisa aqui dentro para, jamais encontrar. Só sei que coloquei o dinheiro aqui dentro de casa. Quando foi isso? No começo do ano. Há quase um ano. Sou desligado até dizer chega. Adoro escrever. Quando escrever esqueço de tudo. Até de dinheiro. Um bom dia.
posted by jose carlos lima at Quarta-feira, Outubro 25, 2006

A vida fora da internet - 6/70

Achei isso aqui num dos meus ex-blogs, de 2006:
.
Dias atrás, num sonho, reconheci que um bebê elefante era um elefante ao sorrir. O sorriso diz tudo. Quando vejo o Alexandre Gracinha digo Garcia, fico a imaginar como ele se comporta na cama. Ele adora uma saraivada de chibatadas na bunda durante o sexo. Haja mulher para aguentar esse troço = estorvo!
.
E o William Vaca, a Miriam Leitoa e o Arnaldo Jabá? Haja paciência!
Ainda bem que tenho internet em casa, e na hora que eles aparecem na televisão eu desligo e corro para a net.
Muito mais divertido e informativo!
.
Nem quero continuar escrevendo os nomes destas tranqueiras. Não merecem ter seus nomes escritos = pronunciados = olhados = sidos.
Tenho ao meu lado o Zé do Caixão, digo isso porque ele tem um blog, fazemos parte da mesma blogosfera, que não tem nada a ver com os dinossauros da mídia.
Em extinção.
Não fosse a intervenção do seu marido que a puxou assim como se puxa alguém para não ser engolida por um jacaré, canibal teria me devorado a mão, talvez o corpo inteiro.
.
Vai ver que é por isso que descambo a escrever. Não suporto esta gente.
Adoro escrever.
posted by jose carlos lima at Quarta-feira, Outubro 25, 2006 0 comments
Em tempo: No calendário do Idéia este mês de netuno é composto por 73 dias, sendo 3 deles dias parados=feriados. Não posso escrever em dias=parados. É o dia de afasta-me=esquecer da desta obra. Adoro escrever. Mas em parados=feriados não posso. Tenho que resistir porque é pcado=atrofia. Não posso desobedecer as determinações divinas, ou seja, as leis da integralidade=perfeição oriundas do Integral Perfeito, o espírito absoluto.
.
.
Nos dias parados = feriados ss pássaros não podem cantar = olhar = ser. As sirenes das indústrias não podem chamar ninguém. Na próxima 3ª feira, dia 24 de outubro = 4 de neturno, é dia parado=feriado, embora talvez não aí na sua cidade-Estado. Aqui será aniversário dos 73 anos desta cidade-Estado.
.
.
Não quero mais perder de vista meu calendário.
Aos números!!!
Não percamos noção dos números.
Os números são tudo.
Eles deram origem a tudo o que há.
E ao que não há.
A filosofia, a arte, tudo nasceu dos números.
Viver fora da realidade que nos cerca?
Não faça isso!
Caia na real.
Cinema?
Não deixe-se levar por isso.
Atente para o fato de que não passa de uma fantasia.
Você que assistir a um filme trash, tipo Zé do Caixão? Que tal dirigir-se ao Bar Jobi, no Lebon, Rio de Janeiro = Rio Guandu? Lá uma canibal, por pouco, não ingeriu uma pessoa, devorou um dos dedos. Até o momento do ataque, o crocodilo, em sua foto no orkut.
De repente , a canibal sumiu do orkut.
Ela se defende de formaa horríviel quando dá a entender que tudo aquilo não passou de uma expressão da luta de classes: a rica digerindo a pobre.
Haja digestão!
.
Comentário:
teGranato - Email - 22/10/2006 - 1:34
Lembrei-me de um filme que vi a pouco tempo, "O Corte" do Costa gavras...filmaço por sinal...me lembrei porque eu mesma escrevi aí atra´s a que ponto nós chegamos...esse filme versa sobre isso...é muito bom...fala de nos tempos atuais o que os seres humanos não fazem no nosso mundo basicamente competitivo, liberal...aos poucos vamos, sem perceber nos tornando monstros para nos adaptarmos a essa competiçaõ e o pior achando tudo muito normal...não sei dizer se o ocorrido tem diretamente relação com o filme talvez quem o tenha assistido saiba qual ligação eu esteja tentando fazer entre os dois....hora de sair do pc e me relacionar com escritores....cafuné em todos para terem um soninho dos anjinhos..

A vida fora da internet - 5/70

Como eu escrevia!
Com certeza era uma doença.
Como eu poderia ter sido capaz de amar aquela pessoa sendo o tipo de gente que eu era?
( )desequilibrado
Idéia Sem Tempo = espaço.
Instável.
Isso aí abaixo é de 2006:

Aviso aos navegantes

A partir de hoje, 21 de outubro, 1 de netuno do ano 2006, a obra que vinha sendo construída no outro blog migra para este ambiente, o blog Ideia70.
.
Vou=vôo. Bato minhas asas assim como um pássaro em direção ao polo norte=sul para a reprodução da espécie. Como um peixe de partida para a viagem da piracema onde ocorrerá a eclosão de seus ovos. Apos a vida, a morte=desintegração do salmão. Inexistência após existência plena=vivificante. Vou=vôo de mala=cuia e cuia=mala...
.
O outro blog, o Abandon, que substituiu o josecarloslima.zip, foi abandonado na visita número 2.559.
Os comentários que se seguem foram os últimos postados pelos visitantes.
Criei outro blog o Idéia69, que nem cheguei a usar porque esqueci a senha de acesso.
.
[José Lopes] [RJ/RJ/BR] Zé. Estou tentando ler os seus artigos no seu blog e não estou conseguindo. Eu tentei reduzi-lo na barra de ferramentas do meu computador no tamanho de texto e também não consegui. os textos estão muito expandidos. É assim mesmo? Seria do meu computador? Quando tiver um tempo se possível gostaria de tomar umas aulas de blog. Tenho o meu mas ainda não iniciei por falta de conhecimentos técnicos. Sou do RJ sabe de alguém que lida com isso? Abraços...
.
[José Lopes] [RJ/RJ/BR] JC Lima você está ótimo! Eu ri muito ontem com uma mensagem que você colocou no Blog do Nassif. Hoje no seu comentário no Óleo do Diabo, você cometeu um pequeno equívoco. Seria oleo e não elio. Mas, quem for esperto saca logo. Você escreve muito bem. Abraços. 21/10/2006 12:00
.
Em tempo1: O aviso de Idéia. Esqueci de dizer que este espaço será destinado aos exercícios narrativos = sensoriais = transportadores no período compreendido entre 20 de oububro e 31 de dezembro dos anos passados=vindouros.
.
Em tempo2: Hoje é 1 do mês de netuno, 5º e último mês deste ano. Hoje são 21 de outubro. Número 21, 1 de netuno. Voltei. Aliás, eu não, o Idéia. O Idéia voltou. Onde estava o Idéia? No ambiente abandonado, o
.
Em tempo3: esqueci de informar como é o mês de netuno no calendário do Idéia.
OUTUBRO NETUNO21 s 01 s22 d 02 d23 s 03 s24feriado local/aniversário goiânia 04 feriado local/aniversário goiânia25 q 05 q26 q 06 q27 s 07 s28 s 08 s29 d 09 d30 s 10 s31 t 11 tNOVEMBRO01 q 12 q02 feriado nacional/finados 13 feriado nacional/finados03 s 14 s04 s05 d06 s07 t08 q09 q10 s11 s12 d13 s14 t15161718192021222324252627282930DEZEMBRO010203040506070809101112131415161718192021222324 6625 6726 6827 6928 7029 7130 7231 73

09/05/2008

A vida fora da internet - 4/70

Fui bem fraquinho na minha relação com aquela pessoa.
Também não era para menos, assim, refugiado num mundo esquisofrênico = imaginário = virtual, o meu relacionamento com aquela pessoa não poderia ter dado noutro desfecho senão a sua finalização.
Neste momento em que desterrei-me da internet = fantasia = irrealidade, estou olhando com olhos atentos o que eu escrevia.
Noto que eu estava a par dos acontecimentos no meu campo afetivo e registrava tudo mas, por outro lado, não conseguia obedecer à minha própria escritura.
Lendo este texto que segue abaixo, que escrevi há mais de um ano, noto o quanto era angustiante para mim aquele relacionamento que eu queria que continuasse mas que, por causa da minha instabilidade, estava fadado ao fracasso, o que de fato ocorreu:
.
.
Às vezes me pergunto se não teria sido melhor não ter conhecido aquela pessoa...sinto que não estou preparado para gostar=cuidar de alguém... dias atrás pedi para que aquela pessoa me fotografasse e, ao verificar as fotos, vi o quanto eu estava horroroso=impróprio...a impressão que estive é a de estar morto...jamais imaginei que poderia estar tão esbaforido=acabado... cadê minha vida?
Melhor deixar de lado esta história esquisita
Esquecer-se daquela pessoa e cuidar mais de mim mesmo
Idéia Sem Futuro esta coisa de mãe=vaca lambendo=paparicado a cria
Chega!
Não quero mais
Ao amanhecer vou sair por aí
Feira Hippie...Feira do Sol...Feira da Lua...

Preciso daqueles apetrechos=aparelhos de massagem da Aparecida Ap
Preciso de um bom relaxamento=presença sob pena de não vivenciar
Viiver a vida ao invés de simplesmente estar na vida
Estar
Chega de ser Narciso tendo como espelho aquela pessoa
Acabou
Não quero mais
.
Em tempo: este é o exercício de percepção de hoje. Aquela pessoa virá me visitar nesta manhã. Tenho que preparar-me. Não quero cometer erros, como por exemplo, o de não estar bonito=lindo=cheiroso=gostoso.
7/janeiro/20007

A vida fora da internet - 3/70 (enviado por Antonio Pinheiro)

A vida fora da internet - 2/70

> caro zé carlos espero que esteja tudo bem com voce. > tenho tentado o retorno do blog ja pela segunda vez , mas em vão, nenhuma resposta....> mistérios....> um grande abraço> edson> > Début du message réexpédié :> De : Edson Barros
Date : 26 avril 2008 16:59:02
Objet : solicitaçao de retorno do blog: http://quarentenabienal.blogspot.com/bom dia, eu gostaria de solicitar, se possivel, o retorno do blog: http://quarentenabienal.blogspot.com/muito obrigadoedson barros
.
olá,
resolvi exilar-me da web por um tempo,
não sei quando voltarei nem como,
não tenho atualizado nem mesmo meu próprio blog,
(....)
estou assim meio enfadonho da web
talvez eu tenha descoberto que há vida fora da internet,
talvez tardiamente,
não curti o marcelo como deveria e poderia ter curtido aquela pessoa,
há uma certo sentimento de culpla no ar,
talvez eu não devesse ter-me debruçado tanto na escrita,
( )ler A Escrita e o Silêncio, área filosofia clinica,
( )ler O Silêncio dos Amantes, Lya Luft,
a ponto de perder a própria lucidez,
no momento estou esforçando para fazer coisas trivias,
.
PS: mas torço pela recuperação do quarentena, a mensagem ao google deve ser em inglês, espero que esteja tudo de bom com vc,
bjs,
josé carlos,

A vida fora da internet - 1/70

Aqui começa uma nova obra.
Estou noutra,
dando um tempo,
desterrei-me da vida virtual = imaginária,
caí na real
, ficar estritamente recluso na web = escrita foi devastador para mim,
só tive prejuizos, nem curti adequadamente aquela pessoa,
rompi com a web
não sei como será este blog daqui prá frente,
.

Antigas correspondências - 23/70 - I a 70/70

Em branco

Fim da obra

A História do SPIN