21/02/2009

Ney Matogrosso e Gal Costa

Nesta noite sonhei com Ney Matogrosso e Gal Costa
Letra e partitura de "Espinha de Bacalhau"
Compositor: Severino Araújo
Por Ney Matogrosso e Gal Costa
Instrumental (Link)

Intro: C6/9

C6/9 Cº C/E
Eu também sei desconsolar num tom difícil de tocar
Em5-/7 A7 Dm7
É meu talento além do som daquela onda eu fui dançar
F7+
Dancei tão bem adocicando o teu batom como um bombom
G7 C6/9
Te lambuzei com a minha frase mais redonda
B7 C6/9
Atriz atroz da insensatez, fui traduzindo em português
A7 F7+
O amor que fez tua falsidade mais profunda
Ab7+ C6/9
E corro atrás da vida fácil em que você quer me levar
C#º Dm7 G7 C6/9
Quero morar num bangalô, chorar na mesa nunca mais
Cº C/E
Saxofone ou Satanás me intoxica com teu gás
Em5-/7 A7
O lado bom do coração que nos separa dos metais
F7+
Se a vida é cara, gigolô, só meu amor conhece a cor
G7 C6/9
Das harmonias da Orquestra Tabajara
B7 C6/9
Sei que é difícil respirar quando a paixão quer sufocar
A7 F7+
Meu coração, por isso eu canto na garganta, ah meu amor
Ab7+ C6/9
O nosso veneno é no caroço da canção
C#º Dm7 G7 C6/9
É como um vício e tem sabor que a fala presa não desfaz
Solo: Am7 Dm7 E7/9- Bb6/11+ A7 Dm7 Am7 B7 E7/9- Am7 G7
F6
Não sei quem pintou tua cor, tua tez, teu sabor
C7 F7+
Com a mocidade onde eu pecava - minha emoção já não dava essavoz
Cm7 D7/9-
Talvez sonhando dancei nu ao lado do abajourt, e devo ter tebeijado com paixão
G#º F7+ D7/9
Foi quando um popular me despertou , me deu notícias
Gm7 C7 F7+
Que esse amor de gafieira não tem mais
F7+ E7 F7+
Apresentei o meu sorriso e alguém de lá me perguntou
D#7 D7/9 Gm7
Onde é que eu estou que não agarro essa morena pra dançar
Bb7+
E eu lhe falei não é preciso padecer na solidão
C7 F7+
Meu coração, a solidão não vale a pena
E7 F7+
Sei que é difícil respirar quando a paixão quer sufocar
D7/9 Bb7+
Meu coração, por isso eu canso na garganta, ah meu amor
C#7+ F7+
O nosso veneno é no caroço da canção
F#º Gm7 C7 F7+ F7 Bb BbmF7+

http://ney_matogrosso.hipermusicas.com/espinha_de_bacalhau
/

Nenhum comentário:

A História do SPIN