20/10/2009

Este é o meu normal 3/70 (I)

Miguel, escrever de forma compulsiva é uma grave patologia mas só me sinto mais leve quando escrevo sem me policiar embora depois morra de vergonha do que escrevi, por isso ultimamente restringi-me a apenas comentar textos alheios, mas não sei se isso vai resolver minha demanda que vem desde pequeno, quando escrevia no próprio corpo regras de auto-ajuda que eu mesmo inventava: criar carapaças, fechar a cara.
.
Quanto ao pessimismo generalizado manifestado por nós brasileiros, isto tem a ver com os conteúdos que nos são introjetados desde pequeno por nossoas pais, escola, igrejas e, principalmente, pela televisão, vi isso hoje à noite, meus familiares afirmando que o presidente Zelaya teria sido deposto porque queria implantar em Honduras a ditadura de Hugo Chaves. Tive que falar das relações de poder da mídia, aí entrou a Globo dizendo que a Vale se tornou uma grande empresa porque foi privatizada quando na verdade isto ocorreu por causa da valorização do aço (o que era de conhecimento de FHC), teve o que mais hoje para os meus familiares no JN...ah sim, a Lina Vieira***** achou a agenda, o que estaria provado que Dilma teria mentido. Como não pirar? Viva a escrita.
.
Entre outras coisas, tive que dizer isso também para os meus familiares que naquele momento assistiam ao JN/Globo.
A mídia está metida num jogo de poder, isto sobre a Lina Vieira é uma farsa.
Não é notícia, é peça de propaganda visando a eleição de Zé Serra.
Não é à toa que Obama já declarou a Fox News, a Folha dos EUA, como um partido político.
O governo dele(Obama) pediu, na CNN, que os demais meios de imprensa norte-americanos vejam a Fox como um partido político.
O Brasil precisa saber que a Folha e Veja, assim como a Fox News, são partidos de oposição e fazem propaganda disfarçada de jornalismo.
______________________________
Para ter acesso aos demais capítulos desta série, na sequência de palavras (spin, textos, arte, literatura, contemporânea) clique em "normal"

Nenhum comentário:

A História do SPIN