02/11/2009

José Datrino, o Profeta Gentileza


Se eu tivesse que escolher um morto para homenagear neste Dia de Finados, eu escolheria José Datrino, o Profeta Gentileza.
Ele deixou-nos o conhecimento ao invés de apenas ossos no cemitério.
Lembro-me como se fosse hoje, aquele senhor trajando uma túnica branca na qual estavam escritas umas anotações, de cabelos cabelos e barba compridos, andando pelas ruas de goiânia, Gentileza costumava pregar na Praça do Bandeirante, no centro da cidade.
Nas mãos ele carregava uma palmas, flores e uma espécie de tábua dos mandamentos onde ele, ao seu modo, falava ao povo.
As pessoas o viam como um louco mas mesmo assim aglomeravam-se ao redor dele para ouvi-lo. As suas pregações eram sobre a gentileza.
Estamos precisando muito disso nestes dias em que uma aluna foi agredia na UNIBAN por estar usando um vestido que, para alguns, era curto, o que não era verdade, curta era a gentileza daquela gente.
Assim como também curto está o desconfiômetro de FHC.

"GENTILEZA GERA GENTILEZA

Por José Datrino, o Profeta Gentileza

A natureza não vende terra,
a natureza não cobra pra dar alimentação para nós.
Esse dia lindo,
essa luz que está em cima de nós, a nossa vida,
ou seja, vem do mundo, é de graça,
é Deus nosso Pai que dá.
Agora o capeta do homem que é o capitalismo, é que vende tudo, destrói tudo,
destruindo a própria humanidade.

Capeta vem de origem capital.
É o vil metal
Faz o diabo, demônio marginal.
Por esse motivo, a humanidade vive mal.
Mal de situação,
mau de maldade,
porque o capitalismo é falsidade,
o pranto de toda a maldade,
raiz de toda a perversidade do mundo.
É o dinheiro.

O dinheiro destrói a mente da humanidade.
O dinheiro coloca a humanidade surdo.
O dinheiro destói o amor.
O dinheiro cega.
O dinheiro mata.

Todo dia você lê jornal, ouve rádio,
televisão, só vê barbaridade:
é crime, é assalto, é sequestro, é vício, nudez, devassidão, fome e guerra.
Vai ver qual é a causa:
capitalismo."

FONTE: http://www.riocomgentileza.com.br/

Um comentário:

Cristina Motta disse...

O grande poeta das multidões.
Gentileza está fazendo falta no Rio de Janeiro.
Aproveito para passar-lhe um dos blogs que eu gosto muito.

www.arturbarrio-trabalhos.blogspot.com

A História do SPIN