04/12/2009

Cancele a assinatura da Folha/UOL

Mello cancelou o UOL. E explica

Cancelamento da assinatura UOL / Folha

do Mello, em seu blogdomello

Por que cancelei minha assinatura do UOL e incentivo você a fazer o mesmo.

Algumas vezes durante os últimos tempos tive vontade de cancelar minha assinatura do UOL. Não o fazia, porque queria ter acesso ao material completo da Folha, especialmente para criticá-la por dentro.

Quando houve o infame caso da ditabranda (leia Ditabranda abriu a caixa de Pandora da Folha), pensei que havia chegado o momento. Mas refleti, achei que deveria continuar a ter acesso às reportagens na íntegra, até para usar a Folha contra a Folha. Um jornal que se diz democrático, mas está cada vez mais autoritário e se transformando (como afirmei há quase dois anos aqui) na Veja do jornalismo diário.

Mas pensava isso tudo na suposição de que o jornal ainda tivesse alguma relevância, que vendesse centenas de milhares de exemplares em banca, além dos exemplares dos assinantes.

Agora, juntaram-se dois fatos que me fizeram rever minha posição e finalmente cancelar minha assinatura do UOL e colocar esses dois banners aqui no blog solicitando que todos façam o mesmo: o infame artigo de Cesar Benjamim e a ridícula venda de pouco mais de 20 mil exemplares em banca da Folha.

Segundo o Instituto Verificador de Circulação (IVC) a Folha é o vigésimo quarto jornal em venda avulsa na lista dos 97 jornais auditados pelo instituto, atrás do Estado de S.Paulo, em 19o lugar e O Globo, em 15o lugar. Somados os três mais influentes jornais brasileiros têm uma venda avulsa de quase 96 mil exemplares diários, o que corresponde a magros 4,45% dos 2.153.891 jornais vendidos diariamente em banca nos primeiros nove meses de 2009. (íntegra aqui)

Se os ex-jornalões somados não conseguem chegar a 5% das vendas em banca...Então, que eles e seus assinantes continuem ladrando, enquanto a nossa caravana passa.

O objetivo agora já não é criticar o que dizem (pois isso dá relevância a quem já não a tem), mas comentar sobre o que eles não dizem, trazer a informação que eles não dão.

Da irrelevância dos ex-jornalões aproxima-se agora o Jornal Nacional, que perde audiência a cada dia. Só que há uma diferença fundamental entre eles. Jornais não são concessões públicas como as emissoras de rádio e TV. Por isso, se podemos ignorar os ex-jornalões e deixá-los falando sozinhos, temos que continuar fiscalizando e denunciando as manipulações, distorções e omissões das emissoras de rádio e TV, especialmente das emissoras de RGTV (a RCTV daqui), cobrando o respeito à Constituição e repetindo, mais uma vez, que O poder das Organizações Globo é um risco para a democracia no Brasil.

Viomundo lança campanha para trocar o e-mail da ******


Por Luis Carlos Azenha, em seu viomundo


Cara ******,

Embora eu saiba que vc tem amigos na Folha, escrevo-te como integrante solitário de uma campanha intitulada "Faça a ****** cancelar o e-mail do UOL".
A campanha tem um grande objetivo político: o de fazer você, ******, economizar alguns trocados.
Vc paga o UOL? Não precisa pagar, ******.
Se vc, como eu, tiver um e-mail do G-mail, por exemplo, não paga um tostão e ainda por cima não financia a ditabranda.
Ou seja, há algo mais politicamente correto do que economizar alguns reais por mês e, com isso, incrementar a alimentação do ****?
Para o ******** seu dinheiro não vai fazer diferença. Já para a *********, sim.
Quanto ao problema de "trocar de e-mail", não se preocupe.
Passei pela mesma situação recentemente e me livrei de todas aquelas mensagens me sugerindo implante de cabelo e implante peniano.
Dói menos que trocar de namorado (a).
Aguardando ansiosamente sua resposta,

Despeço-me

Azenha

PS: ****** é uma amiga, a primeira da lista de e-mails do UOL que tenho em minha caixa de endereços. Pretendo fazer uma campanha formiguinha para cancelar os e-mails do UOL.

.

Minha opinião

Tenho o Net Virtua e mesmo assim ainda tenho a assinatura do UOL, caríssima, praticamente 300,00 reais por ano. Ainda tenho este lixo porque o pagamento é por débito automático, ainda não cancelei por falta de lembrar mesmo. O caso Cesar Benjamim me reavivou a memória. A manhã vou cancelar a autorização de débito automático, nem preciso comunicar ao Folhão Lixão o motivo que, é claro, já sabem a causa desta avalanche de cancelamentos. Temos que enfrentar este dinossauro em várias frentes, seja através de atos públicos, como o do MSM, amanhã às 10 horas, em frente a Folha, bem como movimentos pelo cancelamento. Como governos como o do DEM do DF e mídia são carne e unha, é bem provável que Serra compre os exemplares encalhados. No entanto, o simples fato de pesquisas apontarem que o "IBOPE" da Folha está lá em baixo, será o fim do mundo...

Nenhum comentário:

A História do SPIN