27/10/2009

A oposição abandonou o barco da mídia

Caro Luis Nassif, parabéns pelo texto.

Você foi um dos responsáveis por este desfecho. Não é à toa que a Abril/Veja abril digo abriu vários processos judiciais contra a sua pessoa, o que é uma incongruência, pois não tem o menor cabimento um cidadadão ser processado por uma revista cuja atividade fim é exatamente a opinião ou, para usar o jargão que eles adoram, a liberdade de imprensa.

E vem mais coisa por aí, pois os novos e-books acabarão não só com com os jornais impressos como também com o manchetismo, estes alarmas sociais provocados por coisas manchetes mentirosas tais como "Dilma é Terrorista", "Lina Vieira achou a mala com a agenda", "70 milhões de pessoas serão afetas pela gripe suína, 35 milhões morrerão ***".

A mídia foi bem mais além na sua sanha golpista e entrou de corpo e alma em algumas campanhas, como por exemplo contra a CPMF, um imposto que era pago em especial pelos grandes grupos econômicos e que, num país tão desigual como o nosso, significava um mínimo de distribuição de renda, conforme pensamento expresso pelo Dr. Adib Jatene.

A velha mídia será enterrada sim, no entanto seus restos mortais ecoaram em nossos ouvidos ainda por um bom tempo. Há muito mais surpresas vindo por aí, como por exemplo a migração dos jovens para a internet, inclusive pesquisas recentes indicam que a maioria dos jovens prefere a internet a outros meios de comunicação.

Até que ver onde as 6 magnas famílias que em pool formam o oligopólio da informação e da fala farão com o seu manchetismo, se daqui uns dias os jovens carregarão sues e-books a tircalo, contendo em seu interior mais de 2 mil títulos dentre livros e jornais e nenhuma árvore destruida.

E agora, josé

*** O prazo dado pela Folha para tantas mortes pela gripe suina foi de 2 meses. Após 6 meses a cifra não foi confirmada. Para não ficar mal na fita a Folha fez uma pesquisa por telefone para saber se alguém teria contraído gripe naquele período, enfim, uma palhaçada sem tamanho.
.
Atualização

TV perde espaço para a internet

A TV, o eletrodoméstico de maior penetração no país, já não é considerado o item mais importante do dia a dia para a população jovem (de até 34 anos), segundo resultado de pesquisa feita pelo Ibope sobre hábitos de consumo de meios de comunicação.

Para a faixa etária de dez a 17 anos,o computador com acesso a internet é o aparelho mais relevante (com 82% no ranking de prioridade), seguido pela TV (65%) e telefone celular (60%). Dos 18 aos 24 nos, o líder do ranking passa a ser o telefone celular (78%), com computador ligado à rede (72%) e TV (69%) em sequência, o que tem pequenas diferenças em relação ao próximo grupo, dos 25 aos 34: celular (81%), TV (73%) e computador (65%). Na média geral da população, a TV fica na liderança da pesquisa, com77% de preferência.

Para Dora Câmara, diretora comercial do Ibope, os resultados também são explicados por um processo de convergência: quanto mais jovem a população, maior é a capacidade de acomodar os meios de comunicação de forma simultânea.
"Metade dos jovens de 12 a 19 anos costuma acessar a internet enquanto veem TV ou ouvem rádio", diz.

Nenhum comentário:

A História do SPIN