09/01/2014

Acabei de Ver a Cara da Morte

Sai cedo com a intenção de sair por aí à procura da revelação desta noite e, claro, pensei em ir ao cemitério
Mas não foi preciso!
Tudo se apresentou a mim e, como artista que sou, apenas apreendi
Como nesta noite foi-me revelado sobre as 3 mortes e um objeto de matar, dirigi-me a um comércio aqui perto de casa para comprar o objeto mortífero
Ao passar pela portaria achei a cara da porteira muito truncada fechada e ela falou comigo mas falei sem olhar nos olhos dela pq olhar quer dizer cortar matar
Ela não fazia parte da história do Spin Ñ Sei o Q ou Spin Atento aos Sinais, tanto faz
E fui comprar o objeto para matar todos os infelizes assim como ela
Assim como na revelação desta noite quando matei um cão que havia perdido as asas e, por sofrer, quis abreviar seu sofrimento e, na correria para dar um ponto final ao sofrimento do cãozinho, tinha que consultar os familiares se eu poderia sacrificá-lo, dei banho no cãozinho que havia sido agredido perto de um campo campo de futebol e ao dar banho ele perdeu suas asas patas de pássaro
E quis matá-lo para encerrar aquele sofrimento mediante a inexistência
Não achei a tábua de bater carne, por isso, ao amanhecer, fui ao supermercado comprar uma
E comprei tantas tábuas quantas vi durante a revelação: 9
E comprei mais uma para dar de presente ao spin cantor Ney Matogrosso quando ele vier por aqui, pois como sempre tenho feito há décadas, estas coisas entrego para ele pq ele, assim, como eu, é atento aos sinais
Um momento, volto já

Voltei e hoje está sendo meu dia
Acabei de encontrar com um spin homicida deicida
Ele leva uma vida normal trabalhando numa loja de embalagens na rua 3
Dei de cara com ele por acaso, levei um susto, afinal faz tanto tempo que não o via
Era 1981, quando encontrava-me vendo as estrelas na ciclovia do Parque Botafogo, anexo ao Mutirama, spin recreador, pessoa jurídica
E só existem três tipos de morte: A das pessoas jurídicas, a dos animais e a dos seres humanos
E apenas  duas mortes: Aquela em que se mata o outro por ser este feliz
E aquele em que finda a existência por causa do sofrimento
Não consigo continuar falando neste momento, ainda estou trêmulo por ter visto este homofóbico deicida, eu sei, ele viu que o filmei como Ipad, ele tem relações próximas com grupos de extermínio e o vi ligando para seus comparsas da polícia, no momento ele encontra-se no Call Center da Oi, aproveitei que ele entrou no banheiro e sai às expressas, vai que ele tenha-se ocultado para preparar alguma armadilha
Triste noite aquela de 1981 quando esse sujeito puxou um revólver para mim: Eu vou te matar(...)
Não sei como consegui voar e impedir que o dedo dele disparasse o gatilho e tomei a arma dele
E em seguida,quando ele esfriou o sangue por causa do susto, devolvi-lhe a arma e disse: Agora me mate
E o covarde não me matou
Vou mostrar os videos e as fotos dele no Porto dos Homens, um espaço secreto

Nenhum comentário:

A História do SPIN