18/03/2010

OOOOOO OOOOOOOOOOO OOOOOOOOOOO

Eu não consigo terminar este texto que começou com o divino ou sobral
A beleza é necessária para chamarmos o vento
Quando eu era pequeno ou menos ou menor
O meu pai designou-me para chamar o vento

Eu havia escrito ou registrado em video ou foto ou texto e, num determinado
momento da história, por não saber o que eu fazia, ignorei-me ou joguei tudo
fora
Agora, vazio, haverei de povoar, novamente, o espaço ou mar
Meu deus, onde eu estava para ter feito aquilo
Isso, a dúvida
Agora sei
Eu estava na avenida paralizado pela dúvida
Ele e ela passaram e me viram
De tão imóvel eles me chamaram e eu não ouvi
A dúvida não me permitiu ver a realidade
Foi neste momento em que eles, os dois, pai e mãe, ou chefe + auxiliadora ou amparadora, ficaram contra mim
Os dois ao mesmo tempo
Eles me amarraram num tronco de árvore
Foi assim que o anjo caiu e, caido, não dava conta de tomar consciência de sim
Nem uma árvore ou quarteirão dava conta de contornar sabendo de si
Como é mesmo que é isso, esta coisa de contornar uma árvore sem saber de si
Um momento, esqueci novamente
Eu já havia dado vizualidade a isso através de uma performance
O problema é que joguei tudo fora, isto num determinado momento da história, quando ,,,num determinado momento da história,,,quando...quando ...quando...
Um momento,,,estou gravando o som deste meu digitar ou escrever...
Um momento...estou escrevendo...
...
Não estou a fim no momento
Não quero continuar nada
Nem lembrar
Um momento, vou alimentar,,com pedaços de manga ou matéria ou via ou farinha lacta
Agora sei..
Se você não entende, não jogue fora
Pois há quem entenda estas coisas ou cousas
Entregue ao seu médico ao invés de destruir
O mundo não foi feito para ser explicado mas para ser sentido
O que faço agora ao tentar lembrar o que fiz ou fui
O

Nenhum comentário:

A História do SPIN