22/12/2008

Idéia Sem Fome (clique aqui)

Este spin havia fechado a Estação 69 - Idéia Sem Fome por entender que, aqui, ficariam guardadas palavras = frases = textos de longa extensão, no entanto com o andar da carruagem viu que a estação 69 será dedicada às frutas, à arte culinária, muitas receitas,
não sei o que ocorreu agora,
eu havia escrito um texto mas, devido aos vários blogs que tenho que administrar, 70 fora este, não sei em qual o texto foi postado, onde eu disse "levanta seu porco, para de dormir = roncar feito uma porca, levanta a bunda deste sofá e vai ajudar a tua esposa = mãe = escrava a preparar a refeição" de ontem = hoje = amanhã.
Ou só sabes comer = empanturrar-se = olhar-se ser como se fosse o ser mais lindo, o mais querido pela esposa = mãe, "deus tá vendo...rrss", cadê a imagem deste ditado popular, pode ser um homem transformado em porco = porca do ponto de vista do spin deus
Onde ficarão as minhas palavras = frases = textos = livros = momentos de longa extensão?
Vou abrir mais uma estação, a de número 68, esta ficará proibida, por nada não, mas que se trata da escrita rude deste spin, quando existia no velho mundo, quando não queria saber de estudar, ah sim, a Estação 68 será dedicada aos estudos e, sim, a 67, à extensa visão, esta estação ficará restrita somente a este spin e será aberta após minha morte, isto se houver alguém que se disponha a ficar com a senha para, depois da morte, as estações proibidas serem abertas ao público, exceto duas delas, a 6 e a 66, uma é a continuação da outra, uma igual a outra, assim
1 = 2 = 3 = 4 = 5 = 6 = 66 = 666
esta estação, por constituir-se de coisas terríveis, palavras que, feito arma matam, não virão a público tão cedo, nem mesmo depois da minha morte e somente = tão somente após terem se passado mil anos reais = virtuais a partir da ágora = praça,
ah, tenho tanto a dizer neste momento mas tenho que ir,
além de frutas carrego também uma pequena autografia = escrita que me deu muito prazer, palavras ditas pelo spin escritor Brasigóis Felício, injustiçado pelos que se dizem justos, por um à toa, o nome dele é José Maria da Silva, do Jornal Opção, nunca vi gente tão feria digo ferida feia como este spin repórter que deu-se ao direito de atacar = denegrir Brasil digo Brasigóis Felício por uns erros de gramática, como se não se fosse através dos erros que chegamos, todos nós, aos acertos, ao Novo Mundo onde, no momento, estou = estamos

Atualizado

Idéia Sem Fome havia saído um pouco para almoçar = alimentar-se com pedaços da via láctea
Comeu carne
Carne se escreve carne = carniça, o preço bem barato, 5 reais para servir-se à vontade, pode repetir várias vezes, há lugares no interior,todos os lugares, um prato de comida custa 15 reais = dólares
Comi bastante
Grato,
Idéia Sem Fome

Durante o almoço vi se aproximando um gato, não de duas mas de 4 pernas = extensões = pés = nascedouros
O spin canino, vi de longe, estava com muita fome e por isso veio ao meu encontro
E dei-lhe de comer e de beber, minto, não dei-lhe água, esqueci, onde eu estava para ter pedido um copo d´agua à spin barman = barwoman para dar de beber aos que tem sede?
Ele chegou e me olhou = pediu "quero comer"
Vejam só, ele me olhou de frente e não de lado = revestrés = rabo de olho como muito me olham
Ele, o spin canino, me olhou sem medo
Ele me olhou e entendi o que ele queria
Dei-lhe de comer, como = quando = onde será que ele bebe?
Tenho que voltar agora ao spin restaurante = restaurador para dar de beber ao gato, eles adoram leite
Naquele momento chegou um outro animal, não um spin felino mas um spin canino, um cão
Como tenho medo de cao, não quis conversa, mas depois vi que era bogagem da minha parte, que o meu medo decorria de lembranças do passado preesente, não sei a partir de quando, por qual motivo, acordado = dormindo, tenho medo de cães, mas depois vi que nada, que aquele cão era meu amigo e veio, assim como o gato, buscar comida, apesar de que ele(o cão, ele era da cor da terra) estava bem gordinho.
Primeiramente servi ao gato um pedaço do mamão que carrego, ele não aceitou o mamão, em seguida lhe servi uma folha de alface e nada, depois me lembrei que quem gosta de alface é coelho.
Depois servi-lhe carne e ele aceitou, comeu apenas os pedaços maciços, os ossos não deu conta de roer, ele deveria estar com os dentes podres = fracos, amanhã vou voltar e, se encontrá-lo novamente, se não matarem-no por diversão = maldade, vou levá-lo a um spin médico = veterinário para que ele tenha boa saúde.
Quanto ao cão marron, este está bem gordo, se bem que isto nem sempre quer dizer saúde, muito pelo contrário, ele estava andando bem pesadinho, nem deu conta de alcançar o gato, quando este comia tranquilo, os dois se estranharam, chamei a atenção do cão marrom e este parou com sua estranha rivalidade contra a raça oposta = diferente = felina

Atualização 22/12/2008 - 12:00 horas

Esqueci de dizer que os ossos que o gato cheio de listras marrons não deu conta de comer foram devorados pelo cão monocromático
Foi quando constatei que as coisas inúteis não existem, se não serve para um será de bom utilidade para outro, nada sobra
Há muitos(as) que estão necessitando destas suas roupas velhas que guardas há tanto tempo no armário

Nenhum comentário:

A História do SPIN