15/12/2008

spin anônimo (ou: não quero andar na linha)




Refazendo os caminhos, ontem fiquei com muito medo de encontrar-me com o Carlos Brando digo Brandão, acho que ele me conhece e não posso ficar conhecido nesta cidade-Estado, quero isso somente depois da morte, agora nem pensar, agora quero liberdade = anonimato. Desconfio que ele me conhece, o Zezinho do Araguaia me conhece mas não sabe quem sou.

Refazendo o texto

Refazendo os caminhos, ontem fiquei com muito medo de encontrar-me com o Carlos Brandão, desconfio que ele me conhece. Não posso ficar conhecido nesta cidade-Estado, isto só pode acontecer depois que eu bater as botas, como seria a imagem deste ditado popular? Afogar o ganso é pegar um ganso de verdade e afogar na água, depois da morte, agora nem pensar, agora quero liberdade = anonimato. Desconfio que ele me conhece, o Zezinho do Araguaia me conhece mas não sabe quem sou.

Refazendo

Andar na linha, aí acima está a imagem do ditado acima, o meu medo é de ficar conhecido e, por causa disso, ter que andar na linha. A imagem acima não é minha e sim de um livro que foi lançado, muito interessante, o artista = criador criou imagens a partir de ditados populares, deve ter a imagem da frase "afogar o ganso," não não vi no portal mas deve ter.
"Quem não tem cão caça com gato," imagina só

Nenhum comentário:

A História do SPIN