30/09/2009

Mab 18/70 (I)

Painel de controle*

Clique na imagem para ampliar

No momento esta obra está assim / 1565 postagens espalhadas por 101 blogs / sei que que se trata de algo tão efêmero quanto um picolé ao sol / um hacker, num segundo, pode destruir tudo / o site Mercado Livre, de propriedade desta antipática que responde pelo nome de Verônica Serra, filha de um vampiro que quer ser o presidente deste País, tem me dado muito trabalho, fiquei proibido de postar/ de forma que a qualquer hora esta obra poderá desaparecer sem deixar qualquer vestígio / não tem problema / enquanto isto não me acontecer eu me excedo / afinal de contas minha história se resume nisso: criação e destruição / por uma questão de segundos enjoo dos meus brinquedos e destruo-os / quando Mab se foi pus no lixo o conteúdo de 70 armários, coisas que eu guardava há tempos, desde a década de 50, quando nasci/ fotos, pinturas, desenhos, vídeos / não tem cabimento, joguei fora um cobertor cujas linhas eu havia fiado para a Mãe Preta tecer, o que de fato aconteceu, este era da década de 60/ nem as fotografias dos meus avós e bisavós escaparam / tudo, projetos, artigos de jornais sobre minhas obras, etc/ anamnese = memórias daquela época que, agora, estou precisando para revisar, retificar, refazer / onde eu estava com a cabeça para ter sofrido aquele ataque de limpeza? / agora quero ter aquilo em mãos e não posso, o tempo para reconstituir o destruído não existe, afinal de contas a partir de hoje trabalharei 8 horas por dia com um computador me vigiando, inclusive o tempo que gastarei para ir ao banheiro / eis aqui a causa de todos os males do mundo, esta mania de asseio, este perfeccionismo racial, artístico, estético, isto que levou Hitler a desencadear a 2a. guerra mundial, milhões de mortos por uma questão de limpeza/ tenhamos muito cuidado com isso / tudo na vida é spin**, inclusive os número, cada um deles, de 1 a 70 tempo / e os números / e o tempo

Idéia Sem***: quis ficar vazio quano Mab se foi

Mab: não quero mais.

Coro: Mab não apareceu. Como voltar para esta casa de assombração, onde as regras de uma entrevista monográfica é desrespeitada?

Idéia Sem: desconfio que Mab está lendo este blog. Talvez por isso Mab não tenha vindo. Alguém, alguma árvore que lhe ofereça uma sombra mais agradável. Onde eu estava para lhe proibir de conversar com as pessoas da minha rua ou andar sem óculos escuro para não deixar os olhos*** * à mostra? Não seria melhor uma burka talibã?

Eu sei que meu tempo é curto para levar adiante esta obra, afinal de contas, apesar da minha velocidade, levo alguns segundos para atualizar 101 blogs, corrigir, ver como está, retirar os excessos, apagar aquilo que, após um breve afastamento, a ficha caiu e não gostei, não me reconheci diante dos excessos.

Fichamento do glossário da monografia:

* Painel de controle? Eu quis dizer painel de edição. Controle se escreve controle = edição. Lê-se controle igual edição. Não há nenhuma diferença entre controle e dic ção, digo edição. Sinônimo.

** Spin = Sistema poético informativo nato

*** Idem Sem = O personagem Idéia sem alguma coisa. Ou sem tudo. Neste caso, sem tempo.

****Olhos se escreve olhos = santidade (isto aqui vai para o glossário da monografia)

_____________________________

Abaixo, logo após a palavra "contemporânea" clique em mab1 para acessar os demais capítulos desta monografia

Nenhum comentário:

A História do SPIN