01/10/2009

Espionagem sofisticada e trama política no vazamento das provas do ENEM


Por Luis Nassif - em seu blog

O vazamento foi político, é óbvio. Ninguém vai procurar a repórter de um jornal oferecendo um dossiê por R$ 500 mil. Passaram o furo sem precisar entregar o dossiê. A explicação dos vazadores para o portal R7 (clique aqui) é inverossímil – um delegado da Polícia Federal de Brasília, injuriado por não ter sido indicado para um cargo que resolveu se vingar.
O Ministro Fernando Haddad é candidato a candidato ao governo do Estado.
Continue lendo
.

Paulo Henrique Amorim - em seu blog
.
O Conversa Afiada recebeu de amigo navegante suspeita estarrecedora.
A gráfica de onde vazou a prova do Enem teria sido a gráfica Plural, da Folha (*), que fica em Alphaville, em Santana do Parnaíba, perto de São Paulo.
Alguém da empresa da Folha teria vazado para um jornalista do Estadão e não da Folha.
Será possível ?
A Plural foi contratada para fazer a impressão das provas.
Será que a Polícia Federal vai ter peito de investigar a Folha ?
Continue lendo
.
Por Helena Shephanowitz - em seu blog
A Plural Editora e Gráfica Ltda., empresa responsável pela impressão das provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) que imprimiu a prova é do grupo Folha de São Paulo.
Tem alguém jogando pesado contra o governo Lula.
.
Tentaram criar um escândalo envolvendo o ministro da Educação, Fernando Haddad;
Estranho é não ter notícia de ninguém vendendo provas do Enem nos cursinhos ou diretamente para alunos.
.
Declaração de Haddad, Ministro da Educação
"(...) O inquérito na PF já está aberto a nosso pedido e vai ser capitaneado pele superintendência de São Paulo, onde ocorreu o encontro da jornalista com os vendedores da prova e a partir daí as investigações vão ocorrer. Fizemos um apelo para que todas as pessoas que tiveram contato com os fraudadores possam trazer informações relevantes para que a polícia possa fazer investigação mais rápida possível e responsabilizarmos os Que cometeram o delito de tornar essa prova pública antes de sua realização.
.
Então é esse o procedimento:
.
O Inep tem que cuidar da realização da prova. Evidentemente, se colocando à disposição das autoridades, mas nós pessoalmente vamos, junto ao superintendente da PF acompanhar as investigações. Até porque eu entendo que o modus operandi dessas pessoas é bastante anômalo, eles estão se expondo anômalos, de uma maneira que eu entendo que possamos chegar aos autores do delito com alguma rapidez. E evidentemente essas pessoas, se puderem ser localizadas com o apoio da sociedade, daqueles que mantiveram contato com eles, evidentemente nós poderemos saber em que momento, em que etapa do processo houve a corrupção dos dados, que eram sigilosos até sábado, dia da aplicação da prova. Então, são essas as providências.
O consórcio foi chamado à Brasília. É um consórcio que foi o único participante da licitação. Nenhuma outra empresa participou da licitação.""
Por Luiz Carlos Azenha - em seu blog
O vazamento do ENEM e o oportunismo do Dimenstein
" (...) Porém, considerando que a Folha é sócia da gráfica que imprimiu os exames e que...
1. O jornal bombou uma epidemia inexistente de febre amarela, ajudando a levar milhares de pessoas a buscar vacinação sem necessidade, o que levou à morte pelo menos uma pessoa;
2. O jornal, através de um colunista, acusou o presidente da República de ser homicida dos passageiros do avião da TAM que caiu em Congonhas;
3. O jornal publicou na primeira página uma ficha falsa da ministra Dilma Rousseff, que circula como spam pela internet;
4. O jornal bombou o noticiário sobre uma hecatombe econômica, que no Brasil vai ser bem menor do que se previa;
5. O jornal bombou uma epidemia de gripe suína, que registraria no Brasil, segundo a Folha, ao menos 35 milhões de casos;
6. O jornal inventou a "ditabranda" e depois a "ditabranda internacional", em Honduras, com o objetivo de desgastar a diplomacia brasileira.
Considerando tudo isso, seria absurdo supor que o vazamento aconteceu na gráfica parcialmente controlada pela Folha e que teve motivação política?
Será que o Ministério da Educação vai mandar imprimir o novo exame do ENEM na mesma gráfica?
Ou vai colocar a empresa sob suspeição?
Depois de Honduras, a mídia já sentiu o cheiro do novo "caos" federal.
É o caos na Educação: (...)"
.

Nenhum comentário:

A História do SPIN