17/05/2009

O Monopólio da Fala Ataca a Internet



O que está em jogo por trás desta campanha contra a internet é a quebra do monopólio da fala que, no Brasil, pertence a basicamente 4 famílias:
Marinho
Mesquita
Civita
Frias

A liberdade na web tem que continuar, caso contrario perde seu sentido anárquico e libertário e passa a ser que nem o imprensalão, recheado de regras que só funcionam contra os interesses da população.
No Brasil a fala é monopolizada por basicamente 4 famílias:
Marinho
Mesquita
Civita
Frias

O que estas famílias dizem está dito, podem mentir à vontade, omitir aquilo que for de seu interesse, ao invés de noticiar fatos fazem politicagem, no momento trabalham pela eleição de Serra.

Viva a liberdade e o anonimato na web.
E por acaso a Folha ao não revelar quem falsificou a ficha de Dilma não está fazendo uso do anonimato?
Polícia e cadeia para os bandidos que fazem uso do anonimato para cometer crimes.

*****

Segue interessente artigo de Luis Nassif destronando a "global" Miriam Porca digo Leitão que, do alto de sua sabedoria na área econômica, aconselha as pessoas a não mais depositar na caderneta de poupança.


Poupança: tortura sem números
De O Globo
PANORAMA ECONÔMICO

Miriam Leitão
Nilton tem uma caderneta de poupança para a educação dos netos. Já juntou R$ 117 mil. Mandou email para a CBN para saber se teria que pagar imposto de renda. No site do “Bom Dia Brasil”, uma telespectadora contou que foi demitida e depositou o FGTS na caderneta. Queria saber se haveria exceção para ela. A diferença com outras mudanças de regras é que, agora, as dúvidas chegam por e-mail.
No mais, é tudo igual àquelas alterações feitas na época pré-internet. As mudanças repentinas e confusas de regras, os planos que fracassaram porque foram anunciados antes e pensados depois, as normas que não contemplam as múltiplas situações da vida real, tudo parecia estar de volta na semana passada.
(…) Nilton não terá como fugir, por mais nobre que seja o motivo pelo qual está poupando.
Terá que pagar imposto que vai incidir sobre a rentabilidade de R$ 67 mil do dinheiro da educação dos netos.

.

Luis Nassif: É curioso esse tipo de comparação. Se o Nilton está com uma poupança de R$ 117 mil, exclusivamente para a educação futura dos netos, é evidente que o conjunto de rendimentos dele é muito maior. Mirian fala em rentabilidade de R$ 67 mil sobre uma aplicação de R$ 117 mil. Errou na vírgula. Deve ser R$ 6,7 mil de rentabilidade. Sabe qual o IR máximo que o Nilson vai pagar? Pouco coisa além de R$ 200,00.

.

Miriam Leitão: (…) Terão todos esses 894.856 poupadores que excedem os emblemáticos R$ 50 mil que torcer para que os juros não caiam, porque a queda dos juros aumentará seu imposto.
Os outros donos de caderneta terão que se limitar aos R$ 50 mil, não poupar nada mais, porque em lei estará um valor imutável a partir do qual se paga imposto de renda. Serão punidos se pouparem mais.

.

Luis Nassif: Meu Deus do céu! O sujeito poupa R$ 50.000,00. Ganha R$ 3.360,00 (arredondando) de juros, mais R$ 300,00 de correção monetária pela TR. Não paga IR. Aí ele resolve poupar mais R$ 50.000,00, ficando com R$ 100.000,00. Ganhará mais R$ 3.360,00 em juros, dobrando o que ganhava antes. E terá que pagar R$ 175,00 de IR. E a Mirian considera isso uma punição, a ponto de sugerir que ele não poupe mais nada além dos R$ 50.000,00 isentos. Ou seja, ele deixará de receber mais R$ 3.360,00 de juros para não ser “punido” com um IR de R$ 175,00. Há limites para o terrorismo, que em linguagem corriqueira se chama de “senso de ridículo”. Antes de submeter as mudanças da poupança a sessões de tortura, a Mirian mandou os números saírem da sala para não haver testemunhas.


Comentário


Um pedido a vocês. Cada vez que questiono artigos ou análises, estou rebatendo ideias e conceitos. Mas muitos se inflamam e aproveitam os posts para desancar os polemizados. Vamos ficar no campo das ideias e conceitos, sem ataques de cunho pessoal.

Luis Nassif

http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2009/05/17/poupanca-tortura-sem-numeros/#comment-658380

Nenhum comentário:

A História do SPIN