25/03/2010

Vale a pena ver ou ler de novo


Lula diz que mídia age de má fé e propõe enfrentamento

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a fazer duras críticas aos meios de comunicação que privilegiam a cobertura negativa ao invés de divulgar as realizações do governo. “É triste quando a pessoa tem dois olhos bons e não quer enxergar, quando a pessoa tem o direito de escrever as coisas certas e escreve as coisas erradas”, afirmou Lula nesta quarta (24), no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília, durante o Salão dos Territórios Rurais – Território da Cidadania em Foco.
Lula quis enfatizar a pouca visibilidade dado ao programa Territórios da Cidadania que de forma integrada leva os principais programas do governo federal para 60 territórios com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e baixo dinamismo econômico.

Segundo ele, foram 37 bilhões colocados à disposição do programa em 2008 e 2009 para contemplar 135 ações de 15 ministérios. As ações são voltadas para o desenvolvimento regional e garantia de direitos sociais.

A perspectiva é que sejam beneficiados mais de dois milhões de famílias de agricultores familiares. São assentados da reforma agrária, quilombolas, indígenas, pescadores e comunidades tradicionais em 958 municípios.

O Brasil da mentira

O presidente diz que fica triste ao prevê que no futuro haverá pouco material para pesquisa sobre o seu governo. “Eu fico imaginando daqui a 30 anos, quando alguém quiser fazer uma pesquisa sobre a história do Brasil e sobre o governo Lula e tiver que ficar lendo determinados tablóides. Ou seja, esse estudante vai estudar uma grande mentira neste país (...) E as coisas são assim, quando o cidadão quer ser de má fé, não tem jeito”, advertiu.

Ele lembrou também da realização da Conferência Nacional de Comunicação quando grupos empresarias boicotaram o evento. “Nós sabemos que, recentemente, houve a Conferência, por exemplo, da Comunicação, em que os grandes grupos empresariais de Comunicação não quiseram participar, achando que iam ser admoestados pelos grupos menores quando, na verdade, o que nós vimos foi uma lição de democracia das pessoas que participam da discussão da Comunicação neste país.”

Ainda citando o comportamento da mídia, Lula lembrou o episódio do boné do MST em 2003 e aproveitou para colocar um na cabeça no momento. “Eu coloquei o chapéu dos Sem-Terra na cabeça. Foi um escândalo, um escândalo. Primeira página dos jornais: Lula bota o chapéu dos Sem-Terra na cabeça. Bem, a partir daquele instante o que eu fiz? Eu passei a colocar chapéu na cabeça”, contou.

Para o presidente a tática é de enfrentamento: “Eles vêm para cima. Se você se acovarda, eles ganharam. E nós não temos por que temer. Se tem uma coisa que nós não temos é vergonha do que nós fazemos neste país. Nós temos que ter orgulho do que estamos fazendo neste país.”

Da Sucursal de Brasília,
Iram Alfaia

FONTE: vermelho


MR6SMSPJP9SC

Nenhum comentário: