20/12/2008

Novamente (ou: Não sei, agora sei)

Nem sei mais onde estou, se nas palavras ou imagens, misturou tudo, não posso, tenho que ir agora, a Juliana ou Ana Julia, não sei a certo o nome dela, estou falando da spin professora, ela me espera na sala de aula, mas sabem porque não fui? Com medo da vaia = depreciação, quem chega atrasado é vaiado = humilhado.
Não posso.
Spin tímido = medroso =n vagabundo, isso, que mata aula pra escrever, sou tudo o que fores capaz de imaginar em termos de erro = maldade, nutro-me dos meus = teus próprios erros, como por exemplo agora, quando a funcionária da lan house veio me ensinar como tirar foto através da web cam, ela salvou o arquivo com a letra "o" repetida 3 vezes "ooo" ou duas "oo" acho que foi duas vezes, foi quando me lembrei de Papai Noel, aquele que chega alegrinho com seu presente para ser dado às pessoas, quando pequeno ganhei um pandeiro, acho que sim, não me lembro ao certo, um pandeirinho, e frutas de isopor.
ser, o meu nome é Idéia Sem Fome, do fome zero, comprei os presentes parra a spin professora, depois do almoço, a aula recomeça às 2 = 14 hora, como pude ser tão relapso para comigo mesmo, isto é doença, esta coisa de matar aula prá escrever = adorar = olhar = ser
eu não posso, tenhoque terminar esta pós-graduação, nem que eu me submeta a um sério tratamento = específico para quem sofre desta doença = artonomia = ortonomia, não sei o nome exato, isto que faz a gente não parar de escrever
agora
antes
depois
sempre
novamente

Publicidade

Nenhum comentário:

A História do SPIN