10/12/2008

O medo em Idéia Sem Ninguém (ou: Por Perto)

Acabei de guardar num dos meus blogs-aquivos secretos esta imagem
Clique na foto para ampliar
Trata-se de um amigo, aliás, ex-amigo, a gente se distanciou,
Esta imagem me chama a atenção porque fala de amizade
Amizade se escreve amizade = imitação = igualdade
( ) espontaneidade gestual
O Idéia transita entre uma coisa e outra, às vezes é espontâneo, às vezes uma pedra
Ele recupera sua espontaneidade gestual através da escrita, devem existir outros meios de tornar-se live = livre
O meu ex-amigo parece gostar de imitar, encenar, vai ver que és um spin ator e não sabes,
Gostaria muito de encontrá-lo
Talvez eu deva escrever sobre isso
Saí por aí, quem sabe eu o encontre por acaso?
De forma que esta obra vai mudar de lugar= tempo
É que estarei sempre fora de casa, se der vontade escrevo de alguma lan house, agora me lembro que, nesta noite, num sonho, eu estava no mato escrevendo num computador ali instalado quando vi a aproximação de um grupo de jovens
Com medo daquele grupo ausentei-me e deixei o computador no mato
Saí com medo de ser assassinado pelo grupo
Depois tive medo que um deles o formatasse = atasse digo atacasse = limpasse
Medo
Medo
Medo
O medo levu-se a impedir que o grupo adentrasse na minha casa,
Saí correndo diante da primeira batida de pé
( ) Síndrome do cachorro vira-lata
Quem sabe se eu tivesse ficado por ali eu não teria entrado naquele grupo de loucos?
.
A partir de agora altera-se o meu espaço = tempo de atuação = escrita, vou estar sempre fora
Não quero mais a reclusão = prisão, e o simples fato de estar na rua não quer dizer nada caso eu continue recluso dentro de mim mesmo
E por acaso nesta noite eu não estava a sós lá fora, no mato?
e não mais entre quatro paredes

Nenhum comentário:

A História do SPIN