06/07/2011

Arte em processo (x)

Forma: X ou cancelar ou apagar ou eliminar ou olhar ou ser
Foram vários os sonhos desta noite, no entanto todos se concentraram num discurso: o corte

(    ) Eu no interior de um carro de passeio contra o qual chocou-se uma camionete. Fico aprisionado no interior do carro. Sem oxigênio. O ar é tudo. Não cortem ou estraguem o ar. Veja o ar no copo. Veja um copo sem ar.Quanto ao relato desta experiência ou vivência, durante o sonho ou sono, sobre o valor do ar,  quem estava dirigindo o veículo era Cidimar, um  amigo  falecido.

(   ) Num outro momento sonhei ou olhei ou fui uma carta de 1940, alguém a escreveu por ocasião do casamento dos meus pais. Este sonho foi um discurso sobre a preservação de documentos históricos. A importância de se manter tais documentos no escuro, ou seja, sem contato com a luz.

(   ) Já acordado, mas de olhos fechados, vi coisas da nossa realidade, o nome de um político logo abaixo do brasão da República: Juquinha das Neves. Sei.

Atulização às 21:00 - O nome dele é José Francisco das Neves

(   ) Dormi de novo e, já pela manhã, sonhei ou olhei ou fui uma spin advogada usando seu programa de movimentação e arquivo de processos. Ela quadriculou o espaço com traços horizontais e verticais e não deu conta de cancelar o desenho (no topo desta postagem).  Subi ao tabalhado onde ela se encontrava e disse-lhe:  na barra de ferramentas com o lado direito do mouse clique no X ou  "fechar."

Lembrete: Obra a ser construida ou processada: dias atrás sonhei ou olhei ou fui eu e meu irmão irmão Turiba tirando fotos diante do espelho. Usávamos uma máquina fotográfica antiga, ou seja,  não digital mas daquelas em que se usa filme ou película, tanto faz.  Exibimos as imagens no formato slide, passando em sequência,  da direita para a esquerda, como num filme ou storyboard.  Positivo ou + ou negativo ou -  As imagens foram se passando primeiro em positivo e, em seguida, em negativo.

P.S.1 - A minha assinatura no no canto superior esquerdo me deixa na dúvida, eu deveria mesmo ter assinado, talvez não, uma vez que, no sonho, não havia assinatura nenhuma. No entanto encanar-se com isso é bobagem ou perfeccionismo, deixa prá lá, isso não tem a menor importância.

P.S.2-  Esqueci de dizer que nesta noite sonhei ou olhei ou fui o artista plástico Divino Sobral num hospital. Ele havia se ferido ao salvar seu amigo Carlos Sena de um acidente, não me lembro de detalhes. Agora tenho que ir, fui.

P.S.3-  Com relação ao post scriptum anterior, fiz uma pesquisa no Google, e vi que sempre ocorre-me sonhar Carlos Sena e Sobral, nada demais portanto, achei este sonho antigo,

Relato de 27.03.2009:

Divino Sobral

Para reconstituir o sonho desta noite preciso de lápis pastel
É que no sonho vi um quatro pintado
Durante o sono o artista plástico Divino Sobral fez-me um relato sobre o quadro das artes plásticas por aqui
Fechei os olhos e vi
Ele: estão fazendo uma arte sem ação
O Carlos Sena estava presente, concentrado numa leitura, um livro bem grosso, em inglês
Ao acordar esqueci-me do assunto que ele (Carlos Sena) lia

ps
Um momento, vou ver se há alguma coisa do Sobral na web
Ah, tem sim, um blog
Linkei
Está na relação "Link Isto"
É o de número 72
http://www.divinosobral.blogspot.com/
Isto

Eu teria que reconstituir o quadro visualizado no sonho desta
Postar a obra no blog número 8, o do oitavo dia útil
Como fazer isto se não tem nenhuma loja aberta onde eu possa comprar as tintas
Impossível
Eu o quadro?
Quer dizer, um vídeo
Roubaram minha máquina, como filmar
Vou se me lembro de alguma obra que eu possa reconstituir
Talvez tenha restado alguma, alguma foto
Hoje é domingo, não tem lan house aberta onde eu possa escanear
.
Por qual motivo não quero ver de forma alguma o contador de visitantes que instalei em fevereiro último?
Simplesmente não quero achar que estou com a bola toda caso a platéia esteja lotada
E nem quero ficar triste caso esteja vazia
Só quero ser feliz, morrer de rir de mim mesmo
.
Depois fotografo meu pc com a tarja
Tá que nem eu na década de 80 quando saia por aí com um tapa olho num dos olhos e carregando nos braços um amontados de pedaços de revistas e jornais
Eu não, era um um personagem, o nome dele era Idéia, sim, Idéia Sem Um dos Olhos
As imagens e palavras que o Idéia transportava era sua história
O mundo dele era para alguns patafísico
Pena que as coisas do Idéia tenha ido para o lixo
Imagens, palavras, vídeos, fiz isto quando aquela pessoa disse a ele 'não quero mais'
Fim de um romance ímpar
Foi o fim de tudo
O fim de relacionamento, oportunidade para se fazer uma faxina interior exterior
Na ânsia de ficarmos limpos jogamos tudo fora, inclusive as coisas boas
Queremos porque queremos ficar vazios
Limpos
.
O tapa olho num dos olhos era para aplacar a sanha destruidora do personagem Idéia
É que um dos olhos do Idéia era a morte, o outro era a vida
Um mortífero outro vivicante
Hoje o Idéia arrancaria um dos olhos para colocar em seu lugar uma câmera filmadora
Isto já é possível
Neste caso eu nem precisaria comprar as tintas
Ainda dia está próximo
Isto ficará bem bem mais fácil quando um dos meus olhos for arrancado
Não me lembro qual dos olhos, vou ter que dar uma vasculhada por aí para ver se acho alguma imagem daquela época, não me lembro qual dos olhos deve ser arrancado
Talvez o Divino Sobral lembre-se disso
Naquela época ele viu-me com um dos olhos arrancados
Não se pode ser inexato neste momento
E se o olho que restar for exatamente o da morte
Tenho que achar uma foto, um registro, conversar com alguém que se lembre
Qual dos meus olhos é a morte
Qual?
Temos dois cérebros, o direito faz conexão com o lado esquerdo do corpo
Somos seres em "X"
Vou ver o significado disso
Volto já
.
Voltei
Difícil saber qual dos olhos de uma forma simbólica arranquei com aquele tapa-olho, uma vez que o médico não aceitou que eu doasse um dos meus olhos
Van Gogh arrancou qual das orelhas?
Lembro-me de ter imobilizado minha mão direita, eu não, ele, o Idéia
Ele traz no dorso da mão direita um ponto negro, sinal de morte de outras existências
Morte por crucificação
A mão direita é a morte, por isso naquela época usou umas tiras de filós na mão direita, ficou muito bonito
Noutro momento amarrou a mão direita à perna direita
Quanto ao olho não sei ao certo, não me lembro qual dos dois olhos foi arrancado
A intenção ao arrancar um dos olhos era estar imobilizando um dos lados do cérebro
O Idéia abominava a racionalismo, que tem a ver com o lado esquerdo do cérebro
Se existimos em forma de X, para imobilizar o lado esquerdo do cérebro tem que se arrancar o olho direito?
Vide Capitão Gancho
Talvez esta lateralidade não seja assim tão exata
http://josecarloslima71.blogspot.com/2009/03/compreenda-os-poderes-da-mente.html
Nada conclusivo nestes textos aqui linkados
Eu teria que encontrar a foto para ver, de forma exata, qual olho é mortífero

O Capitão Gancho era mortífero porque tinha o olho esquerdo coberto
O lado direito do cérebro dele era inativo por não ter ele o olho esquerdo
http://josecarloslima8.blogspot.com/2009/03/capitao-gancho.html
Vai que naquela época eu era Capitão Gancho e não sabia
Eu não, ele, o Idéia, não sabia
Não posso confundir-me com aquele personagem
Não rola confundir-me eles
Preciso achar a imagem
Talvez alguém lembre-se
Talvez os arquivos da prefeitura, as várias câmeras que nos vigiam
Talvez junto ao Poder Curador, isto que aqui chamam de Judiciário
O Poder Curador, integrado por médicos
Talvez n´algum prontuário
Anamnese
Isto

P.S.4- Esqueci do link para o post scriptum anterior ou posterior, tanto faz

Atualização - 6/7/2011

Fazendo um spin na rede

10:00 - O corte na mídia tradicioinal: Fundador do El pais: internet é o fim da intermediação jornalística e política


 

Juan Luís Cebrián, fundador do El Pais,  jornal que superou a miopia dos diários brasileiros

 Internet vai mudar a política e o jornalismo, diz diretor do El País


“A internet representa o fim da intermediação. Desaparece o conceito de hierarquia, por exemplo, pois não há uma pessoa que manda e outras que obedecem, não está lá o Estado ou o padre para dizer o que é importante ou não. Há uma organização da sociedade em rede muito participativa, sem lideranças claras. No caso dos jornalistas, isso nos afeta. Os jornalistas são intermediários entre a realidade e os cidadãos. A partir da internet,as próprias pessoas contam o que está acontecendo com elas, sem intermediários”

Fundador e primeiro diretor do jornal espanhol El País, o jornalista Juan Luís Cebrián está em Porto Alegre a convite do governador Tarso Genro. Neste domingo, durante um almoço com jornalistas, blogueiros e executivos da área da comunicação, Cebrián falou sobre como a internet promove mudanças no jornalismo e na política, um dos temas prioritários no rol de preocupações do governador gaúcho, que no mesmo domingo publicou um artigo sobre o assunto na Folha de São Paulo.

“As novas tecnologias vão mudar a forma de fazer jornalismo e política”, defende o jornalista espanhol, presidente do Grupo Prisa, que publica o El País. Executivos do grupo espanhol assinaram neste domingo um memorando de entendimento com o governo estadual para intercâmbios na área cultural, de jornalismo e radiodifusão. 

Leia a íntegra, clique AQUI>>>

 

Nenhum comentário:

A História do SPIN