31/10/2009

O vírus reacionário de SP

Edu, este seu texto nos remete ao atraso de SP.

Na Semana de Arte Moderna de 22 estes reacionários vaiaram e jogaram bolinhas de papel em artistas como Vila Lobbos, no Teatro Municipal de SP. Isto parece fazer parte da história de SP. Esta moça, filha de metalúrgico, trabalha num mercadinho em frente a sua casa para se manter. Antes de tudo, está ai um preconceito de classe. Ela não usava Daslu. (...).

Dizem que os reacionários da UNIBAN insistem em repetir o "show" contra esta pobre moça. Cadê o Ministério Público que não age? E a própria universidade, o que fez até agora além de mandar apagar os vídeos? Trata-se de uma gente que pensa que ser moderno é andar por aí com um MP3 no ouvido, quando modernidade é, antes de tudo, ser democrático. Como seres não pluridimensionais, estes reacionários acompanham o primeiro esturro da boiada. É a cultura bovinóide. Segue link para interessantes textos sobre o ser unidimensional http://www.google.com.br/search?source=ig&hl=pt-BR&rlz=1R2ADFA_pt-BRBR343&q=unidimensional+marcuse&meta=lr%3D&aq=6&oq=unidimensional

.

.

Nenhum comentário:

A História do SPIN