18/12/2008

O caso Pimenta da Mota digo Pivetta da Mota

Mas não é disso que quero falar nesta estação = post e sim do acidente. Há dias que venho pressentindo um acidente desta ordem o spin governador deve ter dado ordem para que os motoristas andem em alta velocidade que nem trem bala, bala de fuzil = carabina = estrictinina. É como se aqueles pobres funcionários não tivessem família biológica e biológica se escreve biológica = obrigatória, lê-se biológica igual obrigatória, a Paty não é da minha família obrigatória e sim da parente = spin de todos. Sem excessão, todos são filhos do mesmo tronco, tudo veio de Idéia. Melhor deixar isso prá lá, os marxistas não gostam, para eles primeiro veio a matéria e depois a consciência. Eu nem sei quem veio primeiro se a consciência ou a matéria se o ovo ou a galinha, não sei. Num sonho eu fui a consciência quando, a respeito destas luzes que aparecem no céu e que chamam de ovnis = objetos voadores não identificados = me foi dito o seguinte

"EU NÃO TENHO CONSCI~ENCIA EU SOU A CONSCIENCIA" este sinal til ortográfico = dêictico não existia na frase, entrou por acidente, neste momento. Os acidentes ocorrem por causa da velocidade, eu por exemplo tenho dito coisas que não poderia = deveria ter dito, e disse por causa da alta velocidade com que escrevo, depois que a ficha cai = a poeira assenta me arrependo do que escrevi = disse, tantas coisas = revelaç~oes que pode surpreender a todos os meus familiares revelações que escondi durante estes 50 anos de exitência, faço 50 anos no próximo dia 7 às 8:00 horas da manhã, mandem-me folores digo flogres digo flog ah, o que quero escrever? Flagrante? Sim, nesta noite vi na TV não na TV aberta mas na fechada, na Globo News, spin verbalizadora, pessoa jurídica, uma matéria sobre a prisão digo morte de Caroline Pivetta da Mota. A impressão que tive foi de que se trata do que é: uma prisão kafkiana, sem motivo aparente e que, no entanto, nunca se resolve, um magistrado disse que o tempo em que ela já ficou presa já é bem superior à pena à qual deveria responder, já foram negados 3 habeas corpus, a Defensoria Pública entrou no meio para ver se liberta Carol e ninguém consegue. Na verdade vos digo, quem poder de prender tem, é claro, poder de soltar. E se quem prende não pode soltar esta lei é absurda, pois que quem a prendeu, o Sr. Ivo Mesquita, curador da família spam, não spin, a deteve, chamou a polícia, foi à polícia delatá-la = deletá-la = denegri-la. Pois saibam que somente pode prender ou mandar prender quem pode mandar soltar, pois que se assim não for pássaros ficaram eternamente detidos sem nenhum motivo, assim como ocorre com Carol, se bem que Ivo Mesquita já avisou, quer mesmo que ela fique presa e responda à Lei por depredado o patrimônio público. Que Lei? Que patrimônio público. Esta lei feita por legisladores que não são nossos? Um patrimônio que na verdade era público sim, pois que colocado à disposição de um evento cultural?

Contem-nos outra

Nenhum comentário:

A História do SPIN