28/12/2009

Spin galista (Da série A História do SPIN - I, 1/70)

Briga de galo é esporte?
E pelo que sei, todos os esportes são praticados pela raça humana e não por bichos.
Nunca vi ninguém ficar musculoso, mais inteligente ou veloz devido a prática do galismo.
As pessoas podem apostar e por isso é esporte?
Nada a ver.
Quando eu morava na roça gostava de ver dois canários gritando durante a briga.
Hoje sei que aquele meu prazer infantil derivava da minha ignorância sobre o respeito ao meio ambiente, à flora e fauna.
Com as informações que recebi, aquilo que era para mim divertido, hoje já não mais o é, nem como espetáculo nem como aquilo que não é: esporte.
E mesmo como jogo de azar, bolsa de apostas, deve ser combatido, daí não entender o julgamento da Juiza que deu liminar à Entidade que representa o galismo.
Falando nisso, é verdade que tal Entidade existe?
Se o galismo é crime, como tem cabimento uma Entidade que pratica isso pode existir de forma legal?
E o pior é que existe, pois se entrou com uma ação na justiça é porque existe.
Enfim, a Juiza deveria ter declaro incompetente como parte da ação a tal Entidade criminosa.
Esta história beira o surrealismo, aquelas coisas que parecem ser uma ilusão mas que a gente não sabe direito ser é verdade ou não.
Mas é verdade, e com testemunhas e tudo:

• Mateus: (...) até que em fim alguma autoridade lucida que conseguiu ver que o galismo está erroneamente enquadrado como mau-trato animal.parabens por sua nobre atitude .e viva o galismo ,pena que tem gente que pensa que nos fazemos isso por dinheiro ,pelo amor de deus se quisessemos dinheiro com certeza nao seria do galismo que iriamos tirar pois muito mais se gasta dinheiro e tempo,nao compensaria pelo ponto de vista financeiro,isso é obvio quem cria ou tem amigo ou parente que é galista sabe disso ,nos criamos pois amamos o esporte assim como tem gente que gosta de futebol ,golf ,pesca,etc..
os galos brigam por instinto nos criamos por amor .o problema é que tem pessoas que desconhecem o galismo e ficam fazendo acusaçoes a base de pura suposiçoes e imaginaçao fertil.(...)

• Fernando estrela Voltando a falar dos galos, como Duda, também tenho esta prática por hobbi, desde 8 anos de idade (hoje tenho 30 anos) e não vejo esta prática como “maus tratos”, aliás, garanto que meus galos comem melhor que muitos brasileiros, praticam atividades físicas moderadas, que lhes darão condições de enfrentar seus adversários que também são bem tratados. É revoltante ver um repórter dizendo que os bicos de aço encontrados nas rinhas são feitos para cortar a pele do adversário, quando na verdade serve de proteção para que não seja quebrado o bico natural durante o combate.
Continue lendo
.
ps
Esqueci de dizer que esse trololó começou no blog do Luis Nassif
.

Um comentário:

Anônimo disse...

A jurisprudência que vem do supremo tribunal federal a respeito das rinhas que inclui em maos tratos, não passa de meras opiniões pessoais, pois no dia em que dois ou três ministros do STF conhecerem ou gostarem de galos combatentes, a jurisprudência mudará da noite pro dia.Sem falar que a constituição dá base para a legalidade das rinhas e a lei ambiental não menciona nada contra competição entre galos combatentes. Porque o STF não se baseia na jurisprudência mundial? pois a maioria dos paises legalizaram a briga de galo.

A História do SPIN