28/11/2009

A "malandragem" cafajeste do Otavinho

por Luiz Carlos Azenha - em seu blog

Otávio Frias Filho é um cafajeste. A edição da Folha de S. Paulo de hoje, aquela que trouxe como não quer nada uma acusação-bomba ao presidente da República, assinada por outro cafajeste, é uma tentativa mal disfarçada de "malandragem" jornalística.

Não leio a Folha faz tempo, por isso. Não assino o UOL. Não compro nenhum produto do grupo Folha. Fiz isso muito antes que outros blogueiros esperneassem contra o jornal. Se tiver de ler algum jornal, leio o Estadão. O Estadão não disfarça. É um jornal conservador. Defende interesses conservadores. A Folha é um jornal dirigido por um cafajeste. Um cafajeste medroso, que não tem coragem nem de assumir suas posições políticas claramente. Um cafajeste que se apresenta como "neutro", "imparcial" e outras safadezas do gênero.

Por dever de ofício, peguei a edição da Folha de hoje, emprestada de um amigo. O jornal dedicou espaço em três páginas para atacar o filme sobre Lula. Está claro, para quem é do ramo, que a Folha quis enfeitar o pavão em torno do artigo do César Benjamin. Que é um cafajeste, simples assim, por ter feito uma acusação gravíssima contra um presidente da República sem apresentar provas, sei lá com qual objetivo político. Inveja? Dor de cotovelo? Ódio ideológico?

Mas volto ao jornalismo cafajeste da Folha: se o jornal de fato pretendia investigar o assunto, poderia muito bem ter publicado a denúncia como manchete de primeira página. Mas, se fosse assim, ficaria muito claro o jogo político. E a Folha se exporia. O que fez o jornal? Cercou o texto de César Benjamin de outras reportagens sobre o filme "O Filho do Brasil" e, como quem não quer nada, deixou a acusação flutuando no meio do texto.

Dois colegas jornalistas disseram que começaram a ler o texto de Benjamin mas desistiram no meio: era muito chato. Só ficaram sabendo da acusação na internet. Que, presumo, foi justamente o objetivo: agora os textos de "Dilma, terrorista" vão acompanhar os de "Lula, estuprador", nos e-mails que se espalham pelo mundo e ganham destaque especialmente nos chats e nos sites de relacionamento. É a propaganda eleitoral do século 21.

Sei do que estou falando: desde que o Viomundo tocou no assunto, recebi uma onda de comentários sustentando as acusações contra o presidente da República, de "leitores" que nunca estiveram no site. É, presumo, a turma encarregada de espalhar a "acusação" contra Lula, de dar pernas à versão assinada por César Benjamin. Ele é a Miriam Cordeiro, versão 2010. Faz parte dos que pretendem detonar o filme com o objetivo de evitar que Lula, lá adiante, transfira votos para a ministra Dilma Rousseff. Evitar que o "estuprador" eleja a "terrorista". Isso dá uma medida do desespero que essa possibilidade, cada vez mais factível, causa. E é na hora do desespero que os cafajestes se revelam.

PS: Um dos jornalistas com os quais conversei a respeito, leitor da Folha há décadas, me disse: "Vou cancelar a assinatura. Agora deu.".

.


Djalma Bom: "Claro que o Lula não estuprou ninguém! É revanchismo!"

por Conceição Lemes

19 de abril de 1980. Eram 6 da manhã. Forte aparato policial cercou a casa de Lula no bairro Assunção, em São Bernardo do Campo. A ordem era prender o então presidente dos Metalúrgicos de São bernado do Campo e Diadema. No mesmo instante, eram presos Djalma Bom e Devanir Ribeiro, respectivamente tesoureiro e primeiro-secretário do Sindicato. Os dois foram os únicos que ficaram presos com Lula durante os 31 dias.

Viomundo -- O Lula estuprou alguém na cela do DOPS?

Djalma bom – Claro que não. Só um doente mental para falar tamanho absurdo.

Viomundo -- Como era a cela?

Djalma Bom -- Media 4 por 12 metros. Teve dia de estarmos em 18 na cela. O banheiro não tinha porta. Qualquer movimento todo mundo via. Era IMPOSSÍVEL ocorrer algo e ninguém notar. A luz ficava acesa a noite inteira.

Viomundo -- Quantos dias você ficou preso?

Djalma Bom --Trinta e um. O Lula, o Devanir e eu fomos presos no mesmo dia à mesma hora. Eram 6 da manhã, quando a Polícia Federal bateu na minha porta. Fui olhar. Tinha carro de polícia por todo lado. O quarteirão foi cercado. O telefone, cortado para que a gente não se comunicasse com o restante da diretoria. Por isso te garanto: não ocorreu estupro algum.

Viomundo – Por que o Benjamin mentiu?

Djalma Bom – É um psicopata. Só pode estar sofrendo de algum distúrbio mental.

Viomundo – Tem certeza? Nada mais?

Djalma Bom -- É revanchismo contra o PT, contra o Lula, contra o governo. Uma pessoa ressentida.

.
Vicentinho: "A Folha foi irresponsável. Deve desculpas ao Brasil"

por Conceição Lemes

José Vicente de Paulo, o Vicentinho, deputado federal pelo PT-SP, ex-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e Diadema e ex-presidente da CUT (Central Ùnica dos Trabalhadores):

"O César Benjamin, todos nós sabemos quem ele é e do ódio que ele tem do Lula.

Maldade maior foi da Folha. Publicar uma matéria dessa sem checar, é irresponsável. A Folha deve desculpas ao Lula e ao Brasil".
.
FONTE: Vi o Mundo

Nenhum comentário:

A História do SPIN