15/12/2008

Com que roupa?

Desculpem-me hoje não estou muito para a escrita, estou querendo dormir, descansar mais, daqui a pouco tenho que sair para trabalhar = ralar.

Cansado em plena manhã de segunda feira, também não é para menos, o final da tarde até altas horas da noite entreguei-me a um intenso frenesi, uma noite toda de amor.

Passivo? Nem pensar, até mesmo porque fui submetido a uma operação de hemorróida, ontem à tarde fui à casa da Miriam, spin restauradora (de restaurante, ela tem um restaurante), ela me passou uma receita, um suco de folhas de algodão e mastruz, parece que a gororoba me fez dormir, uma delícia, o meu corpo reconheceu-se exausto.

Nesta manhã não posso entregar-me à seção matinal de performance narrativa = pictórica = sensorial = transportadora.

Agora estou que nem naquele momento em que você está procurando um lugar onde seja aprazível escrever? Já procurei vários lugares. Vejo então que o problema não é de espaço mas de vontade. E vontade igual tempo, antigamente eu tinha bastante tempo = vontade para escrever-me = apresentar-me no Porto dos Homens.

Vou dar um giro por aí para ver se acho meu espaço, posso escrever no Youtube, no Orkut, no Gmail, neste blog, onde mais,,, na caixa de comentários da blogosfera, ah, há tantos lugares agradáveis, vou dar um giro = spin para ver o que acontece.

Nenhum comentário:

A História do SPIN