17/09/2016

....O que não é arte

03- Fragmento em construção...ou não...

02-


Oi Cecilia Cotrim, eu ja estava indo embora quando você apareceu...foi quando dei enter ao marcar o Divino Sobral...eu queria tanto realizar aquela obra performance que me acordou tremendo vibrando feito vara verde....deixe-me ver se lembro...ah sim, sou tão grato a você por ter-me libertado quanto ao conceito de arte...agora sei que arte é tudo aquilo que transportar...e o que não é arte para uns, pode ser para outros...tão fácil...nãos sei aonde eu estava para ter-me perdido...sim, agora sei...foi o mundo acadêmico...não sei aonde eu estava para deixar-me contaminar travar por aquilo...se bem que foi tão bom o mundo acadêmico...estudar sobre a arte...apesar de ter-me atrapalhado foi bom sim,,,não me arrependo de ter conhecido pessoas como o paulo veiga jordão...o carlos sena passos in memoriam....e tantos colegas de aula...a Patricia Campos Lobo ou Patricia Santanna ah sei, ela está no perfil do Jo Abreu...ixi do Spin Espinoza....não...kd do troço: a Patricia Mesquita tá lá no outro perfil...o do José Carlos Lima Spin...então...foi isso:
eu(na conversa com a curadora de doenças ou poesia a doutora sardinha do rio meia ponte): nesta noite sonhei sobre uma máquina de costura transformada em estante de guardar livros...por isso me deu uma coragem danada de ligar para o Carlos Brandao
só tenho coragem quando ocorre a inclusão na história....então ocorre que levei aquela porção de coisas para o centro cultural cora coralina e umas máquinas de costura que foram parar não sei aonde: amanhã vou é ligar para o André Baiochi atrás da minhas máquinas de costura. já avisa prá ele heim Carlos Brandao


01- Oi Divino Sobral estou tão feliz....ontem fiz uma obra sobre....ah, sobre o que mesmo...esqueci...ah sim, lá no consultório da doutora sardinha do rio meia ponte
ela: o q para você não é arte?
eu: caramba, que susto, que pergunta difícil, corro até o risco de solucionar sic soluçar que nem a spin faxineira quando chegou aqui em casa e viu minhas obras...sei, ela como boa bruxa disparou a solucionar por causa de processos emocionais...eu deveria ter filmado aquilo...quer dizer, filmei de raspão e enviei via zap zap...mas do que era mesmo que eu estava falando: ah, do que não é arte...continuei pensando sobre isso...q moto é essa que passa nesse barulho da velocidade todos os dias neste horário: ah povo infantil que pensa que não morre....tá bom...
ela: sobral, o que não é arte para você?
eu: vou pensar...ah sim, lembrei...a Cecilia Cotrim....foi ela que me esclareceu sobre o tema dias atrás por ocasião da olimpiadas,,.a pira olímpica...aquela tocha de...esqueci o nome dele...me pareceu uma obra gigante...roda gigante...aquele catavento rodando...ai mostrei a para ceci e ela disse: que coisa pavorosa...
diante do comentário dela(ceci) aqui no face, pensei: então ela ceci está dizendo que aquilo não é arte....
passados alguns dias, uma pessoa escreveu um artigo dizendo que aquilo não era arte...e ai vai eu lá postar no face da ceci como confirmação: tá vendo ceci, realmente não é arte
ela(ceci): mas eu não disse isso...não me guio por esses parâmetro
eu(respondendo à doutora sardinha do rio meia ponte): foi isso...essa resposta de ceci abriu minha cabeça, pois eu estava travado com essa questão: o que não é arte?
não sei....
ah sim, agora sei,,,me lembro de ter falado para a doutora sardinha: arte...ixi, esqueci...ah sim, uma coisa pode ser arte para uma pessoa e para outra não: arte é tudo aquilo que te transporta espiritual ou sexual ou materialmente: uma muriçoca morrendo pode ser arte para mim e não para você....
ah sim, a muriçoça...na hora da morte ela gritava bem alto..foi uma morte tão sofrida...até hoje me lembro...eu havia jogado veneno no ambiente....nunca mais faço isso...
oi divino, você sabe cadê o Cara de Cavalo...,..uma historia antiga...já contei tudo para a doutora sardinha do rio meia ponte...muito complicado repetir as coisas
ontem mesmo ela me perguntou sobre a divisão do tempo calendário em 5 partes
eu(gritando bem alto como que irritado): mas eu já falei sobre isso tantas vezes...não entendo como ninguém sabe
ela (gentil e em tom baixo, ameno, acalantante): sim, mas a gente pode falar sobre isso de novo
eu(olhando de revest´res)...ah, história longa...chega a ser cansativo esse tema do calenda´rio....e ai fui mostrar para ela o calendário...até tirei uma foto de uma parte dela...eu deveria era ter tirado foto dela toda...mas tive receio de pedir...ah que bicha medrosa sou eu...
eu (para ela): só tenho coragem quando as coisas entram na minha história....nem sei se vou me encontrar com o alexandre...ele mesmo sabe disso
ela: porque...
eu: a timidez...tem hora que sou timido até para com meus pais...acho que é quando eles estão fora da minha história...acho não: é....

Nenhum comentário:

A História do SPIN