10/01/2014

Spin viajante

A minha arma. Arma ou véu, tanto faz

Hum...queria tanto poder andar por ai com este véu
Ele é tão confortável e emite um calor que pacifica
(  ) celestial
Ele foi um presente da Dona Martinha lá de Sambaíba do Rio Balsas
Ah Dona Martinha é sua energia calor impregnado nessa peça que havias feito para doar a Santo Antônio e terminou nas minhas mãos, postei o videos e fotos no facebook vou ver se post aqui para os que frequentam este espaço
Ah, mas tenho que sair com este véu nem que seja escondido no bornal para usá-lo quando for passar por algum infeliz misógino ou homofóbico ou racista ou...posso ser assassinado na nuca por um deles ao retornar ao ou: De volta ao espaço exterior
Ah, mas o espaço é tão vasto e há lugar para todos e não apenas para brancos ou heteros ou machos

Postei no facebook com este adendo:

Carmo amigo e amiga do Facebook, no momento vou sair por ai
Preciso perder-me pela cidade, quem sabe me encontro com o FBI, um amigo que ficou bem perto de mim quando cheguei
E se o FBI, humano, não estiver por perto para me ajudar, terei como arma este véu


Nenhum comentário:

A História do SPIN