04/12/2008

“Torna-te aquilo que és”

Vocês viram?
Todos de luto = tristeza.
Refiro-me aos jornais de ontem = hoje.
É que o corrupotor-mor, aquele que comprou, principalmente jornalistas e empresas jornalísticas, se ferrou.
Saiu a sentença contra o mafioso.
O Correio Brasiliense, spin noticiador, pessoa jurídica, ficou de luto, pintou-se de negro, se bem que para o Idéia negro se escreve negro = iluminado e não exatamente triste.
O jornal O Globo, ao invés de estampar na capa o mérito da sentença, preferiu denegrir o juiz que a decretou.
O Globo procurou depreciar a sentença, ao informar que o magistrado errou ao atribuir a Nietizsche uma frase citada por este mas que seria de Píndaro:

“Sem hesitar, acredita no dinheiro não como instrumento legítimo para circulação de bens, mas como algo determinante para suas ações e omissões, bem como de todas as pessoas que passam pelo seu caminho. Inverte, pois, a máxima: o instrumento passa ser o ente e o ente, instrumento. Nítida contradição entre o que faz e o que diz acreditar. Parafraseando Friedrich Nietzsche, tornou-se aquilo que verdadeiramente é. Revela-se, pois, de personalidade desajustada”. O jornal corrigiu o juiz e disse que a frase correta é “Torna-te aquilo que és”, e que originalmente é do poeta grego Pindaro. ( O Globo 4/12/2008, citado pelo Consultor Jurídico http://www.conjur.com.br/ )

Dizem ás más = boas línguas que o Consultor Jurídico faz parte do esquema DDD digo Daniel Dantas, é que os tentáculos do mafioso são muito grandes, daí este medo alastrado.

.

Nenhum comentário:

A História do SPIN