30/10/2009

A "puta" da UNIBAND ou a cultura bovinóide

Caro Josué Mecenas, parabéns por nos trazer à tona esta barbárie ocorrida na UNIBAND

Preferi não assistir ao vídeo onde da agressão. Vi somente o segundo vídeo, o da análise desta selvageria, fruto da cultura bovinóide que, apesar da modernidade, se manteve. Aqueles mesmos jovens, aquela mesma ideologia, o mesmo reacionarismo que levou uma turba a jogar a vaiar e apedrejar artistas como Villa Lobos na Semana de Arte de 22 permanece.

Por isso não tive estômago para assistir ao outro vídeo, sei do que se trata. O mesmo pensamento de séculos e séculos atrás persiste. Ontem um colega de trabalho, que morava na área rural de uma cidade do interior me fez um relato que pensei tratar-se de um tempo que já havia sido relegado à história, de tão distante, no entanto é fato recente e ainda acontece e muito contra as mulheres deste País. Foi este o seu relato que deixou-me surpreso ainda mais por saber que isto é visto como normal e portanto sem punição:

Ele: fui a uma festa. O filho do dono da festa chamou uma moça para dançar. Ela recusou. Aí pegaram umas corradas e a amarraram.

Eu: para que fizeram isso?

Ele: para ela não dançar mais. Esta é a lei. Se a moça rejeitar não pode dançar mais com ninguém. Ela passa a ser vigiada. Se ela dançar com outro rapaz corre o risco de ser morta.

Eu: continue a históriaEle: Ela foi amarrada com umas cordas. Começaram a bater nela. Ia estuprar. O pai dela chegou para prestar socorro, para pedir que não fizessem aquilo. Aí mataram o pai dela.

Eu: mas este tipo de coisa ocorria há muito tempo atrás. Hoje não ocorre mais.

Ele: que não ocorre que nada, ocorre demais

.………………

………….

Sim, agora sei que ocorre.

Agora sei.

Esta moça da Uniband agrediu a quem em específico. Com certeza a algum jovem dotado de posses, de poder de liderança sobre o grupo. Além desta visão tosca contra a autonomia da mulher,está implícito neste tipo de reação, o poder dos poderosos, dos endinheirados. Como sempre. Antigamente na roça, agora também nas cidades, dentro de uma universidade produtora de conhecimento. A cultura bovinóide*** é isso.

.

*** Bovinóide = lideranças que são seguidas feito boiadas, sempre assim, um estudante com poder de mando e ascenção sobre os demais, este estudante dá um grito e os demais respondem uníssonos. Seria muito interessante se o líder aparecesse. Estamos agurdando. Que a UNIBAN mostre a peça. Em todo crime há um mentor intelectual. Duvido do do que isto tenha ocorrido de forma espontânea. Impossível. Há por detrás disso uma voz de comando e por trás desta voz de comando uma cultura que eu chamaria de bovinóide.

.

Atualização - em 31/10/2009

Últimos comentários - no blog do Luis Nassif

Mônica disse:

Essa história tá pela metade, essa garota devia se achar a última coca cola do deserto, devia ter procurado briga com alguma garota de lá, não sei… Mas esse papinho de que foi hostilizada só por causa de um vestidinho curto não convence não…Eu também gosto de usar roupas curtas e todo mundo gosta de mim (pelo que eu saiba), não preciso ficar me auto afirmando toda hora.
.
jose carlos lima disse:


Pelo jeito a coisa vai virar bullyng e tudo vai acabar em pizza. O bullyng é aceitável e funciona assim “aquela garota é detestável” vamos massacrá-la. Não só homens como também mulheres fazem parte da festa. LamentávelIsto tem que ser punido. Não tem o menor cabimento se fazer justiça com suas próprias mãos. Se isto continuar, daqui uns dias qualquer um(a) de nossas sobrinhos(as) estão sujeitos(as) a este tipo de abuso. Os coleguinhas dela não vão com a cara dela porque ela é negra ou pobre ou tem cara de puta. Então vamos malhá-la: Puta! (um(a) protestante). Puta! (2 protestantes). Puta!!!!!!!!!!!!!!! (coro de 700 protestantes).

.

Eu quis dizer bullying

.

Nenhum comentário:

A História do SPIN