28/10/2009

Produtos exportados pelo Brasil, até setembro de 2009

Miguel, este seu texto é bastante esclarecedor. E não era sem motivo a rejeição do povo a FHC.
O seu nível de aceitação popular chegou a 10% dos brasileiros. E não era sem motivo. FHC e quebrou o país 3 vezes, mesmo que a sua política neoliberal tenha transferido todo o patrimônio nacional para os seus amigos, parentes e correligionários. A princípio o sistema Telebrás foi abocanhado por Daniel Dantas.
.
A Globo, para exaltar a privataria de FHC, costuma alardear que a Vale cresceu 6 vezes por causa da privatização (melhor dizer privataria). Mentira! A empresa cresceu sim, mas isto por causa do aumento do preço do aço no mercado internacional, o que, na época da privataria, FHC e sua turma sabiam que iria ocorrer, pois que contratram uma empresa estrangeira para fazer tal estudo.
Como a Vale hoje é dirigida por tucanos-demos, a melhor forma de saber como seria o Brasil é só verificar o que ocorreu com a empresa durante a crise internacional. Tivesse a direita vencido ao invés de Lula, o Brasil teria ingressado no NAFTA e para saber como estaríamos hoje, é só olhar para o México do presidente Calderon, de direita, cujo mandato foi conquistado através de fraude eleitoral. A Petrobrás teria tido o mesmo destino da Vale. Apenas alguns exemplos do quão é importante impedir o retorno da conexão tucano-demo.
.
Quanto a esta gente afirmar que é mais esquerda que Lula, que mostrem serviço então, tomando atitudes básicas tais como:
Defender o sistema de partilha para o pré-sal.
Arquivar a CPI do MST.
Aprovar a CPI do Latifúndio.
CPMF para as grandes movimentações de dinheiro, isto a título de distribuição de renda.
Cumprimento por parte das empresas da função social da propriedade, conforme prevê a CF.
Taxação das grandes heranças.
E olhe lá que estas atitudes deveriam ser defendidas inclusive pelos capitalistas interessadoss em melhorar seus negócios, em vender mais, o que é impossível num quadro de pobreza, miséria e ausência de distribuição de renda.
Olá, esquerdistas tucanos-demos, mãos à obra.


Nenhum comentário:

A História do SPIN