22/05/2009

Quem é Quem no TCU

Por Zé Augusto

Se Gilmar Mendes já era problema no STF, se preparem, porque, agora, a oposição aparelha outro órgão: o TCU (Tribunal de Contas da União).

O órgão, apesar de se chamar tribunal, é vinculado ao poder legislativo, e fiscaliza as contas do governo.

A corpo técnico do tribunal é considerado eficiente, mas quem julga e faz acórdãos são os ministros.

E é nesses ministros que residem os problemas.

Nada contra fiscalizar as contas dos gestores públicos, pelo contrário, é imprescindível.

Mas esse tribunal malcomunado com a oposição, cria problemas artificiais para atrasar obras do PAC, e cronogramas de investimento. No final dá em nada, mas o estrago para o cidadão brasileiro fica feito, com obstrução e atraso na geração de empregos, no desenvolvimento e na implantação de programas sociais.

O presidente do tribunal é Ubiratan Aguiar. Ninguém menos do que um ex-deputado do PSDB do Ceará, da bancada do Senador Tasso Jereissati.

Outro ministro que julga as contas do governo é José Jorge, ex-candidato a vice-presidente na chapa de Alckmin em 2006. Ex-senador do DEMos de Pernambuco.

Segue a lista, Aroldo Cedraz, quadro do antigo PFL baiano, da bancada de ACM.

Outros ministros estão com problemas na Polícia Federal, o que tem causado suspeitas de retaliação contra o governo.

O caso do ministro Valmir Campelo está bem descrito em nota de Luis Nassif de 29/03/2009.

Outro ministro do TCU, Augusto Nardes, já apareceu na Operação Navalha, e naCastelo de Areia seu filho aparece intermediando doações de empreiteiros (fiscalizadas pelo TCU) para políticos do DEMos, PSDB e outros.

Causa estranheza o súbito interesse do Tribunal em divulgar com estardalhaço fraudes no Bolsa-família e no Pro-Uni, com ocorrências em porcentagem pequena diante do universo de beneficiários.

Criou-se a figura da fiscalização politiqueira e eleitoreira.

Em seguida há uma espécie de linha de produção de dificuldades contra a Petrobras para a CPI da PetrobraX de José Serra.

Há também casos de irregularidades que não existem em obras do PAC, causando atrasos, paralisação de obras, e dispensa de funcionários.

Nosso leitor Marcos, também constatou o fato nas Universidades Federais, onde também estão investigando tudo e dificultando a realização de projetos importantes do Governo Federal.

Tudo isso, parece, para que esses projetos sejam entregues às Universidades privadas ou, então, não sejam desenvolvidos, para alegar que o Governo não conseguiu implementar os projetos para a educação.

Nenhum comentário:

A História do SPIN