25/02/2010

20/70 Ainda me resta uma porta aberta

Fui expulso de todos os cemitérios
Não tem problema, sou feliz assim mesmo
A minha felicidade não decorre de outra coisa senão do prazer de olhar = ser
Sim, ontem não escrevi
E não o fiz por falta de tempo
Trabalhei feito um condenado e, além do mais, no horário que uso para isto, ou seja, antes de entrar no trampo = batente = quartel, tive que ir ao cemitério para o enterro do pai da spin chefe
Se bem que aproveitei minha passagem pelo cemitério para a construção desta obra
Eu disse que fui expulso de todos os cemitérios?
Se disse isso, errei
E por acaso há coisa melhor do que nós nos retificarmos após um erro?
Ontem por exemplo não fui expulso
Se bem que filmei as coisas de longe, ninguém chorando foi filmado
Não fui expulso de todos os lugares = cemitérios = redes
Ainda bem
Além do cemitério de ontem, tem um outro que ainda não visitei
Este fica ao lado, e se chama de Vale da Paz, spin municipal, para o sepultamento dos escravos = trabalhadores assim como eu
Resta-me um, o espaço em branco
...
Logo abaixo, após spin, textos, arte, literatura, contemporânea, clique em Marte2010

Nenhum comentário:

A História do SPIN